E Agora, Como Fica a 'Missão ASTER' Ministro Pontes?

Olá leitor!

Com a eleição do Presidente Jair Messias Bolsonaro, e a nomeação do Astronauta Marcos Pontes para o “Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)”, a expectativa da ‘Comunidade Espacial Brasileira’ como um todo se renovou positivamente, e quem sabe agora o PEB siga realmente um rumo de desenvolvimento invés do da fantasia como nas ultimas décadas.

Diante disto, um dia antes da importante viagem do nosso Ministro Pontes ao estado de Israel, gostaria de trazer para você leitor uma interessante entrevista realizada em novembro de 2015, em Foz do Iguaçu-PR, pelo “Programa Fronteiras da Ciência”, produzido pela Rádio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com o coordenador da “Missão Brasileira ao Espaço Profundo ASTER, o Dr. Elbert E. N. Macau (LAC-INPE), isto durante a realização do “2° Simpósio COSPAR (Committee on Space Research)” do ‘International Science Council (ISC)’.

Para quem não sabe, a ‘Missão ASTER’ é uma missão brasileira que visa colocar uma sonda automática, equipada com diversos instrumentos científicos e tecnológicos (é uma missão que também visa testar tecnologia espacial sensível desenvolvida no Brasil), em órbita do maior e único de dois asteroides triplos conhecidos, o (153591) 2001 SN263 , cuja órbita passa próxima à Terra.

Pois então leitor, desde que essa missão foi lançada o apoio governamental a mesma não passou de pura fantasia durante o segundo governo da ex-presidente debiloide Dilma Roussef, mesmo a missão tendo a participação do “Instituto de Pesquisas Espaciais (IKI)”, da Rússia, instituto esse que forneceria a plataforma onde seriam instalados os instrumentos científicos e tecnológicos fornecidos pelo Brasil. Ou seja, um ‘prato cheio’ para exemplificar a parceria brasileira no âmbito do BRICS, mas que infelizmente não teve na época a devida atenção da petista debiloide e de seu grupo de energúmenos, e assim de lá para cá, vem se mantendo praticamente em standby.

Vale dizer que além das pesquisas astronômicas previstas nesta missão, a sonda testará em voo diversas tecnologias de suma importância para o PEB, e entre elas a de propulsão iônica desenvolvida no INPE e na UnB, além de envolver no projeto diversas instituições (universidades e centros de pesquisas) de todo o Brasil.

Portanto leitor, neste momento em que a expectativa cresce em torno do novo governo, e o já anunciado encontro (sem ainda uma data definida) do Presidente Bolsonaro com a galera do BRICS, o Blog BRAZILIAN SPACE se antecipa para lembrar ao Ministro Marcos Pontes à importância (inclusive politica), desta fantástica missão espacial científica para o Brasil. Veja abaixo a entrevista com o Dr. Elbert E. N. Macau do INPE.

Duda Falcão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial