Reestruturação de PEB Marca Aniversário do INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (10/08) no site “G1” do globo.com destacando que a Reestruturação do Programa Espacial Brasileiro (PEB) marcou a cerimônia de aniversário dos 51 anos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), ocorrida hoje em São José dos Campos (SP).

Duda Falcão

VALE E REGIÃO

Reestruturação de Programa Espacial
Marca Aniversário de 51 Anos do INPE

Discussão entre ministro da Ciência e Tecnologia,
Marco Antônio Raupp e funcionários do INPE sobre
futuro do instituto é tema de debate em São José

Suellen Fernandes
Do G1 Vale do Paraíba e Região
10/08/2012 - 20h39
Atualizado em 10/08/2012 - 20h41

Foto: Suellen Fernandes/G1
SindCT protesta contra a possibilidade de fusão
do Inpe a AEB, na festa de 51 anos do Instituto

O aniversário de 51 anos do Instituto Nacional de Pesquisas Meteorológicas (INPE), em São José dos Campos, no interior de São Paulo, foi marcado por protesto e polêmica envolvendo a proposta de reestruturação do programa espacial brasileiro.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, esteve no evento e chegou a discutir o assunto com o ex-diretor do instituto, Gilberto Câmara, durante a solenidade que reuniu cerca de 200 pessoas.

Membros do SindiCT (Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia do Setor Aeroespacial) também protestaram na porta do LIT (Laboratório de Integração e Testes), onde a festa foi realizada, contra o que eles consideram o 'desmembramento' do Instituto.

A tensão entre os pesquisadores e o ministro começou no último mês de julho com a publicação de uma portaria interministerial envolvendo a pasta e o Ministério da Agricultura para avaliar a integração de institutos de pesquisa ao INPE.

O debate deve avaliar a possibilidade de fusão de setores do INPE ao AEB (Agência Espacial Brasileira) e a integração do CPTEC (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos) de Cachoeira Paulista ao INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), sob gestão do Ministério da Agricultura.

Sindicalistas e pesquisadores cobraram transparência do governo no processo e questionam os benefícios da ação. "Nós insistimos que há obscuridade no processo. O INPE é um instituto de meio século, que produz resultados e serviços para a sociedade e não pode ser indiscriminadamente desmantelado. A comunidade aqui tem o direito de acompanhar os acontecimentos ", disse Ivanil Elizário Barbosa, presidente do sindicato.

Críticas

Durante o discurso, após ser questionado pelo ex-diretor do INPE, o ministro Raupp rebateu em tom emocionado as críticas ao debate e negou que haja algo definido sobre o assunto. "Não existe, nem existirá desmonte do INPE. Não estamos tratando também de uma suposta relação de subordinação de um instituto ao outro, a idéia é propiciar um grande novo empreendimento espacial com integração das atividades de forma alinhada para que a produção seja melhor", explicou Raupp.

Ele não poupou críticas ao protesto e até à gestão de Câmara. "Câmara, você protesta em épocas em que você deveria colaborar. Transparência sempre teve, mas a impressão que tenho é que as pessoas não querem avançar. Desmontar o INPE é delírio", afirmou o ministro.

Câmara esteve à frente do INPE até o final do ano passado, ocasião em que entregou o cargo alegando desgaste e divergências internas. Ele não rebateu as críticas do ministro.

Lançamento

Na ocasião, pesquisadores lançaram ainda um novo serviço de monitoramento das emissões de dióxido de carbono. Uma câmera para satélite totalmente produzida no Brasil e que deve ser lançada em um satélite sino-brasileiro no final deste ano também foi apresentada.

A pesquisadora Ana Paula Aguiar, do Centro de Ciência do sistema Terrestre mostrou os resultados do estudo. A diminuição do desmatamento na Amazônia a partir de 2004 reduziu em 57% as emissões de dióxido de carbono na atmosfera. "O modelo apresentado hoje é complementar aos trabalhos que o INPE já faz de monitoramento do desmatamento. Os resultados estão mostrando queda nas emissões decorrente da queda no desmatamento", afirmou.

Ela disse ainda que o projeto é um embrião que pode ser aplicado no futuro a outros biomas como o cerrado e a caatinga.

Para o diretor do INPE, Leonel Perondi, o aniversário dos 51 anos do instituto é um momento importante para relembrar o patrimônio sólido de conhecimento produzido pelo INPE ao longo dos anos. "A vontade é o grande propulsor dos nossos resultados. As pessoas que trabalham aqui, em sua maioria, dedicam sua carreira, suas pesquisas e seus projetos ao INPE", declarou ao G1.

Reportagem exibida 10/08/2012
Jornal da Vanguarda 2ª Edição da TV Vanguarda


Fonte: Site G1 do globo.com

Comentário: Pois é leitor, como disse no comentário anterior, temo pelo que possa acontecer com o PEB, pois nesse momento difícil, era importante que todos os servidores do INPE e da AEB estivessem buscando um entendimento para fortalecer a luta contra o governo DILMA e seus energúmenos, pois se a coisa já é dificil, imagine se não houver união. Lamentável!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022