Raupp Diz que Dará Continuidade ao Trabalho do Ganem

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (21/03) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando a posse do novo presidente da agência, o senhor Marco Antônio Raupp, ocorrida essa manhã no auditório da AEB em Brasília.

Duda Falcão

Novo Presidente da AEB Diz
que Dará Continuidade  às
Atividades Começadas Pelo Antecessor

CCS/AEB
21-03-2011

O ministro da Ciência e Tecnologia (MCT), Aloizio Mercadante, deu posse, hoje (21), ao novo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antônio Raupp. A cerimônia aconteceu, às 10h, no auditório da AEB.

Raupp é graduado em Física e especialista em análise numérica, pesquisador titular e ex diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), ex diretor e pesquisador titular do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), ex-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), ex- diretor geral do Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP) e membro titular da Academia Internacional de Astronáutica (IAA).

A cerimônia foi aberta pelo ex-presidente da AEB, Carlos Ganem. Em seu discurso, ele agradeceu as pessoas, os institutos e as indústrias que trabalharam com ele e desejou boa sorte ao novo presidente da instituição.

Logo após o discurso de Ganem, o ministro Mercadante deu posse ao novo presidente da AEB, Marco Antonio Raupp. Ele agradeceu ao ministro por colocar sob sua responsabilidade a coordenação das atividades espaciais do País.

“Esta não é a primeira vez em que trabalho no Programa Espacial Brasileiro. Fui presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) por quatro anos, mas estava fora do programa há mais de 20 anos”, disse Raupp. Ele contou que durante sua gestão no INPE promoveu ampla reorganização gerencial, o que permitiu com que o Satélite de Coleta de Dados (SCD-1) fosse lançado na meta prevista e que o Laboratório de Integração e Testes e o Centro de Rastreio e Controle fossem estabelecidos.

Segundo o novo presidente, seu governo dará continuidade às atividades começadas pelo antecessor. No entanto, ele pretende melhorar a performance das atividades do setor. “Para o pleno êxito do programa Espacial Brasileiro existem tarefas a serem cumpridas por todos os protagonistas”, afirmou Raupp. Para ele, a AEB precisa convencer a sociedade e o governo que o investimento no programa traz retorno essencial para o País nos serviços públicos, nas necessidades estratégicas (comunicações públicas fechadas, monitoramento de fronteiras), na capacitação tecnológica/inovativa, nas oportunidades de participação no mercado espacial mundial, entre outros.

Ao final de seu discurso, Raupp propôs ao ministro Mercadante e ao secretário-executivo do MCT, Antônio Elias, uma reunião de avaliação crítica do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) e do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (SINDAE). “Os resultados dessa reunião servirão como base de atuação das instituições comprometidas”, disse o presidente.

Após a fala de Raupp, o ministro Mercadante tomou a palavra. Ele citou que a política seguirá no mesmo ritmo do governo anterior em prol do crescimento da Ciência e Tecnologia do País, colocando-a no centro de investimentos governamentais. Mercadante argumentou que o Brasil é a sétima economia do mundo e, por isso, não pode ter o investimento insuficiente que se tem hoje para Ciência e Tecnologia. “Todos os países a nossa frente na economia tem um programa espacial importante. Os investimentos deles em C&T são enormes. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, citou diversas vezes em seus discursos no Brasil, o quão importante é para economia de cada país ter uma área de tecnologia da informação forte”, disse o ministro.

Segundo ele, para que esses recursos sejam repassados é necessário que os prazos estabelecidos para os projetos sejam cumpridos. Mercadante disse, ainda, que 2012 será o divisor de águas para o programa espacial, já que muitos projetos, como o Veículo Lançador de Satélites (VLS) e o Cyclone 4, serão lançados. Essas iniciativas darão a visibilidade ao setor espacial se forem bem sucedidas e, certamente, chamarão atenção de governantes e da sociedade civil.

O ministro, ratificou, ainda, a sua posição favorável em relação às cooperações internacionais, como a que o Brasil tem com a China que resultou na série de Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS, sigla em inglês). O governo pretende estender os contratos para a manutenção do acordo. Por fim, Mercadante explicou o porquê da escolha de Raupp para a presidência da AEB. “Raupp tem espírito público, é dedicado, otimista e motivado”, concluiu Mercadante.

O evento contou com a presença dos ex-presidentes da AEB, Ivan Meira Filho, Miguel Henze e Múcio Dias; do secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Carlos Nobre; do secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do MCT, Marco Antonio de Oliveira; do diretor do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), Luiz Guilherme Silveira de Medeiros; do diretor- presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Pedro Arraes; do astronauta Marcos Pontes; dos diretores da Alcântara Cyclone Space (ACS), Roberto Amaral e Oleksander Serdyuk; do diretor do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Antônio Moura; do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, entre outros.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro