CRN Desenvolve Constelação de Nanosatélites para o SBCD

Olá leitor!

Com a aprovação de um projeto no edital AEB/MCT/CNPq Nº 033/2010 (Formação, Qualificação e Capacitação de RH em Áreas Estratégicas do Setor Espacial), o Centro Regional do Nordeste (CRN) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) com uma possível parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e com instituições internacionais, iniciou em janeiro deste ano o desenvolvimento do “Projeto CANOSAT” que tem como principal objetivo conceber uma solução para o Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais – SBCD, baseada no uso de nano satélites (satélites de 1 a 10 kg) e em tecnologias emergentes nos ramos da eletrônica e de telecomunicações.

Segundo o site do CRN/INPE, este projeto permitirá a capacitação de recursos humanos e a agregação de especialistas no CRN para realizar um estudo detalhado de uma missão espacial para coleta de dados ambientais em todos os seus componentes.

Ainda segundo site do centro nordestino do INPE, para a realização desta missão, será necessário o envolvimento de competências complementares das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) locais e cooperação com as principais agências espaciais do mundo, no intuito de capacitar nova geração de especialistas. Através desse projeto, o CRN/INPE procura atrair pesquisadores da UFRN, agregando diversas competências técnicas e científicas para capacitação no setor espacial visando o desenvolvimento de uma constelação de nano satélites de baixo custo.

Além da garantia de continuidade da Missão Coleta de Dados Ambientais e a capacitação de novos especialistas, a execução do projeto possibilita o desenvolvimento de tecnologias espaciais, incorporando os avanços da nanotecnologia, informática, microeletrônica e telecomunicações. Dito de outra forma, o projeto irá promover a inovação tecnológica na região, podendo gerar impactos indiretos no sistema local de ciência e tecnologia.

Em outras palavras leitor, em nossa opinião, o INPE através do seu Centro Regional do Nordeste com o apoio desse edital da AEB/CNPq, cria uma nova demanda que deverá estimular nos próximos anos as iniciativas privadas no País como as do grupo Edge Of Space (Lançador PI de Picosatélite e o Veículo Lançador de Microsatélites), das empresas Acrux Aerospace Technologies (Projeto Montenegro) e Coyote Rockets Company (Projeto VTS - Veículo de Transporte de Satélites) e talvez ao NTA de Bezerros (PE), a encontrarem mais rapidamente uma solução para o lançamento desses nanosatélites, já que no momento não existe no Brasil qualquer projeto em curso que atenda adequadamente esse tipo de lançamento, sendo que o único que se aproximaria seria o projeto do VLM-1 (Veículo Lançador de Microsatélites) do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) que não seria adequado para esse tipo de satélites.

Duda Falcão


Fonte: Com informação do site do Centro Regional do Nordeste (INPE) - http://www.crn2.inpe.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial