Ele Chegou. Cometa Verde Panstarrs Está Muito Perto do Sol

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (13/08) no site “Apollo11.com” destacando que o cometa verde C/2017 S3 Panstarrs já se encontra muito perto do Sol.

Duda Falcão

Editoria: Astronomia

Ele Chegou. Cometa Verde
Panstarrs Está Muito Perto do Sol

Segunda-feira, 13 ago 2018 - 11h14

Na próxima quarta-feira, 15 de agosto, o cometa C/2017 S3 Panstarrs chegará ao periélio - momento da máxima aproximação do Sol - e deverá atingir o ponto máximo de seu brilho. Cometas são imprevisíveis e ninguém sabe como este viajante gelado se comportará.

Cometa C/2017 S3 registrado pelo astrofotógrafo
Michael Jäger, em julho de 2018.

Descoberto em 23 de setembro de 2017 através dO telescópio PS1, localizado no monte Haleakala no Havaí, C/2017 S3 é um cometa de órbita hiperbólica, provavelmente proveniente da nuvem de Oort, situada a cerca de 50 mil UA do Sol, ou 7.5 trilhões de km.

Na próxima quarta-feira, 15 de agosto, o cometa atingirá o ponto máximo de aproximação da nossa estrela, da qual passará a 31 milhões de km de distância.

Sem fazer alarde, o cometa passou recentemente nas vizinhanças da Terra em 7 de agosto de 2018, a uma distância de 113 milhões de quilômetros. Devido ao tipo de orbita, tudo indica que esta é a primeira vez que a rocha gelada passa nas cercanias da Terra e do Sol e possivelmente não deverá retornar nos próximos milhares de anos.

Simulação da passagem do cometa C/2017 S3 na
frente do coronógrafo lasco C3. Para ver o cometa
acesse nossa página Atividade solar entre os dias
24 de agosto e 13 de setembro de 2018.

Desde que foi descoberto, C/2017 S3 apresentou duas explosões de brilho, chamadas tecnicamente de outbursts, provocadas pela fragmentação do núcleo principal devido à sua aproximação do Sol. Essas fragmentações lançaram ao espaço milhões de toneladas de material cometário, que ao serem sublimadas aumentaram bruscamente o brilho do cometa.

Observadores experientes informaram que o processo de outburst fez o brilho do cometa saltar da magnitude 12 para a magnitude 9 em apenas algumas horas. Esse decremento de 3 magnitudes significa que C/2017 S3 ficou 15 vezes mais brilhante.

Embora o tamanho do núcleo de C/2017 S3 seja desconhecido, pesquisadores entendem que seu diâmetro não seja maior que 1 km. Apesar de relativamente pequeno, a violenta sublimação de material fez a coma do cometa crescer e de acordo com as observações recentes já atinge cerca de 250 mil km de diâmetro, aproximadamente duas vezes o tamanho angular do planeta Júpiter.

Por que o cometa é verde?

Uma das coisas que mais chama a atenção nas imagens do cometa C/2017 S3 é sua cor esverdeada. Essa cor dominante é emitida pela presença de carbono diatômico, que quando ionizado pela radiação ultravioleta proveniente do Sol emite luz no comprimento de onda verde de 550 nanômetros.

Dá pra ver o cometa verde?

A menos que você seja um observador experiente do céu, isso não é possível. O cometa está atualmente na magnitude 8 e no dia 15 atingirá a magnitude -7.5, ambas fora do range de sensibilidade do olho humano, que só começa a perceber brilhos a partir da magnitude 6.
Além disso, a proximidade do cometa em relação ao Sol faz com que seu brilho seja totalmente ofuscado pela estrela e somente observadores e astrofotógrafos experientes conseguirão algum registro do objeto.

Como ver o cometa C/2017 S3?

Embora a observação do cometa esteja praticamente descartada, ao menos por enquanto, existe uma forma de ver a passagem do cometa nas proximidades do Sol.

De acordo com simulações feitas pelo Apolo11 e outros órgãos especializados, entre os dias 24 de agosto e 13 de setembro, C/2017 S3 cruzará o campo de visão do coronógrafo LASCO C3, a bordo do telescópio SOHO. O cometa surgirá no canto inferior esquerdo das imagens e durante 20 dias transitará pelo campo de visão do telescópio. Para ver o objeto, acesse nossa página Atividade solar


Fonte: Site Apolo11 -  http://www.apolo11.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite