Ministro Defende Repatriação e Redes de Pesquisa

Olá leitor!

Como já dito aqui ontem (veja a nota Ministro Mercadante é Entrevistado Pela TV NBR) o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, pretende repatriar pesquisadores brasileiros que trabalham no exterior e criar redes de pesquisa fora do Brasil articuladas com instituições brasileiras entre outras ações nesta área. Abaixo segue uma nota postada ontem (20/01) no site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destacando melhor os planos do ministro Mercadante.

Duda Falcão

Ministro Defende Repatriação e
Redes de Pesquisa Fora do País

20/01/2011 - 19:00

(Foto: Elza Fiúza/ABr)
O ministro da Ciência e Tecnologia,
Aloizio Mercadante, durante entrevista
ao programa "Bom Dia Ministro"

Incentivar a volta dos cientistas brasileiros que estão no exterior,e ainda estimular a formação de redes fora do Brasil articuladas com as instituições de pesquisa nacionais. Na avaliação do Ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, essa é uma medida necessária para alavancar ainda mais a produção do conhecimento no País.

Mercadante sustenta que, somente nas universidades americanas, existem aproximadamente três mil professores brasileiros lecionando e que muitos estariam interessados em participar de forma ativa do esforço nacional em ciência, tecnologia e inovação.

No programa de rádio Bom Dia Ministro, realizado nesta quinta-feira (20), produzido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Aloizio Mercadante falou da estratégia de aproveitar o atual cenário de crescimento econômico para atrair talentos ao Brasil.

“O Brasil hoje é um país que está entre as economias que tiveram melhor desempenho na crise e está crescendo 7% ao ano. É um país que tem estabilidade e começou a ter políticas de inclusão social e distribuição de renda. Tem uma democracia consolidada, estado de direito e liberdade de imprensa. O Brasil virou um país que atrai a opinião pública mundial”, ressaltou.

Mercadante citou iniciativas de sucesso implantadas pela Índia e pela China, que apostaram em políticas de incentivo e de aproximação dos seus cientistas em atuação fora do País. Outras experiências brasileiras também estão sendo avaliadas na intenção de montar uma rede de inteligência para trabalhos conjuntos e parcerias. A criação de um portal na internet e a oferta de bolsas também está nos planos do novo ministro.

“Há interesse, há disposição. Nós vamos eleger quais são as áreas estratégicas que nós queremos motivar e vamos oferecer bolsas para que esses pesquisadores venham para o Brasil, inclusive talentos estrangeiros, por um período, por exemplo, de dois anos, a chamada bolsa sanduíche ao contrário”, afirmou Mercadante.


Fonte: Site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)

Comentário: Limitando-nos ao setor aeroespacial (sé é que o mesmo será eleito como uma das áreas verdadeiramente estratégicas no governo DILMA), existem hoje diversos pesquisadores brasileiros trabalhando na NASA, na ESA entre outras agências espaciais e empresas aeroespaciais mundo afora que poderiam estar trabalhando no ou com o “Programa Espacial Brasileiro”. Se realmente essa idéia do ministro Mercadante não for mais um jogo de cena, essa atitude poderá mudar a cara de nosso programa espacial em poucos anos. Entretanto, o senhor Mercadante está viajando pelo país fazendo promessas e ratificando outras já feitas pelo ex-ministro Sérgio Rezende em diversas áreas da ciência e tecnologia, algumas inclusive que exigirão enormes recursos, como o Laboratório no mar, o Sistema de Alerta, o setor Nuclear, um novo anel de “Luz Síncrotron” de terceira geração, o “Reator Multipropósito” para pesquisa científica e para fabricação de radiofármacos, entre outros. Sinceramente não acreditamos que o mesmo venha realizar nem ¼ disto. Pago pra vê.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial