Irã Falha na Tentativa de Colocar em Órbita Satélite de Produção Nacional

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (15/01) pelo site “Sputnik News Brasil”, destacando que o Irã falhou na tentativa de colocar em órbita um satélite de produção nacional.

Duda Falcão

ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA

Irã Falha na Tentativa de Colocar em Órbita
Satélite de Produção Nacional (VÍDEO)

Sputnik News Brasil
15/01/2019 - 09:08
Atualizado em 15/01/2019 - 10:02

© AFP 2018 / STR/VAHIDREZA ALAI

O Irã realizou um dos dois lançamentos anunciados de satélites de produção nacional mas não conseguiu colocar o aparelho em órbita, disse o ministro das Telecomunicações, Mohammad-Javad Azari Jahromi.

Teerã lançou um satélite Payam, produzido no país, mas não foi possível colocá-lo em órbita, anunciou a TV estatal iraniana, citando o ministro das Telecomunicações, Mohammad-Javad Azari Jahromi.


Segundo as mídias locais, o foguete portador do satélite passou com sucesso o primeiro e o segundo estágios do lançamento, mas não foi capaz de atingir a "velocidade necessária" no terceiro estágio.

Mais cedo, o presidente iraniano Hassan Rouhani anunciou a intenção de Teerã de lançar dois satélites para o espaço em foguetes portadores de produção nacional. Um deles, como indicou Rouhani, é um satélite Payam (o que se traduz como epístola), que deveria ser colocado em órbita a uma altitude de 600 quilômetros.

O pequeno satélite Payam, de 100 quilos, foi desenvolvido por cientistas da Universidade de Tecnologia Amir Kabir e é um satélite para investigação remota da superfície da Terra. Ele deveria permanecer em órbita por dois anos. Os planos destes lançamentos haviam sido criticados pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, enquanto o Irã apontou que o país não viola a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU ao lançar o aparelho.

Em janeiro, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, advertiu que o Irã enfrentaria consequências econômicas e diplomáticas se realizasse os três lançamentos espaciais planejados nos meses seguintes.

Por sua parte, o chanceler iraniano Mohammed Javad Zarif destacou que os lançamentos de foguetes portadores de satélites do Irã não violam a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU.

O Irã já tentara lançar um foguete orbital Simorgh, no entanto, o segundo estágio do foguete só durou 20 segundos. Em um comunicado conjunto, os EUA, o Reino Unido, a Alemanha e a França condenaram o lançamento, afirmando que este violou a resolução do Conselho de Segurança da ONU, que regulamenta o programa nuclear iraniano.


Fonte: Site Sputniknews Brasil - http://br.sputniknews.com/

Comentário: Pois é, quem está na chuva leitor é pra se molhar, e quem realiza atividades espaciais, está sujeito a situações como essa, e não seria diferente com o Irã. A diferença, por exemplo, é que o estado iraniano continuará investindo no seu Programa Espacial apesar deste fracasso, enquanto no caso do Brasil, nunca durante os governos civis houve realmente determinação governamental de buscar o acesso ao espaço, nem após o grave acidente com o protótipo do VLS-1 em 2003. Nem mesmo quando por questões politicas, o governo do presidiário de nove dedos optou por apoiar o acordo com a Ucrânia, acordo este que gerou a mal engenhada empresa Alcântara Cyclone Space (ACS), um grande desatino que já nasceu sem a menor chance de dar certo, apesar da voz contraria na época de grande parte da Comunidade Espacial do País. O Brasil já devia ter seu lançador de satélites qualificado e até mesmo modernizado e já trabalhando em novos projetos na área, sendo tremendamente frustrante observar que até mesmo um pequeno país como o Irã foi capaz de realizar o que nos não conseguimos fazer em 58 anos de programa espacial.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial