O PAC da Defesa

Olá leitor!

Segue uma noticia publicada hoje (23/08) no jornal “Brasil Econômico” destacando que o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), está empenhado, em incluir pelo menos quatro projetos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sendo um deles a retomada do programa de lançadores de satélites em Alcântara.

Duda Falcão

Mosaico Político

O PAC da Defesa

O deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), está empenhado, em incluir
pelo menos quatro projetos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Gilberto Nascimento
Brasil Economico
23/08/13 - 10:12

"O mais importante é a garantia de fluxo
financeiro", diz o deputado Nelson Pellegrino. 
O presidente da Comissão de Relações Internacionais e Defesa Nacional da Câmara, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), está empenhado, junto com o Ministério da Defesa, em incluir pelo menos quatro projetos da área no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A luta para inclusão no PAC é um pouco como sair do inferno para o céu orçamentário sem escala no purgatório: uma vez incluídos entre as prioridades, os projetos ganham proteção contra cortes e contingenciamentos e inclusão automática nos orçamentos anuais. "O mais importante é a garantia de fluxo financeiro", diz o deputado. O Ministério da Defesa foi uma das maiores vítimas dos cortes em 2013: dos R$ 18,7 bilhões previstos para este ano, 22,4% (R$ 4,1 bilhões) foram contingenciados.

O mais recente deles, realizado em julho, chegou a R$ 900 milhões. Outro muito afetado em julho foi o próprio Ministério da Fazenda: como principal patrocinador dos contingenciamentos, teve que dar o exemplo.

Os projetos eleitos por Pellegrino são: a retomada do programa de lançadores de satélite em Alcântara, escanteado desde a explosão que atingiu parte da base, há 10 anos; o desenvolvimento de veículos aéreos não tripulados (VANT); o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, que tem a fiscalização das fronteiras da região amazônica entre seus alvos principais, e o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul, destinado a fiscalizar o território marítimo brasileiro ao longo de toda a costa - com prioridade para as áreas de exploração do pré-sal. Os dois últimos projetos demandariam pelo menos R$ 20 bilhões nos próximos 10 anos.


Fonte: Site do Jornal Brasil Econômico

Comentário: Caro leitor, já havíamos abordado aqui no blog essa iniciativa do conterrâneo Pellegrino por considerarmos uma boa alternativa para questão orçamentária do PEB. Entretanto, vejo essa ação com desconfiança, pois o Pellegrino não seria exatamente a pessoa certa para conduzir essa iniciativa, mas enfim... Além disso, mesmo resolvendo o problema orçamentário (apesar de serem de fácil solução se houver comprometimento) outros grandes problemas ainda atravancarão o desenvolvimento de nosso PEB, já que todas as supostas ações do governo DILMA ROUSSEFF (em algumas áreas como a de reposição e contratação de novos servidores) são ações vaga-lumes, sem qualquer consistência e prazo para serem efetivamente concluídas, sem falar da existência dessa lei incompatível com as atividades de ciência e tecnologia e de tantos outros senões. Vamos acompanhar o final dessa história.

Comentários

  1. É incrivel como os socialistas/comunistas não mudaram suas táticas. Ao mesmo tempo que fazem oposição, criam também uma base que será aliada do próprio partido. Um dos próprios membros do PT se diz favorável ao esforço espacial a ponto de incluí-lo no PAC. Se acontecer uma pessoa não vai saber se ama ou se odeia o PT... mas tudo isso tem uma estratégia por trás, e é algo bem nefasto: ter o controle de toda e qualquer operação espacial. O governo vai querer depois receber os louros de todo esse esforço, apesar de ter feito tudo para acabar com a moral dos técnicos. Isso é "1984" de Orwell!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022