A Importância da Contrainteligência no COMAER

Olá leitor!

Segue abaixo um interessante artigo publicado na coluna “Pensando Inteligência” da edição de março de 2011 do jornal “NOTAER” da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando a importância da contrainteligência no Comando da Aeronáutica (COMAER).

Duda Falcão

Pensando Inteligência

A Importância da Contrainteligência
no COMAER

Centro de Inteligência da Aeronáutica

A Atividade de Inteligência gera o conhecimento necessário à assessoria das autoridades que conduzem uma organização em prol da execução de suas variadas missões. Porém, tão importante quanto a produção do conhecimento é a proteção do conhecimento que já se detém ou daquele que se busca.

A Contrainteligência é o ramo da Inteligência que se ocupa da proteção do conhecimento de posse de uma organização.

A Contrainteligência é inseparável de toda e qualquer atividade de caráter sigiloso relacionada aos interesses do COMAER. Suas ações decorrem das necessidades estabelecidas pela Inteligência, sendo efetivadas conforme decisão das autoridades competentes, em todos os níveis. Os principais ramos de atuação da Contrainteligência são: A Segurança Orgânica, a Contraespionagem e a Desinformação. No caso mais prático, o da Segurança Orgânica, se foca a segurança física das áreas, instalações (barreiras, sensores, alarmes, cofres, prédios, sistemas de segurança etc), documentação (classificação de documentos, manuseio conforme a classificação, trâmites sigilosos, desclassificação, destruição etc), TI (segurança lógica e física, compartimentação, criptografia etc), comunicações (meios seguros de comunicação e criptografia) e, também, do pessoal (seleção, acompanhamento, desligamento, treinamento, capacitação etc).

É muito importante que todo o pessoal do COMAER sinta-se responsável pela integridade e preservação da segurança das áreas e instalações, materiais, documentação e meios de TI, pois não apenas o setor de contrainteligência é responsável por isso. Podemos exemplificar: o cumprimento de todos os protocolos, normas e demais procedimentos relacionados com o acesso às organizações, o envio e recebimento de documentação e de mensagens (de quaisquer tipos), aquilo que se fala, para quem se fala e onde se fala, os cuidados com senhas, códigos, identificações, cartões de acesso e etc.

Toda e qualquer atividade ou ocorrência suspeita que fira os preceitos de conduta de sigilo da organização, o acesso indevido aos diversos setores, o extravio de documentação ou de materiais, questionamentos estranhos por parte de pessoas externas ao COMAER, entre outros, devem ser comunicados ao setor de segurança ou de inteligência de sua organização ou da organização mais próxima do COMAER.

Deve-se lembrar, constantemente, que por mais sofisticados, caros, estruturados e bem montados que sejam os sistemas de proteção dos conhecimentos eles serão tão fortes ou vulneráveis conforme o pessoal que os suporta.


Fonte: Jornal “NOTAER” da FAB - pág. 02 - março de 2011

Comentário: Bom, muito bom mesmo notar que a preocupação do Comando da Aeronáutica (COMAER) com a contrainteligência tem aumentado nos últimos anos e que sirva de exemplo para o Comando da Marinha, para o Comando do Exercito e para todas as instituições do país envolvidas no desenvolvimento de ciência e tecnologia. O problema é muito sério ainda mais agora que o Brasil atingiu um prestígio relevante no cenário internacional. Exemplificando a gravidade do problema, em alguns países do mundo o traidor que troca informações por dinheiro, além de ser junto com a sua familia execrado publicamente é também punido com a morte.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022