Operação SCRAMSPACE I

DESCRIÇÃO DA CAMPANHA

Operação: SCRAMSPACE I
Foguete: VS-30/Orion V09
Numero do vôo do foguete: 10
Data de lançamento: 18/09/2013
Horário: 15:18 horas (horário local)
Apogeu do vôo: Não divulgado
Tempo em ambiente de microgravidade: Não houve
Local: Centro de Lançamento de Andoya (Noruega)
Objetivo: Lançamento do experimento hipersônico australiano SCRAMSPACE I, carga útil do programa hipersônico “Scramjet-Based Access-to-Space Systems (SCRAMSPACE)”, programa esse liderado pela Universidade de Queensland (UQ) da Austrália.
Resultado: Segundo as primeiras informações o motor-foguete brasileiro "S-30" do primeiro estágio falhou em atingir o altitude prevista, impedindo assim a continuidade da missão.

Carga Útil Embarcada (Científica)

Experimento SCRAMSPACE I

Instituições Envolvidas

DLR - German Aerospace Center (Alemanha)
DSTO - Defence Science and Technology Organisation (Austrália)
ARR - Andøya Rocket Range (Noruega)
CIRA - Centro Italiano Ricerche Aerospaziali (Itália)
JAXA - Japanese Aerospace Exploration Agency
UQ - University of Queensland (Austrália)
UNSW - University of New South Wales (Austrália)
USQ - University of Southern Queensland (Austrália)
UA - University of Adelaide (Austrália)
UM - University of Minnesota (EUA)
BAE Systems Australia
Teakle Composites Pty Ltd
AIMTEK Pty Ltd

Instituições Envolvidas Indiretamente

AEB - Agência Espacial Brasileira
DCTA - Departamento de Ciência de Tecnologia Aeroespacial (Brasil)
IAE - Instituto de Aeronáutica e Espaço (Brasil)

Lançamento do VS-30/Orion na Noruega Falhou

O Andoya Rocket Range (ARR) lançou as 15:18h (horário local) dia 18 de setembro de 2012, do Centro de Lançamento de Andoya (ARR), na Noruega, a carga útil SCRAMSPACE I através do foguete brasileiro VS-30/ORION, lançamento esse que infelizmente falhou devido o motor-foguete brasileiro “S-30” do primeiro estágio do foguete não ter atingido a altitude esperada levando a falha de todo o sistema da missão.

Segundo o que foi divulgado, uma comissão internacional formada por especialistas da Noruega, Alemanha, Austrália e do Brasil será criada para investigar o motivo da falha do motor-foguete S-30, ao mesmo tempo em que os lançamentos de Andoya que utilizem o motor brasileiro estarão suspensos até que o problema seja identificado.

Vale lembrar que a missão “SCRAMSPACE I” foi à primeira missão do programa hipersônico australiano “Scramjet-Based Access-to-Space Systems (SCRAMSPACE)” liderado pela Universidade de Queensland (UQ) com a participação de outras instituições australianas e de outros países.

Vale dizer também que esse foi o décimo lançamento desse foguete brasileiro (o sétimo fora do Brasil) que é constituído em seu primeiro estágio pelo motor-foguete sólido brasileiro S-30 e em seu segundo estágio pelo motor-foguete sólido Improved Orion de origem norte-americana. Infelizmente vale lembrar que desses 10 lançamentos, dois falharam, ou seja , esse de agora e o da Missão HIFIRE-5 ocorrida em abril de 2012 (veja aqui).

Entretanto, vale lembrar também que antes do insucesso com o HIFIRE-5, o VS-30/Orion já havia sido utilizado com sucesso pelos programas estrangeiros HotPay, Shefex e ICI, e posteriormente pelo próprio programa HIFIRE (HIFIRE-3), todos eles lançados de Andoya.

Fonte: Asbjørn Eliassen
Lançamento do SCRAMSPACE I
Andoya Rocket Range - 18/09/2013

FOTOS:

Fotos: Universidade de Queensland (UQ)


Fonte: Diversas

Comentários

  1. Duda,

    Interessante é que ambos foram com carga útil para teste de hipersônico, já houve algum teste com sucesso deste foguete , para este tipo de carga?
    Outra coisa, no primeiro teste a falha não foi do foguete brasileiro e sim do americano, é issomesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Membro Delegado!

      Sim, ambos foram lançados com experimentos hipersônicos, mas de programas diferentes. O primeiro do Programa HIFIRE (Experimento HIFIRE-5, veja o relatório dessa operação aqui no blog pelo link que está na nota acima) e o segundo do Programa SCRAMSPACE. No primeiro teste quem falhou foi o motor-foguete norte-americano Improved Orion do segundo estágio. Agora quanto se já houve algum sucesso desse foguete com esse tipo de carga útil, houve sim, também do Programa HIFIRE, ou seja, a Operação HIFIRE-3, corrida no ano passado. (Veja o relatório dessa missão aqui no blog).

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial