A Política Espacial do País Segundo o PPA - 2012-2015

Olá leitor!

Trago agora para vocês os planos e objetivos da Política Espacial prevista no Plano Plurianual 2012-2015 (PPA) do governo. Veja você leitor que os planos são claros com metas e objetivos bem delineados e também de forma clara que se realizados na íntegra, transformarão a cara do “Programa Espacial Brasileiro” no final desse período.

Entretanto, entre o que está no papel e o que é realmente realizado, existe um espaço muito grande determinado pela ação efetiva e competente dos executores do plano que se pretende realizar, independente se o mesmo é público ou privado, coisa que devido à falta de atitude do Governo DILMA deixa claro infelizmente que a parte desse PPA relacionado com a Política Espacial não passa de papel higiênico e de péssima qualidade.

O leitor menos avisado poderia dizer que estamos ainda em 2011 e o plano é para o período de 2012-2015 o que é verdade. Entretanto, para que esse plano seja realizado decisões e ações estruturantes teriam de ser tomadas ainda no primeiro semestre desse ano, e a verdade é que estamos já em setembro e nem mesmo o edital para contratações emergenciais de novos servidores para o INPE/DCTA/IAE (crucial para a realização de diversos programas no prazo previsto citados na lista abaixo) nem se quer tem uma previsão de quando acontecerá. Uma vergonha, mas é assim que as coisas são feitas no Brasil. “Brasil, Ame-o o Deixe-o”, já dizia o ex-presidente Médici de forma ufanista no início dos anos 70.

Duda Falcão

PROGRAMA: 2056 - Política Espacial

OBJETIVO: 0702 - Realizar missões espaciais para observação da Terra, meteorologia, telecomunicações e missões científicas que contribuam para a solução de problemas nacionais, o desenvolvimento de tecnologia, a capacitação industrial e o avanço do conhecimento científico.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2012-2015

* Contratar o desenvolvimento do primeiro satélite do Sistema Geoestacionário Brasileiro (SGB);

* Contratar o desenvolvimento, pela indústria nacional, de um satélite radar;

* Implantar o sistema de monitoramento de clima espacial até 2013;

* Lançar quatro satélites; e

* Tornar o Laboratório de Integração e Testes (LIT) capaz de realizar testes de satélites geoestacionários.

Iniciativas

* 02NG - Desenvolvimento do Satélite Amazônia-1;

* 02NM - Desenvolvimento e lançamento do Satélite Sino-Brasileiro – Projeto CBERS-3;

* 02NN - Desenvolvimento e lançamento do Satélite Sino-Brasileiro – Projeto CBERS-4;

* 02NJ - Desenvolvimento do Sistema Geoestacionário Brasileiro;

* 02NE - Desenvolvimento de Satélite Radar;

* 02ND - Desenvolvimento de Satélite de Medida de Precipitação;

* 02NI - Desenvolvimento do Satélite Sabia-Mar;

* 02NH - Desenvolvimento do Satélite Lattes;

* 02NC - Desenvolvimento de instrumentação científica, pesquisa básica e tecnologia para clima espacial e ciências espaciais;

* 02NB - Concepção e análise de viabilidade de novas missões espaciais; e

* 02NA - Atualização e expansão da capacidade e das instalações para integração e testes de satélites, rastreio e controle de satélites, recepção, armazenamento e disseminação de dados.

OBJETIVO: 0397 - Desenvolver veículos lançadores nacionais e respectiva infraestrutura de lançamentos no país, com incremento da participação industrial, garantindo a autonomia nacional para o acesso ao espaço.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2012-2015

* Certificar o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e o Sítio do Cyclone-4 para Operação até 2012;

* Certificar o foguete ucraniano Cyclone-4 até 2012;

* Lançar 40 foguetes suborbitais e de treinamento;

* Ter empresa nacional certificada para produção do foguete suborbital VSB-30;

* Tornar a Usina de Propelentes Cel. Abner capaz de atender às necessidades de suprimento de propelentes sólidos do veículo lançador VLM-1;

* Vôo de qualificação do VLM-1 realizado até 2015;

* Vôo de qualificação do VLS-01 V04 realizado até 2013;

* Vôo tecnológico XVT-01 (VSISNAV) realizado até 2012; e

* Vôo tecnológico XVT-02 realizado até 2013.

Iniciativas

* 016E - Desenvolvimento e lançamento de veículos lançadores nacionais;

* 016G - Desenvolvimento, lançamento e industrialização de foguetes suborbitais;

* 016C - Adequação da infraestrutura do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Centro de Lançamento de Alcântara ( CLA) e do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) para atendimento aos projetos de veículos lançadores e veículos suborbitais nacionais; e

* 016J - Produção de normas e certificação de conformidade e de segurança de bens e serviços comerciais do setor espacial.

OBJETIVO: 0555 - Desenvolver e ampliar o conhecimento das tecnologias críticas para garantir o uso autônomo das aplicações espaciais.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2012-2015

* Catalisador de hidrazina qualificado em vôo do satélite Amazônia-1;

* Desenvolver modelo de engenharia do motor a propelente líquido de 75kN de empuxo (Motor L75);

* Dissipadores de calor para uso espacial à base de fios de alta condutividade revestidos de diamante (CVD) qualificados;

* Iniciar o desenvolvimento de estágio líquido do VLS-Alfa;

* Lançar dois microssatélites;

* Lançar o satélite de reentrada atmosférica (SARA suborbital - Fase de desenvolvimento);

* Lançar quatro picossatélites;

* Lubrificantes sólidos a base de carbono tipo diamante (DLC-Diamond Like Carbon) para peças de satélites com qualificação para vôo no Satélite Amazônia-1 e tecnologia transferida para a indústria;

* Microgiroscópio de silício para uso espacial operacional e caracterizado até 2014; e

* Motor iônico qualificado.

Iniciativas

* 024U - Realizar e fomentar pesquisas para o desenvolvimento e aplicação das tecnologias de caráter estratégico para os sistemas espaciais de interesse nacional;

* 024Q - Desenvolvimento e utilização de plataformas orbitais e suborbitais de baixo custo para provas de conceito tecnológicos e experimentos científicos; e

* 024S - Levantamento e prospecção de informações tecnológicas em apoio às atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação do programa e proteção dos direitos de propriedade intelectual decorrentes dessas atividades.

OBJETIVO: 0398 - Promover a inserção do país no mercado mundial de lançamentos comerciais de satélites, por meio da empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS).

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2012-2015

* Infraestrutura básica e urbanização do sítio implantada até 2012;

* Infraestrutura de redes e sistemas implantada até 2012;

* Iniciar as operações comerciais de lançamento de satélites pela ACS em 2014;

* Interfaces de sistemas do sítio do Cyclone 4 com o do CLA implantadas até 2012;

* Posto de Comando (casamata) concluído até 2012;

* Prédio de armazenamento temporário de propelente concluído até 2012;

* Realizar vôo de qualificação do foguete Cyclone-4 até 2013; e

* Sitio do Cyclone 4 implantado até 2012

Iniciativas

* 016L - Exploração dos serviços comerciais de lançamento pela Alcântara Cyclone Space (ACS) a partir de Alcântara; e

* 016O - Implantação do Complexo Espacial de Alcântara (CEA).

OBJETIVO: 0399 - Desenvolver e consolidar competências e capital humano para a sustentabilidade do programa.

Órgão Responsável: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Metas 2012-2015

* Capacitar 100 especialistas nas áreas de interesse do programa;

* Realizar 4 eventos relacionados à divulgação da área espacial em todos os níveis de ensino, como olimpíadas e competições de foguetes experimentais e satélites educacionais; e

* Treinar 1000 professores de ensino fundamental e médio, incluindo escolas técnicas, nas áreas de interesse do programa.

Iniciativas

* 016R - Atração, formação e capacitação de pessoal para o setor espacial, contribuindo para a sua popularização; e

* 016T - Instalação de Observatório Tecnológico sobre propriedade intelectual de interesse do programa.


Fonte: Plano Plurianual 2012-2015 (PPA)

Comentários

  1. Aposto com toda certeza do mundo, que nem 5% disso tudo irá sair do papel.
    Olha que isso é minha previsão mais otimista.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ramir!

    Então vamos torcer que você esteja errado, né verdade? Afinal, quem perde com isso é a nossa sociedade.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Olá não sei se você já viu este artigo sobre o fiasco da participação brasileira na ISS ,até então eu não sabia o porque que o Brasil foi "expulso" do projeto ,o artigo é de 2009 mas para quem como eu não sabia o motivo da "expulsão" é muito esclarecedor .

    http://www.gizmodo.com.br/conteudo/made-brazil-o-brasil-na-estacao-espacial-internacional/

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Olá André!

    Eu já conheço os motivos desse fiasco, entretanto valeu pela dica, já que servirá para que outros possam se informar melhor sobre o que aconteceu realmente.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial