O Que Podemos Esperar Ainda do PEB em 2013?

Caros leitores!

Hoje é terça-feira, 20 de agosto de 2013, e alguns de vocês podem estar se perguntando o que de efetivo está reservado para o Programa Espacial Brasileiro até o final do ano?

Ora, se levarmos em conta de que na história do PEB a única coisa certa no programa é de que nada é certo, eu diria a vocês que seria melhor esquecer o ano de 2013 e já começarmos a pensar nas expectativas para o ano de 2014, que também não são das melhores.

Entretanto, até o final do ano atividades espaciais que envolvem a participação do Brasil em projetos de outros países, em projetos brasileiros em conjunto com outros países e em projetos exclusivamente brasileiros, estão previstos e poderão se realizar.

Na primeira categoria, ou seja, projetos de outros países, a participação brasileira se resumirá no fornecimento de foguetes de sondagens para realização de experimentos científicos e tecnológicos europeus e de outras nações em ambiente de microgravidade. Essas atividades deverão ocorrer da Base de Esrange, na Suécia e da Base de Andoya, na Noruega, através da realização das seguintes operações de lançamento:

OPERAÇÕES DE LANÇAMENTO PREVISTAS
Operações
Foguete
Base de Lançamento
Período




HIFIRE-7
VSB-30
Andoya
Setembro
Scramspace I
VS-30/Orion
Andoya
Setembro
TEXUS-51
VSB-30
Esrange
Outubro
Cryofenix
VSB-30
Esrange
Novembro
ICI-4
VS-30/Orion
Andoya
Novembro/Dezembro

Já na segunda categoria, ou seja, a de projetos brasileiros em conjunto com outros países, a expectativa gira em torno de uma única atividade, essa na área de satélites, ou seja, o lançamento do Satélite de Sensoriamento Remoto CBERS-3, fruto de uma parceria com a China estabelecida no final da década de 80 do século passado.

Segundo o que tem sido divulgado pela mídia, a expectativa é que esse terceiro satélite dessa parceria Brasil-China seja lançado da China em outubro através de um foguete chinês da série Longa-Marcha.

Entretanto, existem entre os próprios técnicos do INPE grandes dúvidas se o processo de preparação do satélite após o problema ocorrido com os conversores DC/DC de origem norte-americana, tenha sido conduzido com a seriedade e comprometimento necessários e dentro do tempo hábil exigido nessas situações, devido a pressões de ordem política, gerando com isso o temor de que algo possa sair errado, coisa que (a meu ver) seria um desastre incalculável para a já desacreditada e extremamente ‘chacotada’ imagem do Patinho Feio do MCTI. Mas enfim, só nos resta torcer e muito para que nada saia de errado com o CBERS-3, seja em outubro, ou quando o mesmo venha a ser lançado.

Com relação à terceira categoria, ou seja, a de projetos exclusivamente brasileiros, duas atividades significativas estão previstas para ocorrerem até o final do ano.

Na primeira delas, na área de satélites, uma equipe coordenada pelo conhecidíssimo pesquisador do INPE, Dr. Otávio Santos Cupertino Durão, está se preparando para lançar ao espaço o Primeiro Cubesat Brasileiro, ou seja, o “NanosatC-BR 1”, projeto este de um nanosatélite que foi desenvolvido entre o INPE, a UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), com a participação também da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), que desenvolveu para o projeto o software para tornar o componente “FPGA industrial” resistente à radiação espacial.

Segundo o que nos foi passado pelo Dr. Otávio Durão, o NanosatC-BR 1 já se encontra em processo de integração no “Laboratório de Integração e Testes (LIT)” do INPE, e a expectativa é de que o mesmo possa ser colocado no espaço em dezembro, ou no mais tardar em janeiro de 2014, através de um lançador chinês, ou através de um lançador russo respectivamente. Agora leitor, só nos resta torcer que a equipe do Dr. Durão possa realizar os seus objetivos com sucesso, e jogar assim um pouco de luz sobre o nosso desacreditado programa espacial.

Já quanto à segunda atividade citada dessa categoria, segundo foi divulgado pelo diretor do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), Coronel César Demétrio Santos, em entrevista ao "Jornal Estado do Maranhão" (veja aqui), está previsto para ocorrer a partir de novembro desse centro de lançamento, as atividades relacionadas com a Operação Raposa”, que visa o lançamento de um veículo de sondagem VS-30 com experimentos científicos e tecnológicos embarcados para realização e aprimoramento de estudos em distintas áreas.

Ora, os leitores mais antenados podem com eu perguntar que experimentos científicos e tecnológicos embarcados são esses citados pelo Cel. Demétrio Santos? Porém, infelizmente até o momento não houve um esclarecimento por parte do coronel e nem por parte do IAE, gerando com isso uma grande ansiedade e nos levando a fazer especulações sobre o que possa ser esses experimentos.

Já disse que não sou profeta, se assim fosse já teria ganho na loteria e não estaria aqui necessitando fazer uma campanha para manutenção do blog, mas, modesta parte, sou um bom observador e procuro juntar informações numa espécie de quebra-cabeça que me possibilita fazer algumas projeções, onde na maioria das vezes erro, mas também acerto de vez em quando, afinal sou humano, mas confesso aos leitores que me divirto muito nesse processo.

Diante disso, em minha modesta opinião existem cinco possibilidades que podem esclarecer quais seriam os objetivos dessa “Operação Raposa”.

A primeira delas e talvez a menos provável, é que seja uma missão contratada pelo Centro Aeroespacial Alemão (DLR) para testar experimentos científicos e tecnológicos alemães.

Já a segunda possibilidade é que seja uma missão diretamente ligada a “Operação Brasil-Alemanha”, realizada entre novembro e dezembro de 2011 do CLBI, dando continuidade as experiências com os experimentos embarcados naquela operação.

A terceira possibilidade é que seja uma missão diretamente ligada a “Operação Iguaíba” realizada entre novembro e dezembro de 2012 do CLA, dando continuidade as experiências com os experimentos embarcados naquela operação (notem como os períodos são semelhantes).

A quarta possibilidade foi exposta pela Cap. Cristiane Pagliuco do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) em entrevista recente ao blog (veja aqui), quando a mesma disse que sua equipe estava trabalhando para testar em voo no final desse ano, o “Sistema de Alimentação Motor Foguete (SAMF)” acoplado a um motor-foguete líquido L5, coisa que seria feito através de um sistema composto por um foguete VS-30, pelo L5 e pelo SAMF.

Já a quinta e ultima possibilidade, e certamente a mais significativa e produtiva de todas, seria, caso possível, a junção da missão do L5/SAMF com uma missão com experimentos científicos a bordo, mas como eu disse, isso tudo não passa de especulações desse autor que comete mais erros do que acertos.

Vale lembrar também caros leitores de que em outubro do ano passado (diferentemente do que pensava o autor desse artigo) as expectativas da comunidade espacial eram grandes quanto ao que seria realizado em 2013 pelos players envolvidos com o PEB, bem maiores do que deveria ser e bem próxima à ficção científica, diante dos empecilhos criados por um governo irresponsável, populistacorrupto, incompetente e totalmente descompromissado para com o programa, coisa que a meu ver não mudará para 2014, ou seja, vem aí mais um ano sem grandes realizações e de grandes surpresas para muitos, mas não para esse autor.

Duda Falcão

Comentários

  1. E sobre a agonizante situação da carência de pessoal do DTCA, há alguma notícia ou especulação?

    Sei que há um concurso em andamento, mas com esses cortes de verba, você tem alguma informação se este concurso irá para a frente (ainda este ano?) e haverá um começo de reposição de pesquisadores do setor aeroespacial?

    E parabéns por mais uma ótima postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael!

      Não tenho essa informação amigo, mas creio que com os cortes esse concurso deva ser prejudicado sim.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Temo pelo SARA Suborbital. O motor-foguete L15 foi cancelado quase na finalização, e o SARA parece ter sido (de repente) tirado do agenda. Minhas grandes esperanças nesse ano estavam no lançamento desse experimento.

    Infelizmente isso não é de surpreender, e cada ano que temos um fraco crescimento económico representa uma diminuição das verbas destinadas para o PEB e outros setores. Este governo é um desastre em todos os sentidos. Infelizmente não tenho grandes esperanças para as eleições de 2014, que colocará mais algum candidato da esquerda caviar no poder,mas espero que a mente da população venha a ser moldada o suficiente para perceber que esses políticos nunca nos representaram.

    PSDB, PT e Rede, só trarão mais do mesmo para o nosso PEB.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite