Preparations to Launch TEXUS 49 has Started

Hello reader!

It follows one communicates published in english on the day (17/03), in the site of the "Swedish Space Corporation (SSC)", announcing that finally the preparations to launch TEXUS 49 has started.

Duda Falcão

Preparations to Launch
TEXUS 49 has Started

17/03/2011

Esrange Space Center is once again visited by rocket engineers and scientists focused on performing experiments in micro gravity onboard a sounding rocket.

This time it is TEXUS 49, a rocket flight financed by the German space organization DLR, that will be launched to an altitude of 270 km, giving 6-7 minutes of micro gravity conditions.

The payload consists of 3 experiment modules with a total of 4 experiments.



Source: Website of the Swedish Space Corporation (SSC)

Comentário: Pois é leitor, como já havíamos antecipado anteriormente (veja a nota "SSC Deverá Iniciar Brevemente Preparativos para TEXUS 49") começa os preparativos para o lançamento da "Operação TEXUS 49" da Base de Lançamento de Esrange, na Suécia. Mais uma vez será utilizado o foguete brasileiro VSB-30 e desde já desejamos sucesso ao DLR e principalmente ao nosso Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), responsável pelo desenvolvimento deste foguete.

Comentários

  1. Falando como leigo que sou, não entendo como um foguete de sucesso como o VSB30 não recebe atualizações e cresce a fim de se tornar um lançador(VSB40???)para injetar microsatélites e satélites de pequeno porte no espaço(SARA???).
    Porque nosso programa está praticamente parado. Nada é feito ou projetado(faze de transição???).
    Nos que torcemos por um Programa Espacial eficiente estamos frustrados.
    Fernando Molina

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernando!

    Veja bem amigo, temos de separar as coisas. O VSB-30 foi um foguete concebido pelo IAE para ser suborbital por solicitação do German Aerospace Center (DLR) visando ser utilizado no “Programa Europeu de Microgravidade". O VS-40 foi desenvolvido pelo IAE na década de 90 inicialmente para testar tecnologias que seriam empregadas no VLS-1, mas será utilizado pelo DLR no segundo semestre desse ano para lançar o experimento alemão SHEFEX II da Base de Woomera, que fica no sul da Austrália. Atualmente o Brasil trabalha seriamente em três projetos de veículos lançadores que se encontram em três níveis diferentes de desenvolvimento. Trata-se do VLS Alfa, que está ainda em projeto preliminar, o VLM-1 (Veículo Lançador de Microsatélites) este em parceria também com o DLR alemão e empresas brasileiras (encontra em nível de desenvolvimento dos motores) e o projeto do VLS-1, que deverá fazer seu primeiro vôo tecnológico (VLS-1 XVT-01) no primeiro semestre de 2012. Lembrando que para ser um veículo lançador de satélites o foguete tem de atingir a velocidade de escape, ou seja, 28.000 km/h. Caso contrário ele pode até ir mais alto, mas não entre em órbita. Tá ok amigo?

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. É a minha ansiedade por atividades, acho que estou angustiado por ver todos que antes estavam atraz ou igual passarem a nossa frente(Corea, Irã, China, India, Japão, Israel, etc...).
    Vamos então esperar pra ver.
    Fernando Molina

    ResponderExcluir
  4. Olá Fernando!

    Eu entendo a sua insatisfação e a compartilho da mesma. No entanto você parece ser mais jovem do que eu (acompanho o PEB desde 1971 quando tinha então 7 anos, hoje tenho 47) e essa situação não tem jeito, temos de aguardar. Infelizmente o PEB passou por sucessivos governos que não lhe deram a devida importância e chegamos nessa situação, mas eu confio no trabalho do IAE e de seus valorosos servidores civis e militares.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial