Ministro Anuncia Sistema Nacional de Prevenção e Alerta

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (17/01) no site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destacando que o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, anunciou hoje em Brasília a criação do “Sistema Nacional de Prevenção e Alerta”.

Duda Falcão

Ministro Anuncia Sistema Nacional
de Prevenção e Alerta

17/01/2011 - 14:30

Foto: Ricardo Stuckert / PR
Mercadante acredita que dados do sistema
devem estar disponíveis no próximo verão

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, anunciou nesta segunda-feira (17), a criação do Sistema Nacional de Prevenção e Alerta. O anúncio foi feito depois da reunião da presidente, Dilma Rousseff, com o ministro Mercadante, e com os ministros da Defesa, Nelson Jobim, da Justiça, José Eduardo Cardozzo, da Integração Nacional, Fernando Bezerra, da Saúde, Alexandre Padilha, e Casa Civil, Antonio Palocci.

A expectativa é a de que o sistema esteja em funcionamento integral em quatro anos. No entanto, Mercadante afirmou que os dados das áreas de risco mais críticas já devem estar disponíveis no próximo verão.

Segundo Mercadante, o sistema vai informar sobre os desastres naturais mais comuns no Brasil, como os deslizamentos de terra e inundações que ocorreram na região serrana do Rio de Janeiro na última semana. Para ajudar a evitar novas tragédias, o sistema vai usar o supercomputador adquirido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) para melhorar a previsão do tempo.

“O computador pode esquadrinhar o Brasil a cada cinco km² e aumenta a nossa capacidade de processar as informações. Isso nos dará informações mais precisas sobre a condição tempo em cada local crítico.”, afirmou Mercadante. “Para aprimorar os nossos dados vamos também ampliar a nossa rede de radares meteorológicos e comprar pluviômetros. Assim saberemos o volume e o local onde vai chover.”

O Sistema Nacional de Prevenção e Alerta será coordenado pelo secretário de Políticas de Programas de Pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia, Carlos Nobre. O secretário foi diretor do Inpe por 12 anos. A estimativa é a de que exista aproximadamente 500 áreas de risco no Brasil, com cerca de cinco milhões de pessoas morando nesses locais.

Reportagem Canal GoboNews - 17/01/2011


Fonte: Site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)

Comentário: Outro paliativo, não resolve, ameniza, mais não resolve. A Defesa Civil e os órgãos competentes precisam ter a informação de uma possível catástrofe com tempo suficiente para uma mobilização planejada com antecedência, coisa que só pode ser prevista com um satélite meteorológico. Os especialistas falam sobre isso há mais de 20 anos e os erros continuam ocorrendo, portanto não venham chorar num futuro próximo o provável leite derramado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial