JPL Selects Europa CubeSat Proposals for Study

Hello reader!

It follows an article published in the day (10/11), in the website www.spacedaily.com, pointing out that JPL Selects Europa CubeSat Proposals for Study.

Duda Falcão

MICROSAT BLITZ

JPL Selects Europa CubeSat Proposals for Study

By Staff Writers
Pasadena CA (JPL) Oct 11, 2014

Image courtesy NASA/JPL
Artist's concept of CubeSats near Jupiter's moon Europa.

NASA's Jet Propulsion Laboratory in Pasadena, California, has chosen proposals from 10 universities to study CubeSat concepts that could enhance a Europa mission concept currently under study by NASA.

The CubeSat concepts will be incorporated into a JPL study describing how small probes could be carried as auxiliary payloads. The CubeSats would then be released in the Jovian system to make measurements and enhance our understanding of Jupiter's moon Europa.

CubeSats are small, lightweight and low-cost satellites, often only inches on a side. With support from NASA, JPL is working to include small spacecraft on deep space exploration missions to complement primary spacecraft.

The conceptual Europa mission, called Europa Clipper, would conduct detailed reconnaissance of the icy moon and investigate whether it could harbor conditions suitable for life. Awardees will receive up to $25,000 each to develop their CubeSat concepts for inclusion in the study, which will be completed next summer.

CubeSat concepts from the following universities were chosen by JPL's Planetary CubeSat office for inclusion in the study:

+ Arizona State University, Tempe

+ Georgia Tech Research Corporation, Atlanta

+ Stanford University, Stanford, California

+ The Regents of New Mexico State University, Las Cruces, New Mexico

+ The Regents of the University of Colorado, Boulder

+ The Regents of the University of Michigan, Ann Arbor

+ University of Alaska, Fairbanks

+ University of Southern California, Los Angeles

+ University of Illinois, Urbana

+ University of Washington, Seattle

The universities' Europa science objectives for their CubeSats would include reconnaissance for future landing sites, gravity fields, magnetic fields, atmospheric and plume science, and radiation measurements.

"We've seen some innovative and quite creative surprises among the CubeSat ideas submitted by these universities," said Barry Goldstein, pre-project manager for the Europa Clipper mission concept. "Using CubeSats for planetary exploration is just now becoming possible, so we want to explore how a future mission to Europa might take advantage of them."



Comentário: Bom leitor já havíamos no Blog levantado essa bandeira de que mais cedo ou mais tarde a tecnologia de cubesats seria empregada em missões espaciais planetárias. Note a diversidade das universidades americanas envolvidas nesta possível missão a lua Europa de Júpiter (universidades dos estados do Alasca, Arizona, Geórgia, Califórnia, Colorado, Illinois, Michigan (onde eu morei) Novo México e Washington). No Brasil atualmente só temos uma missão semelhante, mas esta direcionada a nossa LUA que esta sendo desenvolvida pelo Grupo ZENITH da USP em parceria com a empresa AIRVANTIS, e diferentemente desta iniciativa americana, a iniciativa brasileira não conta com nenhum apoio de nossa Agência Espacial de Brinquedo (AEB) e pode acabar resultando em mais uma expectativa furada como tantas outras que sugiram nesta área de pesquisas planetárias no Brasil. O leitor pode dizer: Mas Duda e quanto a Missão ASTER? Esclarecendo ao leitor a Missão ASTER é uma missão para um asteroide triplo próximo da terra e pela informação que tenho utilizará uma plataforma diferente das utilizadas em cubesats e vale dizer que dá mesma forma não conta com apoio financeiro da AEB, apesar da agência ter promovido recentemente um workshop tendo como objetivo atrair financiamento para missão, coisa que para nós parece uma especie de tentativa da agência de limpar a sua barra, devido a grande e positiva repercussão que esta missão alcançou junto a comunidade espacial e astronômica do país. Trago essa notícia ao Blog para quem sabe estimular a UFABC em parceria com o INPE e outras universidades brasileiras a criarem uma missão planetária (o planeta Vênus seria uma boa e desafiadora opção) baseada numa plataforma cubesat 3U ou 4U que fosse mais fácil de se obter apoio e que possibilitasse ao INPE e a UnB testar finalmente em voo os seus motores iônicos, entre outras tecnologias de interesse das universidades participantes. Um bom desafio para a Comunidade Espacial e Astronômica do país.

Comentários

  1. Cada vez fico mais cético.

    Estamos, é claro, muito distantes da realidade americana, mas a impressão que dá é que estamos fazendo todo o possível para nos afastar cada vez mais do melhor exemplo (gostemos ou não deles), que existe no PLANETA !!!

    Sem dúvida, a iniciativa de um programa espacial tem que partir de um programa de estado estabelecido como o Duda sempre afirma com toda a razão, mas reparem nas instituições por lá: são em sua maioria privadas, enquanto aqui, se já temos uma Agência Espacial de Brinquedo criada para servir aos interesses do "governo", parece que tudo quanto é pesquisa nesse país só se faz nas universidades ligadas à esse mesmo "governo".

    Aqui, já sabemos muito bem que não existe um programa de estado em relação ao espaço. Na verdade, não existe nem sequer um programa de governo sobre isso, a não ser se o objetivo for sabotar tudo que já havíamos realizado antes, o que parece bem ser o caso.

    Será que os alunos das universidades privadas também não enxergam que justo eles que pagam, e pagam bem pelo aprendizado, deveriam ter laboratórios funcionando e produzindo pesquisa de altíssimo nível? Será que ninguém mais nesse país reivindica nada? Ou pior: será que eles nem sabem o que devem reivindicar?

    Pra liberar o uso de "erva" dentro de um campus, fizeram manifestação, protestos e quebra quebra. Que país o Brasil está se tornando?

    É tudo MUITO MUITO triste.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial