Brasil e Israel Discutiram em Jerusalém Temas de Defesa e Parcerias e Entre Elas a Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (10/08) no site do Ministério da Defesa (MD) destacando que o ministro Joaquim Silva e Luna esteve na semana passada em viajem oficial a Israel onde discutiu temas de Defesa e parcerias e entre elas uma possível Cooperação Espacial.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Brasil e Israel Abordam Temas
de Defesa e Parcerias

Assessoria de Comunicação (Ascom)
Publicado: Sexta, 10 de Agosto de 2018, 18h17
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Brasília, 10/08/2018 – O ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, retornou, na quinta-feira (9), de viagem oficial à Israel. A agenda foi um dos assuntos tratados na visita do embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, ao ministro, em maio deste ano.

Em Jerusalém, Joaquim Silva e Luna foi recebido pelo presidente de Israel, Reuven Rivlin. Na oportunidade, foram realçados os traços de amizade entre os dois países e o papel desempenhado pelo brasileiro Osvaldo Aranha, na sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas que possibilitou a criação do Estado de Israel.

Em seguida, o ministro brasileiro encontrou com o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Liberman. Os temas inicialmente abordados pelo ministro Silva e Luna envolveram a defesa cibernética e as possibilidades para a área de satélites, com a exploração do Centro de Lançamento de Alcântara.

Ao final, foi acertada a criação de um grupo de trabalho com representantes dos dois países para a definição das áreas possíveis de parceria e, assim, tornar efetivos os resultados de interesse comum.

Com esse enfoque, o ministro Silva e Luna assistiu apresentação da Direção de Defesa, Pesquisa e Desenvolvimento e conheceu os principais produtos de defesa que Israel tem interesse em fazer parcerias com o Brasil.

O encontro entre os ministérios da Defesa do Brasil e de Israel abriu mais possibilidades para a base industrial de defesa brasileira, que já tem a participação de algumas empresas israelenses.

Durante a agenda, o ministro Silva e Luna conheceu a Direção de Defesa Cibernética e pôde verificar a estrutura de funcionamento dessa organização militar israelense. Ele confirmou o interesse na troca de experiências com o Comando de Defesa Cibernético brasileiro.

As Forças de Defesa de Israel fizeram ainda uma apresentação sobre os 70 anos de serviço desempenhados pelas mulheres e a representatividade que exercem ao ocuparem 35% dos efetivos de ativos, 9% das forças de combate e 43% dos serviços de inteligência.

O ministro brasileiro visitou, também, empresas estratégicas do segmento de defesa que contam com produtos de defesa de interesse das Forças Armadas brasileiras. Essas empresas têm em seus portfólios, entre outros, equipamentos e soluções na área da defesa cibernética, de satélites dos mais diversos tipos, pesos e finalidades, de proteção de fronteiras, de mísseis, de proteção de infraestruturas críticas e de veículos aéreos não transportados (VANTS).


Fonte: Site Ministério da Defesa - http://www.defesa.gov.br/

Comentário: Essa notícia é muito curiosa leitor, já que na semana passada o jornal O Globo (veja aqui) publicou que o Ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, havia elogiado em uma cerimônia no Palácio do Planalto de cumprimentos a Oficiais Generais recém-promovidos, a chapa composta pelo candidato a Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), e seu vice General Hamilton Mourão (PRTB), dizendo que era uma chapa composta por pessoas preparadas. Ora leitor, não é novidade nenhuma a grande simpatia que o candidato Jair Bolsonaro supre pelo estado de Israel, então... e vale lembrar também de que o nosso VLM-1 (hoje mais alemão do que brasileiro) teve o seu projeto baseado no veiculo lançador israelense “Shavit”. Pois é leitor, algo de diferente está acontecendo nos bastidores do PEB (tomara mesmo que para melhor em prol do futuro de nossa sociedade) e estamos investigando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial