Ganem Vai a Pequim Discutir Cooperação Espacial


Olá leitor!

Segue uma notícia postada hoje (19/03) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que o presidente da AEB, Carlos Ganem, integrará a delegação interministerial que estará em Pequim, na China, entre os dias 24 e 26 de março para tratar da cooperação em ciência e tecnologia.

Duda Falcão

Cooperação Científica e Tecnológica

Coordenação de Comunicação Social/AEB
19-03-2010


O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Ganem, integra a delegação interministerial que estará em Pequim, na China, entre os dias 24 e 26 de março, para tratar da cooperação em ciência e tecnologia, em áreas como nanotecnologia, informática, biotecnologia e espaço. Na pauta da AEB consta a continuidade do Programa Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS). A intenção é ampliar e diversificar o Programa na busca de novas formas de parcerias.

Os integrantes da delegação brasileira participarão de reuniões técnicas e temáticas com vistas à discussão sobre o andamento e eventual ampliação de projetos bilaterais de cooperação em ciência, tecnologia e informação. “As relações, no âmbito espacial, entre China e Brasil, são um marco emblemático construído a partir dos anos 80, e avançam, agora, a ponto de oferecer novos modelos e perspectivas”, diz Carlos Ganem. Segundo ele, há expectativas de se estabelecer parcerias, oferecendo oportunidades de acesso às tecnologias espaciais a outras nações do continente africano. Esta rodada de debates antecede a visita, em abril, do presidente chinês Hu Jintao, ao Brasil. Na ocasião, deverão ser assinados diversos acordos de cooperação entre os dois países


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: O blog espera que o senhor Carlos Ganem possa trazer desse encontro com os chineses em Pequim boas novidades e não só a desejada ampliação do programa CBERS. Existem possibilidades até já discutidas (como a do desenvolvimento de um satélite radar de Abertura Sintética - SAR) visando substituir o projeto do MAPSAR (caso os alemães desistam) ou mesmo sucede-lo. No entanto, o blog entende que poderia ser estudadas outras possibilidades de parceria em projetos tanto na área de satélites, como também nas áreas de tecnologias de foguetes e mesmo tecnologias sensíveis. E quem sabe até mesmo um hipotético vôo do Marcos Pontes no programa espacial tripulado chinês. Rsrsrs, quem sabe?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial