“A Necessidade é a Mãe da inovação.”

Olá leitor!

Segue agora uma nota postada ontem (06/02) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) destacando que a equipe deste ministério retornou de Israel com a frase “A necessidade é a mãe da inovação” na cabeça para inspirar os próximos passos.

Duda Falcão

“A Necessidade é a Mãe da inovação.” 

Equipe do MCTIC volta de Israel com essa frase na
cabeça para inspirar os próximos passos. 

Por ASCOM
Publicado 06/02/2019 - 11h58
Última modificação 06/02/2019 - 14h35

Fotos: Ascom/MCTIC
Comitiva liderada pelo ministro Astronauta Marcos Pontes
visitou empresas e usinas de tratamento e dessalinização
da água em Israel. 

Após missão oficial em Israel, a equipe do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) voltou para o Brasil com contatos avançados para o compartilhamento de tecnologia, projetos de ciências e oportunidades na área de educação, além de relações bilaterais mais fortalecidas.

Todas as empresas e instituições receberam a comitiva do MCTIC e do Ministério das Relações Exteriores com a bandeira brasileira exposta em diversos ambientes e possibilidades de parcerias que serão estudadas para curto, médio e longo prazos. Os trabalhos serão desenvolvidos em quatro frentes: água, inovação, tecnologia e espaço.

No caso da água, por exemplo, a comitiva visitou quatro empresas e usinas de tratamento e dessalinização de água. Os dados coletados durante a missão serão analisados a partir de agora para entender a viabilidade das tecnologias de dessalinização e tratamento desenvolvidas em larga escala por Israel no semiárido brasileiro. É importante lembrar que cada região do semiárido possui um desafio hídrico específico que deve ser superado com tecnologias distintas.

A empresa Watergen doou 11 máquinas que transformam a umidade do ar em água. As máquinas podem produzir até 900 litros de água por dia, dependendo do local de instalação e da umidade do ar, que deve ser de, pelo menos, 15%. Ainda não há previsão para a chegada dos equipamentos. Entretanto, a ideia é testar as máquinas em escolas, hospitais e comunidades no semiárido após análise dos locais mais críticos que precisam de água potável para o maior número de pessoas.

“Sabemos que ideias e atitudes mudam o planeta. Além das tecnologias que conhecemos em Israel, estamos chamando pesquisadores, desenvolvedores e fornecedores de sistemas de dessalinização e tratamento de água para formar um banco de dados com soluções tecnológicas do MCTIC”, afirmou.

Os projetos podem ser inscritos até 18 de fevereiro no site do MCTIC. Depois desse cadastro vamos analisar a viabilidade das ideias e o nível de maturidade suficiente para a realização de testes em Campina Grande (PB) nos próximos meses”, afirma o Ministro Marcos Pontes.

Educação e Inovação

O ministro e a comitiva brasileira também participaram de reuniões no Israel Innovation Authority, agência do governo israelense responsável pela gestão dos recursos para políticas de inovação, e visitaram o Carasso Science Park, museu de ciência com exposições interativas e laboratórios.

Aconteceram ainda reuniões com presidentes e professores da Tel Aviv University, Technion, Weizmann Institute em que foram apresentadas iniciativas que transformam, de forma eficaz e rápida, pesquisas em tecnologias aplicadas, voltadas à melhoria da qualidade de vida da população e à geração de riquezas para o país.

No encontro com o ministro de Ciência, Tecnologia e Espaço de Israel, Ofyr Akunis , Marcos Pontes alinhou o acordo de Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação que deverá ser assinado  pelo presidente Jair Bolsonaro na próxima visita a Israel, prevista em março.

O ministro Marcos Pontes ainda discursou na Ilan Ramon Space Conference, para homenagear o amigo e primeiro astronauta israelense Ilan Ramon, que perdeu a vida no acidente com o ônibus espacial Columbia, em fevereiro de 2003.

A agenda também teve a participação da comitiva brasileira na Cybertech – uma das maiores feiras do mundo sobre indústria e segurança cibernética; em mesa de negócios organizada pelo Israel Export Institute; e em reunião com executivos da Israel Space Agency e da Israel Aerospace Industries.

Em jantar de negócios na residência oficial do embaixador brasileiro em Israel, Paulo Cesar Vasconcellos, foi apresentado um óculos para cegos e pessoas com baixa visão pela empresa israelense Orcan. A empresa doou este equipamento para testes no Brasil.

Brumadinho

Ainda em Israel, o ministro Astronauta Marcos Pontes e o embaixador do Brasil em Israel, Paulo Cesar Vasconcellos, receberam o embaixador de Israel no Brasil Yossi Shelley e a equipe israelense de soldados e voluntários que participaram do resgate às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG). O encontro, no aeroporto Ben Gurion, foi marcado por muita emoção.

“Fiz questão de agradecer todos que participaram da missão em Brumadinho. A gente conhece os amigos nas horas mais difíceis,” ressaltou Pontes.



Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Comentário: Bom, bom, bom, muito bom mesmo Ministro Pontes, e ficaremos na torcida para que o senhor e sua equipe sejam exitosos no cumprimento desses objetivos. Entretanto Ministro, sendo chato, pois sou apaixonado pelo meu país e pelas atividades espaciais brasileiras, volto a insistir com o senhor, reúna-se o mais breve possível com os CEOs das startups brasileiras (se possível antes mesmo da viajem do Presidente Bolsonaro) para assim discutir e articular com eles como as suas pequenas empresas podem contribuir efetivamente e decisivamente para o desenvolvimento do setor espacial brasileiro. É de suma importância ministro que esse passo seja dado o quanto antes, pois o nosso atraso caminha a passos largos e essas empresas podem, querem e devem colaborar significantemente para o crescimento do PEB, mas o Governo tem de fazer a sua parte o quanto antes.

Comentários

  1. Duda, não estou gostando nada dessa propaganda toda encima de uma solução para um problema que não se compara em nada com o que temos no Brasil, estou falando do problema da água no sertão, parece que isso está sendo usado mais para propaganda que para uma aplicação em si...

    Tudo parece mil maravilhas mas se analisarmos pra valer, quase nada se aproveita de tecnologia de hídrica israelense e os motivos são muitos simples, para nós elas não são viáveis! Estamos falando de uma tecnologia usado por um país minusculo (Israel) e com alta densidade populacional, o nosso problema hídrico é com o Polígono das secas, uma área 50 vezes maior que Israel só que com baixa densidade populacional e com ausência de grandes centros urbanos... Uma análise básica já seria útil para descartar até mesmo essas visitas que na prática não acrescentam em nada além de iludir pobres desinformados.

    Esta empresa da máquina que retira água da umidade do ar, dizem pertencer a um conhecido de Netanyahu e existe uma empresa brasileira que detêm esta mesma tecnologia inclusive com patente, não vou duvidar nada se esta empresa acabar nas mãos do israelenses para poderem comercializar estas máquinas israelenses por estas bandas...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022