Mostra em Brasília Reúne Soluções e Inovações nas Áreas Aeronáutica, Espacial e de Defesa

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (03/09) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que mostra em Brasília irá reunir até o dia 06/09 soluções e inovações nas áreas Aeronáutica, Espacial e de Defesa.

Duda Falcão

APARELHAMENTO

Mostra Reúne Soluções e Inovações
na Área de Defesa em Brasília

FAB participa da exposição BID Brasil com mísseis e maquetes de foguetes

Publicado: 03/09/2014 - 11:15h


Em um área de 36 metros quadrados, a Força Aérea Brasileira (FAB) apresenta, na 3ª Edição da Mostra da Base Industrial de Defesa (BID Brasil), equipamentos e maquetes das áreas de defesa, aeronáutica e espaço. O evento, realizado no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília, vai até o próximo sábado (6/9), quando será aberto ao público em geral no período das 9h às 17 horas. (área externa). Quem visitar o estande da FAB poderá ver maquetes de foguetes lançadores de satélites, como VS 30, VSB 30 e VLS. Também estão expostos mísseis MAR-1 e MAA-1B e bombas BEX 11, utilizadas em treinamento.

Nesta edição participam da feira 84 empresas, um aumento de 20% em relação ao ano passado. A abertura oficial do evento, na terça-feira (2/9), contou com a participação do ministro da Defesa, Celso Amorim, e dos comandantes do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri; da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto; e da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito.

O ministro da Defesa ressaltou a importância da indústria de defesa e destacou o aumento de investimentos na área. “Quando nós olhamos para trás e vemos como se comportou o investimento em defesa nos últimos dez anos, vimos que ele saiu de 900 milhões de reais para mais de 9 bilhões de reais, o que significa um crescimento considerável desse setor. Isso não quer dizer que não tenhamos dificuldades, mas temos sistematicamente conseguido obter das autoridades econômicas aquele essencial para que os principais projetos, ou pelo menos a maioria esmagadora deles, não tenham sido interrompidos”, analisou Celso Amorim.

O principal objetivo da BID Brasil é apresentar a qualidade e tecnologia presente nos produtos ao público, incluindo potenciais compradores internacionais e adidos militares de países no Brasil. A feira reúne as principais soluções e equipamentos tecnológicos produzidos pela indústria de defesa nacional como radares, munições, Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT), veículos blindados, novos processos de produção e preparo de alimentos desidratados, sistemas de rastreabilidade, entre outras inovações.


“Queremos destacar a tecnologia dual, ou seja, aquela que tem uso tanto militar quanto civil. O setor de defesa investe fortemente em tecnologia e acaba sendo ponta de lança para o desenvolvimento de outros segmentos”, avalia Ricardo Santana, diretor de Negócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE), promove a BID Brasil.

Mercado

De acordo com a ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Defesa e Segurança), as companhias que atuam no mercado de defesa geram, juntas, cerca de 25 mil empregos diretos e 100 mil indiretos, movimentando mais de US$ 3,7 bilhões/ano, sendo US$ 1,7 bilhão em exportação, e US$ 2 bilhões em importação.

“Para cada emprego na indústria de defesa são gerados outros quatro empregos de alto nível na cadeia de produção. Isso é um ganho social e industrial extraordinário”, explicou  Sami Youssef Hassuani, presidente da ABIMDE.

Segundo pesquisa realizada pela entidade, esses números podem mais que dobrar nos próximos 20 anos devido aos grandes projetos anunciados pelo governo. A expectativa é de que os investimentos girem na ordem de US$ 120 bilhões a longo prazo, sendo US$ 40 bilhões já anunciados para programas voltados para vigilância das fronteiras marítimas, aéreas e terrestres do país.

Até 2020, o Brasil tem a possibilidade concreta de praticamente dobrar o número de postos de trabalho altamente especializados. A estimativa é de que o setor gere cerca de 48 mil novos empregos diretos e 190 mil indiretos. Já para 2030, a expectativa é ainda melhor, passando para 60 mil novas vagas diretas e 240 mil indiretas.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Bom, bom, muito bom mesmo, mas espero que a Área Espacial não seja um 'patinho feio' nesta mostra, e tenha realmente seu espaço garantido nas negociações que possam acontecer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022