NASA Apresenta Conceito de Nave Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (21/03) no site “Inovação Tecnológica” destacando que a NASA apresentou um novo conceito de nave espacial.

Duda Falcão

Espaço

NASA Apresenta Conceito de Nave Espacial

Redação do Site Inovação Tecnológica
21/03/2011

Nesta configuração completa, a Nautilus poderia manter uma
tripulação de 6 astronautas por um período de até 2 anos.
[Imagem: NASA]

Nautilus

A NASA divulgou os primeiros esboços de uma nave espacial voltada para a exploração espacial de longa duração.

A nave, chamada Nautilus-X, é projetada para ficar permanentemente no espaço, ou seja, ela deverá ser construída no espaço e não terá estrutura própria para pousar em planetas, luas e asteróides.

Contudo, a nave é modular, e pode ser construída em diversas configurações, dependendo da missão.

Como os módulos são interconectados de maneira semelhante aos módulos da Estação Espacial Internacional, os veículos de pouso podem ir acoplados ao corpo principal da nave, separando-se quando a Nautilus entrar em órbita do alvo a ser explorado.

Nautilus é uma homenagem ao submarino do capitão Nemo, o personagem de Júlio Verne em Vinte Mil Léguas Submarinas. Nautilus-X é uma sigla um tanto forçada para Atmospheric Universal Transport Intended for Lengthy United States X-ploration.

Esta seria uma configuração para exploração de um asteróide.
ou outro corpo celeste próximo à Terra. [Imagem: NASA]

Gravidade Artificial

O que mais se destaca na nave é a presença de uma estrutura giratória destinada a gerar gravidade artificial.

A chamada "centrífuga integrada" pode ser um elemento importante para o conforto e bem-estar da tripulação, além de minimizar os efeitos danosos do ambiente de microgravidade sobre a saúde humana, ainda que não seja capaz de gerar o ambiente equivalente a 1G.

Em uma configuração completa, incluindo a capacidade para múltiplas missões - como a exploração de mais de um alvo no espaço - a Nautilus poderia manter uma tripulação de 6 astronautas por um período de até 2 anos.

A NASA estima que a Nautilus poderá ser construída
usando a Estação Espacial Internacional como estaleiro
[Imagem: NASA]

O bloco básico de construção da nave são as estruturas infláveis atualmente em desenvolvimento pela Bigelow Aerospace, que planeja colocar um hotel espacial em órbita da Terra.


A NASA estima que a Nautilus poderá ser construída usando a Estação Espacial Internacional como estaleiro.

A construção levaria pouco mais de 5 anos (64 meses) a um custo estimado em US$3,7 bilhões, o que não inclui os módulos de pouso na Lua, em Marte em em algum asteróide.

Concepção do uso da Nautilus como um posto avançado,
estacionado no Ponto de Lagrange L1, para a exploração da Lua.
[Imagem: NASA]


Fonte: Site Inovação Tecnológica

Comentário: O blog não costuma abordar notícias espaciais de outros países que não tenha algum envolvimento brasileiro. Entretanto, não poderia deixar de postar essa nota para demonstrar aos leitores como estamos atrasados com o nosso programa espacial, apesar de termos completado 50 anos esse ano. O mundo caminha para o espaço onde as oportunidades são incalculáveis e infelizmente a nossa sociedade e os nossos governantes não perceberam até hoje a importância disso. Temos os EUA com projetos sendo desenvolvidos visando viagens a Lua, Marte e asteróides, como também a Rússia, China, Japão, Índia e a Comunidade Européia através da ESA (Agência Espacial Européia). Em contrapartida, o Brasil, apesar de ter o quarto programa espacial mais antigo do mundo, não conseguiu se quer colocar um satélite no espaço por seus próprios meios. Isto terá um custo no futuro e as nossas crianças de hoje, adultos do amanhã, é que terão de administrar esse erro estratégico cometido pela sociedade brasileira de hoje. Lamentável.

Comentários

  1. Esta reportagem me lembra 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968). Tanto o livro quanto o filme. O antigo conceito gravidade artificial gerado por centrífuga integrada não foi abandonado, como eu havia imaginado. Aos poucos toma forma a verdadeira conquista do espaço. Os voos tripulados translunares começaram há mais de 40 anos e os interplanetários parecem já estar à vista! Ainda assim, é um longo caminho até lá.

    ResponderExcluir
  2. Não resta dúvida disso Antônio. Entretanto amigo, a minha preocupação é que eles (os estrangeiros) já estão trilhando esse caminho e a nossa sociedade nem mesmo percebeu a sua existência. Estamos ficando para trás a passos largos, e isto terá um custo muito alto, principalmente para um país que hoje já é a sétima economia do mundo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. O conceito já havia sido proposta pela NASA, pelo Werner von Braun, nos anos 60. Alias, ele foi consultor de "2001", durante a produção do filme. Muitas das naves que aparecem lá, são projetos da NASA, daquela epoca. O problema é que o conceito de gravidade de uma nave ou modulo circular sempre foi caro, e só agora parece que irão começar a desenvolver.

    ResponderExcluir
  4. Quanto o Brasil, bem, o Brasil...
    Vejam como os outros paises estão bem adiantados.
    Russia, EUA e China, são os unicos que possuem veículos de transporte ao espaço tripulados. A India pretende colocar seu primeiro homem no espaço por volta de 2015,2016 no máximo até 2020. E agora soube que o Irã, com todos aqueles embargos, também pretende colocar o homem no espaço da ´década de 20 ou mais além.
    A Europa e JAPÃO, possuem lançadores potentes, mas preferem trabalhar em conjunto com Russia e EUA. Eles são somadores para receber o conhecimento em conjunto.
    O Brasil...bem, esquece esta parte.

    ResponderExcluir
  5. Olá Ricardo!

    Realmente amigo esse conceito já havia sido proposto pelo saudoso Werner von Braun nos anos 60, inclusive se não estiver enganado através de um projeto de uma estação espacial circular. Entretanto, tratando-se do Brasil, acredito que mais cedo ou mais tarde, queira ou não, a sociedade brasileira terá de mudar essa sua visão e teremos de investir num programa espacial tripulado, seja individualmente ou coletivamente através de uma Agência Espacial Latino Americana (AELA), o que em minha opinião seria o mais viável. Estamos longe disso, certamente, até porque nem capacidade de lançamento próprio de satélites ainda temos, mais acredito que nos próximos 10 anos o Brasil e a Argentina e talvez o México venham liderar a criação dessa agência e ai seria uma passo natural e necessário o estabelecimento de vôos tripulados, sejam por desenvolvimento próprio ou em parceria com americanos, russos e chineses.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  6. De fato, a ideia de se usar a força centrífuga para gerar gravidade artificial (ou, como alguns preferem, gravidade simulada) não é nova. O relato mais antigo de que disponho sobre ela remonta a época de Konstantin E Tsiolkovsky, quando ele pretendia resolver o problema relativo à higiene humana, o banho de chuveiro, ou, mesmo, a manipulação de líquidos, a bordo de um hipotético veículo espacial (foguete), segundo li num livro da década de 1960, em fins do século XIX.

    Mais tarde, em fins da década de 1920, em 1928, um oficial do exército austríaco (acho que li sobre isso na saudosa revista Cosmos, derivada do periódico Tecnologia & Defesa, de curta duração, infelizmente, em 1986-7) teria apresentado um trabalho sobre estações espaciais, onde propunha uma estrutura em forma de anel rotativo (produzindo, claro, gravidade simulada) orbitando a terra. A energia elétrica seria produzida através de um globo transparente, situado no eixo do anel, coletor de irradiação solar que aqueceria água, num circuito fechado. A pressão resultante na tubulação acionaria um gerador de energia, suprindo a estação.

    Os sonhadores engenheiros aeroespaciais de 1920s, 1930s, 1940s, 1950s etc tiveram uma rica fonte de onde beber essas inovadoras ideias. Quero, aliás, sugerir um documento rico para pesquisa dessa época: o filme mudo alemão de 1929 "Frau im Mond" (A Mulher na Lua), do diretor Fritz Lang (Metropolis - 1927). Essa produção da UFA teve a assessoria técnica do famoso engenheiro-cientista Herman Oberth. Os nazis, que estavam aos poucos aumentando sua influência política, percebendo o extremo valor das ideias plausíveis apresentadas no filme, chegaram a pedir ao governo alemão que retirasse o filme de cartaz e guardá-lo como documento estratégico secreto!

    ResponderExcluir
  7. Humm, interessante suas informações Antônio. Confesso que as desconhecia por completo. Vejo que históricamente estas muito bem informado sobre os primordioso do desenvolvimento da tecnologia espacial, principalmente quanto a esse conceito de gravidade artificial. Para mim o mesmo tinha sido proposto inicialmente pelo Werner von Braun com o projeto da estação espacial circular não aprovada pela NASA nos anos 60 e é bom saber que essa idéia nasceu muito antes dessa época.

    Forte abraço

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  8. Este é, pelo que sei, o primeiro projeto sério de uma estação espacial idealizado pelo Prof Wernher von Braun em 1945 e apresentado pelo exército dos EUA em 1946:

    http://www.astronautix.com/craft/vonation.htm

    Convem lembrar que ainda em 1946 foi considerada a ideia de se usar bombas atômicas para impulsionar veículos espaciais em voos interplanetários, o que culminou, na década de 1950, no Projeto Orion. Segundo os cientistas, esse tipo de propulsão possibilitaria uma viagem por todo o Sistema Solar em questão de semanas!

    De fato, o diretor de cinema Stanley Kubrick estava entusiasmado pelo Projeto Orion. A primeira concepção de sua "espaçonave" Discovery, para seu projeto cinematográfico 2001: A Space Odyssey, seria pautada no Orion. Mas com o Tratado de Moscou de Armas Nucleares (1963), que proibia detonações atômicas na atmosfera da Terra e no espaço sideral, o Projeto Orion foi arquivado. Kubrick, decepcionado, foi obrigado a modificar a Discovery, tornando-a um veículo de propulsão nuclear mais convencional, o plasma.

    ResponderExcluir
  9. Humm, interessante Antônio, então quer dizer que o Wernher von Braun já havia proposto uma estacão espacial circular aos americanos desde de 1946?

    Muito interessant amigo, o que demonstra uma vez mais que esse cara era um gênio e se não tivesse sido podado por anos pelos americanos, muito provavelmente teria realizado bem mais do que realizou. Uma pena.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  10. Outra curiosidade interessante. A pretigiosa Sociedade Interplanetária Britânica / British Interplanetary Society (da qual o cientista e escritor scifi Arthur C Clarke passou a integrar a partir de 1936) já tinha estudos sobre voos tripulados à Lua em 1939! Vide imagens nesta page:

    http://www.britain-in-space.co.uk/1930/

    Este desenho do veículo MoonLander foi revisado em 1947!

    ResponderExcluir
  11. Olá Antônio!

    Muito interessante amigo. Veja como bem antes já existia uma movimentação grande em busca de alcançar o objetivo lunar. E hoje não existe mais por parte dos americanos, o que eu considero um erro estratégico muito grande, pois é na Lua (o objeto mais próximo da Terra) que se poderia testar as tecnologias e as metodologias de sobrevivência no espaço. O “Programa Espacial Americano” literalmente perdeu o rumo e nesse ritmo será ultrapassado.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes