Roskosmos Festeja 50 Anos do Vôo de Gagarin

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo postado dia (21/03) na coluna “ASTROvia” do jornal digital “Via Fanzine”, destacando que a Roskosmos (Agência Espacial Russa) irá comemorar dia 12/04 os 50 anos do vôo histórico do Cosmonauta Yuri Gagarin, o primeiro homem no espaço.

Duda Falcão

Rússia

Roskosmos Festeja 50 Anos
do Vôo de Gagarin

Evento comemorativo deverá reunir grandes nomes da
cosmonáutica e astronáutica em todo o mundo

Por Pepe Chaves*
De Belo Horizonte-MG
Para ASTROvia
21/03/11

No Brasil, Gagarin foi condecorado por Jânio Quadros
com a maior honraria nacional na Guanabara e recebeu o
beijo da jovem Sonja Gracie, da alta sociedade carioca.
Leia o artigo exclusivo: Ele nos contou que a Terra é azul

A celebração do 50º Aniversário do voo ao espaço do cosmonauta russo, Yuri Gagarin, será celebrado no dia 12/04 próximo. Para comemorar o jubileu do feito histórico, a agência espacial russa “Roskosmos” convidará para uma recepção, os chefes das agências espaciais de todo o mundo.

De acordo com declarações do subdiretor da Roskosmos, Vitali Davídov à imprensa em 23/03, “A Roskosmos convidará para uma recepção os chefes das agências espaciais e a todos os cosmonautas dos vários países que voaram em nossas naves para as estações espaciais Mir e ISS”, disse Davídov.

O subdiretor do Instituto Científico de Construção de Maquinaria, Oleg Klishev, anunciou que dentro das comemorações da data histórica será publicada uma coleção de documentos "extraoficiais" sobre o voo de Yuri Gagarin, o primeiro que levou o homem ao espaço.

Telegrama de Kennedy, de 12/04/1961, em tradução do autor:
‘O povo dos Estados Unidos saúda o povo da União Soviética pela
satisfação do lançamento do primeiro homem numa viagem espacial.
Nos congratulamos com todos os cientistas e engenheiros soviéticos
que tornaram este feito possível. E o meu sincero desejo é que as viagens
espaciais continuem e que nossas nações possam trabalhar juntas para a
obtenção de grandes benefícios para todos’ .
John F. Kennedy – Presidente EUA.

Gagarin

Yuri Alekseyevich Gagarin, nasceu em 09 de março de 1934 e se tornou o primeiro homem a deixar a gravidade terrestre para trás e comprovar com seus próprios olhos que a Terra é azul. Esta foi a notícia enviada por ele a todo o mundo, ainda da órbita terrestre.

Sua visão privilegiada pôde contemplar a totalidade da esfera terrestre de forma magnífica e ímpar, até então. A paisagem de desolação e beleza que ele narrou, viria a ser comprovada por outros viajantes espaciais, pouco tempo depois. A Terra era mesmo azul, conforme ele falou, e isso, todo o restante da humanidade também constatou, através de imagens diversas que passaram a surgir, após sua histórica viagem.

Casado, pai de dois filhos, Gagarin nasceu em Gzhatsk, província de Smolensk, na Rússia. Até ser selecionado como o primeiro homem a ir ao espaço, Gagarin percorreu um longo caminho nas forças armadas de seu país. Ele iniciou sua carreira na Força Aérea Soviética, como piloto de MiG-15.

Em 2009, este autor escreveu o artigo Ele nos contou que a Terra é azul, uma síntese da trajetória de Yuri Gagarin, até se tornar um ícone da cosmonáutica. O artigo destaca também a sua passagem pelo Brasil, no início da década de 1960, quando foi recebido pelo então presidente da República, Jânio Quadros. Este artigo exclusivo pode ser lido na íntegra clicando aqui.

* Pepe Chaves é editor do diário digital Via Fanzine e do portal ASTROvia.

- Com informações das agências.

- Colaborou J. Ildefonso P. de Souza (SP).

- Links relacionados:



Fonte: Site do Diário Digital “Via Fanzine”

Comentário: Pois é leitor, grande feito do povo russo há 50 anos, imortalizando o nome do Cosmonauta Yuri Gagarin pelo tempo que durar a espécie humana. Infelizmente os feitos alcançados pelo nosso programa espacial nesse mesmo período estão longe dos alcançados por russos, americanos, chineses, japoneses, indianos, iranianos, entre outros. Entretanto, a esperança é grande com a chegada do físico e pesquisador Marco Antônio Raupp a presidência da AEB, apesar das dificuldades que o mesmo terá de enfrentar. O blog “BRAZILIAN SPACE” saúda o povo russo e os familiares do cosmonauta Yuri Gagarin por essa data histórica, lamentando que o mesmo não esteja vivo para assim poder receber as devidas e justas homenagens.

Comentários

  1. Enfim, chegamos ao 50º aniversário do 1º voo espacial tripulado da História. Os povos soviéticos tiveram justificado orgulho de seu progama espacial. Foram muitas vitórias.

    Hoje vivemos um momento de reflexão sobre tudo isso. Se não se der continuidade a empreendimentos como esse corre-se o risco de nos tornarmos somente uma nota no rodapé da História. O Tempo é o senhor implacável da vida. Tudo transforma. Nos dias de hoje a Federação Russa, herdeira-mor da extinta União Soviética, luta para salvar e manter o que resta de sua outrora sólida infraestrutura aeroespacial, cada dia mais distante (gasto anual, há vinte anos, de US$2,9 bilhões). Atualmente trabalhando em clima de joint-venture com algumas nações e tem projetos espaciais em conjunto. Irônicamente, a Rússia deu início ao turismo espacial! O que os antigos líderes soviéticos diriam disto?!

    Quero destacar as fotos de Yuri A Gagarin no Brasil, em 1961. Essa do Jânio Quadros condecorando o primeiro cosmonauta/astronauta da História, já conhecia. A da socialite Sonja Gracie, não. E o telegrama do Presidente John F Kennedy, que nunca havia visto.

    Congratulações, Falcão.

    ResponderExcluir
  2. É isso ai amigo Antônio!

    Agradeço pelas congratulações. Entretanto amigo, apesar da diminuição dos recursos do programa espacial russo, o mesmo tem alcançado sucesso e deverá nos próximos anos intensificá-los com a chegada da nova família de foguetes Angara. Os planos russos são amplos em bem desafiadores para os próximos 20 anos e causa preocupações aos americanos que ainda tem de conviver com a ameaça chinesa. Para piorar as coisas em minha opinião a NASA está enfrentando talvez a maior crise de sua história, não só pela diminuição de recursos, mas principalmente pela falta de foco e de visionários que coloquem a instituição de volta ao rumo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Mas a NASA tem um trunfo na manga, está jogando a responsabilidade dos voos em orbita baixa na mãos das empresas americanas que não costumam fracassar! Pode ser o início de uma nova era o dos voos privados e acessível! Quanto a falta de visão concordo, ficaram com medo de perder a corrida para a China e largarão mão de chegar a lua!

    Em vez resolveram pousar em um asteróide acho muito dificil que consigam primeiro pela baixa gravidade do corpo e segundo que o asteroide não é um corpo de campo central! Sendo assim o movimento kleperiano não é valido! Vai ficar dificil orbitar em torno de um asteroide e depois descer com um modulo de aterrisagem!

    Vamos esperar pra ver!

    Enquanto isso no Brasil! continuamos brigando pra lançar uma pedra para o alto!

    ResponderExcluir
  4. Olá Mensageiro!

    Isso é verdade. No entanto, as respostas não estão na orbita da Terra e sim a partir da LUA para o espaço profundo. Quanto à possibilidade de pouso em asteróides, realmente é mais complicado, mais já foi feito por uma nave robótica japonesa. O problema é que apesar de existir algo consistente com relação ao uso de empresas privadas nos vôos na orbita da Terra, a NASA ainda não tem um objetivo claro para os próximos 20 anos em vôos tripulados, além de terem descartado a possibilidade do uso do grande laboratório lunar, onde poderiam ganhar a experiência necessária para testar tecnologias e desenvolver as metodologias necessárias para a colonização do espaço. Enquanto isso russos e chineses sabem exatamente o que querem e a corrida está lançada. Já para o Brasil essa nova década será decisiva, ou acordamos, ou a nossa sociedade irá pagar o alto preço de dependência tecnológica.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial