Sugestões do Blog Para o Ministro Pontes

Olá leitor!

Vez ou outra, quando estou com tempo livre costumo assistir no canal “History Channel” um 'reality show americano' da área de empreendedorismo  que acho muito interessante, atraído que fui por ser filho de um homem que foi um extraordinário empresário bem sucedido aqui na Bahia, além de um grande ser humano para todos que tiveram pessoalmente a oportunidade de conhecê-lo.

Trata-se do programa “O Sócio”, apresentado desde 2013 pelo empresário norte-americano nascido em Beirute (Líbano), Marcus Anthoni Lemonis, CEO da multibilionária empresa ‘Camping World’ e da ‘Good Sam Enterprises’. Neste programa o empresário faz uma proposta irrecusável às empresas que precisam de ajuda em troca de uma parte do negócio e de uma porcentagem dos lucros, e uma vez dentro da empresa, se utilizando do método de sucesso adotado por ele de três P: “Pessoas”, “Processo” e “Produto”, Lemonis então faz de tudo para salvar o negócio e torná-lo lucrativo, mesmo que isso signifique demitir o presidente, promover a secretária ou fazer ele mesmo o trabalho.

Pois então, me espelhando no método adotado por este empresário norte-americano, resolvi escrever esta nota para sugerir ao nosso ministro-astronauta Marcos Pontes, que oriente ao novo presidente da nova Agência Espacial Brasileira (AEB), o Sr. Carlos Augusto Teixeira de Moura, para que o mesmo, além de se reunir com os diretores do DCTA/ITA/IAE/IEAv e do INPE, se reúna também separadamente e principalmente com os coordenadores dos projetos mais relevantes em curso no Brasil (que contam com o apoio financeiro da agência) nesses institutos e também universidades, para que assim possa ter uma melhor leitura das reais dificuldades que cada projeto tem enfrentado, e assim poder adotar medidas que venham equacionar os problemas destes projetos tornando-os mais dinâmicos, é claro, sempre acompanhando de perto e cobrando dos seus coordenadores resultados concretos e o cumprimento dos prazos pré-estabelecidos.

Estão nesta situação em minha visão os seguintes projetos:

No INPE:

Picosatélite “Tancredo-2” do Projeto UbatubaSAT (em cooperação com a Escola de Ensino MédioTancredo Neves de Ubatuba).

* Nanossatélites “NanosatC-Br2 (2U)” e “NanosatC-Br3 (2U)” (em cooperação com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) entre outras).

* Nanossatélites “Conasat-0 (1U)” e “Conasat-1 (2U)” (em cooperação com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN.

* Nanosatélite “Sport (6U)” (cooperação internacional com a NASA).

* Nanosatélite “RaioSAT (2U ou 3U)” (ainda em discursão).

* Microsatélite científico “EQUARS” (ainda em discussão).

* Minisatélite “Amazonia-1” (em fase final de desenvolvimento).

* Satélite “CBERS-4A” (cooperação internacional com a China, em fase final de desenvolvimento).

* Sonda Lunar “Garatéa-L” (em cooperação com outras instituições de ensino e pesquisa brasileiras sob coordenação da startup espacial brasileira ‘Airvantis’).

* Sonda Espacial da “Missão ASTER” (em cooperação com outras instituições de ensino e de pesquisa brasileiras e Russa).

No IEAv:

Veículo Hipersônico Aeroespacial 14-X Waverider - VAH14-X (projeto de vanguarda de propulsão hipersônica a ar aspirado).

* Veiculo Hipersônico Aeroespacial 14-X B - VHA 14-X B (projeto de vanguarda de propulsão hipersônica a ar aspirado).

* Veiculo Hipersônico Aeroespacial 14-X S - VHA 14-X S (projeto de vanguarda de propulsão hipersônica a ar aspirado).

* Veículo de Propulsão a Laser (projeto de vanguarda de propulsão espacial a Laser em cooperação com o Departamento de Pesquisa Científica da Força Aérea Americana).

* Projeto Terra - Tecnologia de Reatores Rápidos Avançados (projeto de vanguarda que visa o desenvolvimento de motores a propulsão nuclear espacial).

* Projeto PHiLO Plataforma Hipersônica de Lançamento Orbital (projeto multi-institucional que visa o desenvolvimento de uma plataforma orbital a ser instalada no CLBI para lançamentos de veículos hipersônicos a ar aspirado).

No IAE:

* Projeto SIA - Sistemas de Navegação Inercial para Aplicação Aeroespacial (projeto de suma importância para o Programa Espacial Brasileiro (PEB), bem como também para a área de Defesa, mas que não teve a atenção devida por questões diversas e que precisa ser revitalizado e recolocado no rumo).

* Projeto PSM - Plataforma Suborbital de Microgravidade (projeto este desenvolvido em cooperação com a empresa ‘Orbital Engenharia’ que creio eu esteja em estágio final de desenvolvimento).

* Projeto do Motor L5 - Motor-Foguete Liquido L5 - MFL-L5 (descontinuado após o seu primeiro lançamento durante a “Operação Raposa”).

* Projeto do Motor L15 - Motor-Foguete Líquido L15 – MFL-L15 (Projeto em cooperação com a empresa ‘Orbital Engenharia’ que foi abandonado em fase final de desenvolvimento).

* Projeto do Motor L75 - Motor-Foguete Líquido L75 – MFL-L75 (projeto tocado a passo de tartaruga e que gera dúvidas sobre a sua eficiência devido à configuração do motor escolhida).

* Projeto EPL - Estágio Propulsivo a Propelente Líquido (descontinuado após o seu primeiro lançamento durante a “Operação Raposa”).

* Projeto do Motor S50 - Motor-Foguete Sólido S50 - MFS-S50 (segundo se diz em fase final de desenvolvimento em cooperação com a empresa Avibrás).

* Projeto SARA - Satélite de Reentrada Atmosférica (importantíssimo projeto de vanguarda com possibilidade de ser utilizado em varias aplicações futuras, tanto na área civil como militar, mas que passa por um momento de standby ou mesmo até de estudo se vale a pena a sua continuação, coisa que em nossa opinião seria um erro tremendamente estratégico caso infelizmente se opte pela sua descontinuação).

* Projeto VS-43 - Foguete de Sondagem VS-43 (projeto que infelizmente foi abandonado por falta de recursos, segundo o que disse o Brigadeiro Engenheiro Augusto Luiz de Castro Otero, diretor do IAE, para o “Jornal do SindCT” (veja aqui) em dezembro do ano passado).

* Projeto VS-50 - Foguete de Sondagem VS-50 (projeto em andamento na espera da conclusão do motor S-50 pela Avibrás, e que tem como objetivo ser testado em voo até o final de 2019, segundo o que disse o próprio Brigadeiro Augusto Otero na mesma entrevista ao “Jornal do SindCT”. Esta missão (operação)  ainda sem nome definido, é de suma importância para o Brasil, e o MCTIC, MD, GSI e todas as forças de contra inteligência e de segurança do país terão de estar muito bem preparadas para este importante e histórico lançamento da astronáutica brasileira, pois este veículo terá pela frente a missão de qualificar em voo os novos motores S50, motores este que serão usados no VLM-1).

* Projeto VLM-1 - Veículo Lançador de Microssatélites- 1 (este é um interessante projeto nascido no Brasil e realizado em parceria com o DLR (Agencia Espacial Alemã) de um veiculo lançador de pequenos satélites (Picos, Nanos e Microssatélites) com capacidade de atingir cerca de 300 km de altitude, tendo a bordo uma carga útil (satélite ou experimento) de até 60kg. Porém leitor em nossa modesta opinião, por decisões errôneas do DCTA, infelizmente viemos a perder o controle deste projeto para os espertos alemães e para a felicidade da sorrateira OTAN. No entanto, segundo o que disse o Brigadeiro Augusto Otero para a mesma entrevista ao Jornal do SindCT, o projeto do VLM-1 será para o Brasil um demonstrador de novas tecnologias, e caso se obtenha êxito, o mesmo deverá ser a base para o futuro Projeto VLX, projeto este que como já foi anunciado, trata-se do desenvolvimento de dois veículos lançadores, o Áquila 1 e 2. Será????????????).

Projetos de outras instituições apoiados pela AEB:

* Nanosatélite “SERPENS-2 (3U)” (projeto em standby da AEB em parceria com diversas universidades sob a coordenação da Universidade Federal de Santa Catariana - UFSC).

* Nanosatélite “FloripaSat (1U)” da Universidade Federal de Santa Catariana (UFSC).

* Nanosatélite  “14BISat (2U) (cooperação internacional do Instituto Federal Fluminense – IFF com duas instituições portuguesas).

* Nanosatélite “ITASAT-2” (6U) do Instituto Tecnológico de aeronáutica - ITA (ainda em discussão).

* Nanosatélite “AESP-X (1U)” do Instituto Tecnológico de aeronáutica - ITA (ainda em discussão).

Pois é, além disso, faço duas outras sugestões ao Ministro Marcos Montes. A primeira delas é que também ele oriente ao novo presidente da AEB para que o mesmo se reúna o mais breve possível com os CEOS das startups espaciais brasileiras (Acrux Aerospace Technologies, Airvantis, CLC Consultoria, Criar Space Systems, Edge of Space, EMSISTI, Lunus Aeroespacial, Pion Labs e Zenit Aerospace) e discuta com eles como as suas empresas podem ajudar no desenvolvimento de novas tecnologias inovadoras para o Programa Espacial Brasileiro (PEB), de forma individual ou conjuntamente em consórcio. É preciso entender que o novo modelo adotado no mundo denominado de “New Space” tem como uma de suas bases de desenvolvimento estas pequenas startups que estão revolucionando o setor espacial em todo mundo, e o Brasil precisa parar de querer inventar a roda. Vamos apoiar o que de melhor temos que são esses profissionais e suas pequenas, inovadoras e dinâmicas empresas, prontas e motivadas para fazer a diferença, além é claro de estimular o surgimento de outras entre os profissionais formados que estão deixando as nossas universidades.

Finalizando leitor, a nossa ultima sugestão para o Ministro Pontes, já é uma bandeira defendida publicamente por ele, mas como compartilho não posso aqui deixar de endossar minha opinião. Sendo assim, sugiro ao Ministro que oriente ao Sr. Carlos Moura que procure se reunir com os profissionais que hoje lideram as iniciativas na área educacional de Foguetemodelismo e Espaçomodelismo no país (Prof. Dr. Carlos Henrique Marchi/UFPR/BAR-Brazilian Association of Rocketry, Prof. Dr. João Batista Garcia Canalle /UERJ/OBA-Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, Prof. Eng. Oswaldo Loureda/Uniamérica/Acrux  Aerospace Technologies, o Eng. Lucas Fonseca/Airvantis e o jovem Emersson Nascimento/ Associação COBRUF) para assim discutir com eles como a Agência pode ajudar no desenvolvimento desta área de suma importância para a formação futura de novos profissionais, bem com na difusão da ciência e tecnologia entre nossos jovens.  Bom é isso Ministro Pontes e que a ‘Força’ esteja sempre com o senhor. Saravá meu pai.

Duda Falcão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial