Astrônomo Brasileiro Trabalha Para Comprovar Época da Reionização

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (11/10) no site “Inovação Tecnológica” destacando que Astrônomo Brasileiro trabalha para comprovar Época da Reionização.

Duda Falcão

Plantão

Astrônomo Brasileiro Trabalha Para
Comprovar Época da Reionização

Com informações do Observatório Nacional
11/10/2014

[Imagem: Borthakur et al. - 10.1126/science.1254214]
Diagrama esquemático de uma região de formação de estrelas
similar à galáxia J0921+4509, objeto deste estudo.

A revista Science publicou nesta sexta-feira o artigo "Uma pista local para a reionização do universo" que trata da observação do vazamento de fótons ultravioleta de alta energia de uma galáxia próxima à Via Láctea.

O pesquisador Roderik Overzier, do Observatório Nacional (ON/MCTI), é um dos quatro autores do artigo.

Trata-se de um fenômeno previsto, até então, apenas em modelos teóricos, que teria acontecido na "Época da Reionização", quando as primeiras galáxias foram formadas, entre 400 milhões e 950 milhões de anos após o Big Bang.

"Nossas observações com o Telescópio Espacial Hubble mostram que, nessa galáxia [J0921+4509], novas estrelas estão sendo formadas em taxa tão intensa que o material que normalmente bloqueia os fótons de alta energia é removido por ventos e explosões fortes," conta Overzier.

"Assim, a radiação ultravioleta escapa da galáxia. Isso nunca foi observado antes," completa ele.

Época da Reionização

A Época da Reionização começou após o que se conhece por "Era das Trevas", que durou de 380 mil anos até 400 milhões de anos após o Big Bang.

Depois da luz inicial, uma névoa de gás hidrogênio neutro preencheu o universo. Produzidos por estrelas jovens e massivas, os fótons ultravioleta de alta energia foram responsáveis por ionizar todo o gás hidrogênio que ocupa o espaço entre as galáxias.

Mas até agora não se compreendia como isso poderia ter acontecido se, em condições normais, esses fótons não escapam das galáxias.

"A galáxia deste estudo é muito semelhante às galáxias da fase inicial do universo. Então, essa descoberta demonstra pela primeira vez como o processo de reionização do universo pode ter acontecido", explica o pesquisador.

"Nossa teoria é que as primeiras gerações de galáxias no universo também produziram ventos fortes e explosões que levaram à fuga dos fótons necessários para a reionização. Isso, porém, ainda precisa ser comprovado, observando diretamente galáxias no início do universo. Vai ser muito difícil, mas nosso estudo tem dado pistas muito importantes sobre como fazê-lo," concluiu o pesquisador.


Bibliografia:

A local clue to the reionization of the universe
Sanchayeeta Borthakur, Timothy M. Heckman, Claus Leitherer, Roderik A. Overzier
Science
Vol.: 346 no. 6206 pp. 216-219
DOI: 10.1126/science.1254214


Fonte: Site Inovação Tecnológica - http://www.inovacaotecnologica.com.br

Comentários

  1. Que bom que a astronomia brasileira continua produzindo pesquisas e resultados relevantes.

    Parabéns a esses e a todos os astrônomos brasileiros, profissionais e amadores, que diga-se de passagem também fazem contribuições muito relevantes na área.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial