IEAv Apresenta o Motor do Veículo Hipersônico 14-X


Olá leitor!

Segue uma notícia postada hoje (18/03) no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) informando que no inicio de março o Diretor do IEAv, Cel. Eng. Marco Antonio Minucci, apresentou ao Diretor-Geral do DCTA, o Ten. Brigadeiro do Ar Cleonilson Nicácio Silva, o motor do futuro Veículo Hipersônico 14-X.

Duda Falcão

IEAv Apresenta o Motor do Veículo Hipersônico 14-X

18/03/2010

No início de março de 2010, o Cel. Eng. Marco Antonio Sala Minucci, Diretor do Instituto de Estudos Avançados, apresentou ao Ten. Brig. Ar Cleonilson Nicácio Silva, Diretor-Geral do DCTA, o motor “scramjet” que será integrado, em futuro próximo, ao Veículo Hipersônico 14-X.

O 14-X, concebido, em meados de 2005, pelo Cel. Marco Antonio, e pelo Dr. Paulo Gilberto de Paula Toro, foi projetado, em 2006 pelo 1º Ten. Eng. Tiago Cavalcanti Rolim, pesquisador do IEAv. A aerodinâmica do Veículo Hipersônico 14-X, que incorpora as tecnologias “waverider” (que possibilita sustentação) e “scramjet” foi realizada experimentalmente no Túnel de Choque Hipersônico T3, do Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica Prof. Henry T. Nagamatsu (IEAv), com financiamento da FAPESP.

Um dos módulos do motor “scramjet” (primeiro a ser desenvolvido no Brasil), medindo cerca de 1,0 m de comprimento, foi projetado por Gabriela Silva Moura, doutoranda do ITA, e fabricado pela OxTig (Usinagem Industrial e Engenharia). Planeja-se instalar o módulo do motor “scramjet”, em junho de 2010, na seção de teste do Túnel de Choque Hipersônico T3, o qual possibilita simular as condições de pressão e temperatura, assim como de número de Mach (velocidade) correspondentes ao vôo real em regime hipersônico do Veículo Hipersônico 14-X.

Basicamente, o motor “scramjet” é composto por uma entrada de ar supersônica, pelo combustor (isolador e câmara de combustão) e pela tubeira ou superfície de expansão (bocal). A entrada de ar desacelera o escoamento para velocidade supersônica, transformando a energia cinética associada em pressão. A geometria da entrada de ar é responsável para que o ar a ser aspirado pelo combustor esteja nas condições necessárias para a ignição da mistura ar combustível. O processo de compressão varia de acordo com a faixa de velocidade, comprimento disponível do veículo, entre outros parâmetros geométricos do veículo. No combustor, ao escoamento supersônico é adicionado o combustível, em geral um hidrocarboneto ou mesmo Hidrogênio. Então, os produtos da combustão são acelerados pela tubeira, uma superfície de expansão livre, onde o empuxo é gerado.


Esquema Conceitual de um Scramjet



Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

Comentário: Esta é a grande notícia da semana até o momento na opinião do blog. O projeto do Veículo Hipersônico 14-X explora a inovadora e ainda não dominada tecnologia hipersônica de propulsão a ar aspirado. O Brasil é um dos países de ponta na pesquisa desta tecnologia e planeja já em 2012 realizar o primeiro vôo deste veículo. O objetivo do mesmo é servir no futuro bem próximo como uma espécie de shuttle para lançamento de nano e microssatélites e num futuro mais distante aproveitar a tecnologia desenvolvida para desenvolver aviões hipersônicos. Parabéns ai IEAv.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022