Slingatron Pretende Arremessar Cargas ao Espaço Sem Foguete

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada ontem (23/07) no site “Inovação Tecnológica” sobre uma iniciativa de uma empresa americana que pretende arremessar “Cargas ao Espaço” sem o uso de foguetes.

Duda Falcão

Espaço

Slingatron Pretende Arremessar
Cargas ao Espaço Sem Foguete

Com informações da Physicsworld
23/08/2013

[Imagem: HyperV]
A ideia é construir um protótipo do Slingatron
para impulsionar um objeto de 100 gramas a uma
velocidade de um quilômetro por segundo.

Arremesso Espacial

O nome lembra os melhores projetos da ficção científica: Slingatron.

Em português seria algo como "atiratrônica", já que sling é o termo em inglês para funda, o tipo de atiradeira que Davi teria usado para derrotar Golias.

A empresa emergente HyperV Technologies está propondo demonstrar que essa tecnologia pode substituir os foguetes, impulsionando objetos diretamente para o espaço.

Para isso, ela está pedindo dinheiro, através de uma campanha no site de arrecadações Kickstarter.

A ideia é construir um protótipo do slingatron para impulsionar um objeto de 100 gramas a uma velocidade de um quilômetro por segundo.

A emprega garante que seu último protótipo, de 2 metros de altura, acelerou um objeto de 230 gramas a 100 metros por segundo (100 m s-1).

Se conseguir o dinheiro com o público, o objetivo é construir um slingatron de 5 metros de diâmetro para gerar velocidades 10 vezes maiores, abrindo caminho para um slingatron de tamanho prático, capaz de lançar cargas a 11 km-1 - rápido o suficiente para que a carga entre em órbita.

Os criadores da HiperV acreditam que o conceito será muito mais barato do que lançamentos de foguetes convencionais, apesar de só ser apropriado para cargas não-humanas, que podem resistir a uma aceleração equivalente a 60.000 g.

[Imagem: HyperV]
Uma versão prática da funda espacial seria colocada
em uma torre móvel, permitindo fazer a mira
para colocar o objeto na órbita correta. 

Atiradeira Espacial

O slingatron é baseado em uma antiga arma conhecida como funda, que consiste em uma corda dobrada, no centro da qual é posto o objeto a ser arremessado - a pessoa gira a corda com a carga em torno da cabeça com frequência cada vez maior, soltando uma de suas extremidades para fazer o arremesso.

No slingatron, a corda é substituída por uma pista em espiral que gira a uma frequência constante. Quando um objeto é posto no centro, ele segue pela pista seguindo um raio crescente, indo mais e mais rápido conforme vai para a borda.

Quanto maior for o raio final - e maior a frequência de rotação - mais rápido o objeto vai voar quando sair pela extremidade da pista.

Dennis Bushnell, cientista-chefe do Centro de Pesquisa Langley, da NASA, comentou a ideia para o site Physicsworld.

Segundo ele, um estudo feita pela NASA há menos de 10 anos concluiu que os slingatrons seriam "a abordagem tipo 'arma' mais interessante" em termos de custo e capacidade para lançar cargas ao espaço.

"Vale a pena um estudo mais aprofundado e sério", disse ele. "[Mas] se [HyperV] tem bolsos fundos o suficiente para arcar com isso é algo ainda por ser demonstrado," concluiu.

Ela não tem, já que apelou para uma campanha pública. Mas a NASA também parece não ter, já que não alocou nada para a pesquisa, mesmo considerando-a a opção mais promissora.

A esperança para tirar a prova, então, está com o público.


Fonte: Site Inovação Tecnológica

Comentário:  Eu trouxe leitor essa notícia para o blog por achá-la estranha, mas como não sou um especialista da área espacial, espero que a mesma estimule um debate entre os profissionais do setor que são leitores de nosso blog. O que vocês acham dessa ideia?

Comentários

  1. Não faz muito sentido esse projeto, pra colocar algo em órbita você precisa de energia cinética e potencial. Toda a energia necessária deve ser gerada pelo estilingue. Essa energia é tão alta, que qualquer material que pese 100g vai se desfazer com o atrito da atmosfera.
    Eu não vejo nenhuma possibilidade disso se concretizar, prefiro acreditar no elevador espacial.

    Abraços,

    Lucas

    ResponderExcluir
  2. Eu já assisti um documentário onde alguns cientistas experimentais construíram um canhão nas mesmas dimensões propostas no livro de Julio Verne: Da terra à Lua.
    Se não me falhe a memória estes cientistas conseguiram atirar um objeto a 100Km de altura com este canhão, neste documentário eles provaram que não seria possível fazer uma viagem tripulada à lua por meio da propulsão de um canhão, mas de qulaquer forma arremessar algo a 100Km de altura é um feito considerável na minha opinião.
    O canhão de Julio Verne e o Slingatron tem bastante semelhanças mas o Slingatron apresenta a vantagem de acelerar um objeto de 0 a X Km/h evitando danos em um possível circuito eletrônico ou estrutura do suposto satélite.

    Mas em minha modesta opinião eu não acredito (Ainda) que este Slingatron seja capas de satelizar algum objeto, dado a sua falta de controle sobre o objeto em vôo, salvo no caso em que for lançado uma cápsula controlável pós lançamento. Em outras palavras o Slingatron serviria como primeiro estágio de um foguete convencional, mas se considerar-mos o Slingatron como o único propulsor ele pode ser utilizado para arremessar cargas de sondagem (Igual o que o VSB30 e outros da categoria já faz) sem o uso de foguete. Mas talvez com mais pesquisa sobre a proposta seja possível ampliar sua utilização.

    ResponderExcluir
  3. O maior problema são as perdas aerodinâmicas, não é interessante lançar na troposfera abaixo dos 20 Km de altitude.
    A potência do motor elétrico para acionar um dispositivo com capacidade para atingir velocidades orbitais seria proibitivo.
    Acelerações muito altas restringem muito o tipo de carga útil.
    No passado foram feitos testes utilizando-se projéteis propulsados por foguetes disparados por canhão para vôo suborbital com possibilidade de vôo orbital, infelizmente as pesquisas foram interrompidas.
    Miraglia
    www.edgeofspace.com.br

    ResponderExcluir
  4. Vejo futuro promissos para esta atiradeira espacial containers protegidos por camada antifricção com alimentos poderiam ser atiradas para a orbita para abastecer estações espaciais e mandar para orbita de marte com sementes submarinos podem ser atirados para a orbita, combustivel, para ir a marte mais confortavel temos que ter logistica. Partes de equipamentos para a lua mandadas mais rapido e mais Barato preparar o caminho.sajunhanapere@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Podem ser util para cargas para marte,lua com calculo de direção stiling espacial dimensionando tamanho pode atirar grandes cargas econômizando tempo equipamentos para mineração,bases na Lua,Marte grandes equipamentos podem ser arremessados diminuindo custos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial