Brasil e EUA Fecham Acordo para Lançar Satélite em 2012

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (21/03) no site “R7 Notícias” destacando estranhamente que segundo o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o senhor Fernando Pimentel, a presidente DILMA fechou acordo com o presidente OBAMA para lançar um conjunto em 2012.

Duda Falcão

Tecnologia e Ciência

Dilma e Obama Fecham Acordo para
Lançar Satélite em Conjunto em 2012

Ministro do Desenvolvimento Diz que Objetivo é
Monitorar Clima para Evitar Tragédias

Raphael Hakime, do R7
21/03/2011 às 16h35

Roberto Stuckert Filho/Presidência
Dilma e Obama brindam em almoço oferecido ao
presidente dos EUA;  acordo prevê lançamento de
satélite de monitoração de mudanças climáticas

O Brasil deverá lançar no ano que vem um satélite para monitorar as alterações climáticas em parceria com os Estados Unidos. O lançamento será feito no ano que vem a partir da base de Alcântara, no Maranhão, embora esse prazo possa mudar.

A declaração foi feita pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, nesta segunda-feira (21) em encontro com empresários em São Paulo.

O convênio, segundo ele, foi negociado no encontro a portas fechadas entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente americano, Barack Obama, no último sábado (19) em Brasília.

– O acordo ainda vai ser feito, mas houve uma sinalização do presidente Obama de que existe o interesse dos Estados Unidos em ajudar o Brasil. O interesse do Brasil é fazer um lançamento rápido de um satélite dentro de dois ou três anos no máximo. [Para mais detalhes,] vocês têm que perguntar para o ministro de Ciência e Tecnologia [Aloísio Mercadante].

O objetivo, segundo Pimentel, é fazer o monitoramento meteorológico para prevenir catástrofes como a que atingiu a região serrana do Rio de Janeiro em janeiro deste ano.

De acordo com Pimentel, o Brasil forneceria o local de lançamento, enquanto a NASA (Agência Espacial Americana) entraria com o veículo lançador de satélite – uma tecnologia que o Brasil ainda não domina.

– A nossa idéia é fazer o lançamento da base de Alcântara, já que é um satélite equatorial e estamos em uma região privilegiada. Até onde eu sei, o satélite não é tão complicado. O problema é o veículo lançador.

Outros Progressos

Além do acordo aeroespacial, a reunião entre Obama e Dilma rendeu outros bons frutos, embora não tenham impacto imediato. De acordo com o ministro, o principal avanço foi a criação de um canal de comunicação direto com um presidente americano – “algo que não tínhamos há muito tempo”, explicou Pimentel.

Na área energética, de acordo com o ministro, Dilma negociou a venda de petróleo processado do Pré-sal para os Estados Unidos, que temem um desabastecimento no curto e no médio prazos por causa das recentes rebeliões populares que ocorreram em países fornecedores, no Oriente Médio e no norte da África.

– Ao mesmo tempo, a presidenta tentou incluir a venda de etanol para os Estados Unidos.

Outros pontos ressaltados por Pimentel foram a criação de uma comissão permanente de consulta comercial, entre o MDIC (Ministério do Desenvolvimento) e o departamento de comércio dos Estados Unidos. O objetivo é evitar casos como o do algodão, diz Pimentel.

Fonte: Site R7 Notícias

Comentário: Veja bem leitor, apesar da credibilidade reconhecida do site "R7 Notícias" essa notícia esta truncada. Atualmente não existe qualquer possibilidade do Brasil lançar de Alcântara um satélite de monitoramento climático em 2012 utilizando-se de um foguete americano. Caso o ministro Fernando Pimentel tenha dito isso ao jornalista Raphael Hakime, o mesmo perdeu uma grande oportunidade de ficar calado. Na verdade o que existe é uma negociação em curso com a NASA para acelerar o lançamento do satélite meteorológico GPM-BR, parte integrante da constelação de satélites do programa “Global Precipitation Measure (GPM)” que é liderado pela NASA e pela agência espacial do Japão (JAXA) com a participação de agências de outros países. Esse satélite que ainda nem começou a ser desenvolvido terá tecnologia brasileira, francesa e americana e estava previsto para ser lançado entre 2015 e 2016 pelos americanos. O que o governo deve está querendo devido as catástrofes ocorridas no país nos últimos dois anos, é acelerar essa previsão trazendo-a para 2013 ou 2014 (o mais provável) e muito provavelmente negociando para a assinatura do acordo de salvaguarda tecnológica que permitiria assim o lançamento desse satélite de Alcântara utilizando-se o Cyclone-4, já que o satélite terá peças de origem americana. A possibilidade do uso de um foguete americano de Alcântara mesmo com a assinatura do acordo é praticamente nula, já que iria de encontro aos interesses da mal engenhada empresa bi-nacional ACS. A não ser que a presidente DILMA realmente pretenda até lá dar um golpe mortal nessa mal engenhada empresa, o que sinceramente não acreditamos que aconteça. Entretanto, existem três problemas nessa história, o primeiro seria convencer os americanos a acelerar o lançamento, o segundo assinar um acordo de salvaguarda tecnológica que seja aprovado em tempo hábil pelos Congressos Americano e Brasileiro e em terceiro o INPE demonstrar competência para deixar o satélite pronto para voar em 2014.

Comentários

  1. Façam suas apostas o jogo está lançado? Espero que o Brasil consiga cumprir suas promessas! Mas se não houver vontade política acho dificil conseguir entregar esse satélite proposto no tempo provido!

    ResponderExcluir
  2. Olá Mensageiro!

    Como disse no meu comentário, não existe possibilidade nenhuma desse satélite ser lançado em 2012. Mesmo que todas dificuldades fosse resolvidas a tempo o que é praticamente impossível, não existe tempo hábil para o desenvolvimento de um satélite desse porte (algo em torno de 800 kg) partido-se do zero. A notícia esta truncada.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial