MIL Defende Criação da Agência Espacial Luso-Brasileira


Olá leitor,

O blog recebeu hoje pela manhã através de um e-mail o comunicado abaixo do senhor Rui Martins, membro da direção do MIL (Movimento Internacional Lusófono) onde o mesmo defende a criação da Agência Espacial Luso-Brasileira, assunto este abordado pelo blog dias atrás (veja as notas Missão Portuguesa Visita o Brasil para Discutir Parcerias , Portugueses Propõem Criação de Agência Espacial).

Apesar de entendermos e apoiarmos os nobres motivos apresentados pelo senhor Rui Martins e pela entidade a ele ligada, a MIL, visando o apoio pela criação de uma “Agencia Espacial Luso-Brasileira”, o blog BRAZILIAN SPACE entende que, devido à total desordem administrativa de um barco a deriva onde o seu capitão e seus primeiros oficiais estão completamente perdidos na condução do “NA PEB”, essa iniciativa portuguesa no momento só traria mais confusão ao já bagunçado “Programa Espacial Brasileiro”.

Em outras palavras, o Blog BRAZILIAN SPACE entende que não seria o momento para que esta iniciativa portuguesa (apesar de justa e de ser uma boa idéia) fosse colocada em prática, pois devido à falta de comando e de estrutura administrativa do setor espacial no Brasil a possibilidade de fracasso dessa boa idéia no momento seria muito grande para se correr o risco.

No entanto, o blog BRAZILIAN SPACE acredita que esta situação de desordem (que esperamos não perdure por muito tempo) não impediria que instituições do PEB se envolvessem em projetos conjuntos na área espacial com entidades portuguesas e da comunidade lusófona (inclusive achamos que já exista algo nesse sentido), coisa que poderia ser estendida também para outras entidades brasileiras, portuguesas e lusófonas na área de oceanografia.

Assim sendo, o blog “BRAZILIAN SPACE” agradece o contato do senhor Rui Martins pedindo-lhe que tenha um pouco de paciência, pois infelizmente na opinião do blog ainda não é o momento de se criar a Agência Espacial Luso-Brasileira.

Duda Falcão
(Blog Brazilian Space)


Bom Dia,

Sendo membro da direção do MIL: Movimento Internacional Lusófono - entidade que emitiu o comunicado em anexo:

http://www.movimentolusofono.org/2010/03/11/proposta-mil-por-uma-concertacao-lusofona-na-investigacao-oceanografica-e-aeroespacial/

Gostaria de lhe apresentar a existência do mesmo, apelando aos seus comentários e sugestões nesta área que consideramos tão vital para o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico do nosso país e para o aprofundamento das ligações entre os países da CPLP (leia-se Comunidade dos Países de Língua Portuguesa).

Cumprimentos,

Rui Martins
MIL: Movimento Internacional Lusófono

http://www.movimentolusofono.org

Comunicado

PROPOSTA MIL: POR UMA CONCERTAÇÃO LUSÓFONA NA
INVESTIGAÇÃO OCEANOGRÁFICA E AEROESPACIAL

Sabe-se que em muitos lugares do espaço lusófono existe ainda fome. E muita pobreza. E condições de vida muito precárias. E poucas ou nenhumas possibilidades de ter uma vida digna – desde logo, de ter acesso à educação. O MIL sabe isso e por isso pugna, em primeiro lugar, para que todos os lusófonos possam ter acesso à educação, à saúde, e a tudo aquilo que permite, de facto, uma vida digna.

Não ignorando as condições de pobreza nas quais ainda vivem partes significativas da comunidade lusófona, o MIL, porém, não se pode alhear dos instrumentos e das condições tecnológicas que forjam a construção do futuro da humanidade. Nessa medida, o MIL apela a uma concertação lusófona também na investigação de ponta – nomeadamente, na investigação oceanográfica e aeroespacial. Neste último caso, constituindo-se uma Agência Lusófona para o Espaço, com delegações em todos os países lusófonos, apesar de, neste campo como noutros, Portugal e o Brasil estarem mais avançados. Daí, a esse respeito, a recente notícia segundo a qual “investigadores da Universidade do Minho propõem criação da Agência Espacial Luso-Brasileira”. O MIL apóia esse propósito, sublinhando, contudo, que esse empreendimento deve ser alargado aos restantes países lusófonos, na medida das possibilidades de cada um.

Que essa futura Agência Lusófona para o Espaço se constitua como um farol de esperança e confiança na Humanidade e na Civilização, que expresse o que há de melhor no espírito humano e na dádiva maior que é a inteligência e o saber, como factores de progresso e renovação do ideal de um mundo melhor.

MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO
www.movimentolusofono.org

Comentários

  1. Também acho nobre da parte dos irmãos portugueses, mas concordo com o Duda. Na atual fase do nosso programa espacial, não é um bom momento.
    Portugal, nos ultimos anos, tem feito alguns progressos na área espacial, e faz pouco tempo que conseguiu entrar para a ESA, a Agencia Espacial Europeia.
    Quem sabe no futuro, um programa conjunto de satélites, como o Duda mesmo falou, sobre a explorar de recursos marinhos, importante para um país como o Brasil e Portugal. Mas vamos dar o TEMPO AO TEMPO !

    ResponderExcluir
  2. Pois é Ricardo,

    Diferentemente do que os irmãos portugueses pensam, o setor espacial no país é uma verdadeira bagunça e conseqüentemente não tem como apoiar com propriedade esta justa causa lusófona. Infelizmente não é o momento, temos que primeiro de arrumar a casa.

    Forte abraço

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Na minha opinião seria algo bastante positivo.

    Estamos a perder os nossos crânios para outros países.

    No entanto para isto avançar é preciso os governos investirem, algo que duvido que aconteça, para eles é mais importante os carros de luxo pagos com o nosso dinheiro.

    Isto não vai passar de um sonho.

    Mas quem sabe....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial