AEB Apresenta Projeto de Ações Aeroespaciais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (09/10) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que a AEB apresenta hoje Projeto de Ações Aeroespaciais.

Duda Falcão

AEB Apresenta Projeto de Ações Aeroespaciais

Coordenação de Comunicação Social


Brasília, 9 de outubro de 2014 – Agência Espacial Brasileira (AEB) apresenta amanhã (10) o E2T – Educação, Espaço e Tecnologia, que consiste em um espaço online que reúne todas as ações da sua Diretoria de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento.

A apresentação será ás 9h no auditório da Agência com a participação do presidente da Agência, José Raimundo Braga Coelho, e dos secretários executivos dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Álvaro Prata, e da Educação (MEC), Luiz Costa.  O evento, que terá palestras dos representantes de todos os projetos incluídos na plataforma, será transmitido ao vivo pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) no link webconf2.rnp.br/aeb.

A página do programa será um ponto de união das informações dos projetos das universidades e instituições que exercem o ensino e execução das atividades aeroespaciais.

Entre as apresentações está a do Ubatubasat, nanossatélite desenvolvido por estudantes da Escola Municipal Tancredo Neves de Ubatuba (SP), que será feita pelo seu coordenador o professor Cândido Moura. O Ubatubasat, que faz parte do programa Sistema Espacial para a Realização de Pesquisas e Experimentos em Nanossatélites (Serpens), será lançado a partir da Estação Espacial Internacional (ISS. na sigla em inglês), operação já contratada pela AEB.

A estudante e estagiária da AEB, Elisa Gonçalves, apresenta o projeto do Centro Vocacional Tecnológico Espacial (CVT-Espacial), o primeiro espaço educacional da área espacial, no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal (RN). Nele, os participantes simularão missões espaciais completas, a partir de satélites educacionais.

O CVT-Espacial também será utilizado para sediar as competições de lançamento de foguetes e de satélites educacionais. Além disso, terá uma estrutura para capacitar pessoal técnico, facilitar a inserção social e qualificar professores, universitários e outras categorias nos temas relacionados com atividades espaciais.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bem leitor eu creio que essa seja a grande noticia que a AEB prometeu para o inicio de outubro. Devo dizer que apesar de reconhecer a sua relevância e de não acreditar anteriormente que algo realmente significativo pudesse ser anunciado (como por exemplo o apoio incondicional e efetivo aos Projetos do VLS-1, do VLM-1 e suas tecnologias associadas, do Motor L15, do Motor L75, do satélite Amazônia-1 e seus derivados e dos Projetos SARA e PSM, ou mesmo o fim definitivo desse desatino chamado ACS) espero que agora os otimistas de plantão que possam efetivamente contribuir comecem a entender que algo precisa ser feito urgentemente em prol do PEB.  Estamos ficando cada vez mais para trás. Não obstante ao que se esperava e ao que efetivamente foi entregue com esta notícia, não podemos deixar de reconhecer a sua relevância (CVT-Espacial). Isto é, desde que esta iniciativa seja realmente conduzida com competência e com seriedade, coisa que infelizmente eu não acredito que venha ocorrer, não só pela infeliz e desastrada politização e gestão atual da AEB, mas principalmente se a debiloide da DILMA permancer no poder com a sua trupe de energúmenos, como parece irá acontecer. Acompanhe este evento da AEB pelo link divulgado na notícia.

Comentários

  1. Bom, sobre essas iniciativas da AEB, eu sou tão ou mais cético que o Duda, afinal para uma agência que não conseguiu sequer levar adiante a competição de foguetes amadores que ela mesma propôs...

    Essa ideia do CVT-Espacial parece muito boa. Tomara que ela tenha consecução e sucesso.

    Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  2. E eu até hoje não consigo entender direito qual é a missão da AEB. Como não é ela que cuida dos satélites nem dos foguetes, só resta apoio à pesquisa e educação. Tendo um papel tão pouco claro e sendo tão desconhecida da população, fica difícil conseguir recursos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a diferença entre o que é e o que deveria ser...

      A intenção, até onde eu sei, seria centralizar na AEB todo o comando do PEB, mas como já estamos cansados de falar, enquanto perdurar essa estrutura maluca que divide as tarefas entre os militares fazendo os foguetes de um lado, vinculados ao MD e os civis fazendo satélites do outro vinculados ao MCTI, não existe a MENOR possibilidade de um comando centralizado. Afinal são muitos egos que precisam ser massageados.

      Querer fazer um remendo "meia boca", numa estrutura que sabidamente não funciona, ainda mais criando mais uma instituição governamental sem pé nem cabeça, que aparentemente só visa criar mais cargos para manter a situação atual.

      Essas instituições todas ligadas ao PEB hoje em dia, parecem, como foi muito bem descrito por um filósofo da escola futebolística contemporâneo (o Dé), como sendo "um monte de caranguejo amarrado: você solta, vai cada um pra um lado e não chegam a lugar nenhum".

      Nem Platão teria definido melhor !!!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial