IAE Realiza Qualificação Estrutural do Sara Suborbital

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/11) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que visando o lançamento do “Sara Suborbital” previsto para acontecer nos meses finais de 2012, foi realizada pela Divisão de Integração e Ensaios do IAE (AIE) o ensaio dinâmico da estrutura completa desta plataforma espacial.

Duda Falcão

Qualificação Estrutural do Sara Suborbital

Campo Montenegro
30/11/2011

Visando o vôo do veículo VS-40/Sara Suborbital a ser realizado em finais de 2012, a Divisão de Integração e Ensaios do IAE (AIE) realizou o ensaio dinâmico da estrutura completa do Sara Suborbital entre os dias 22 e 26 de novembro de 2011. O ensaio foi acompanhado pelo Grupo de Projeto do Sara, pertencente á Divisão de Sistemas Espaciais (ASE).

No ensaio, depois de realizadas as assinaturas, foram aplicadas as cargas de qualificação estrutural no regime senoidal e no regime aleatório. Segundo o gerente do projeto, Luís Loures, os resultados foram satisfatórios: “- Estamos 95% satisfeitos com os resultados do ensaio, pois o comportamento geral do veículo SARA foi muito bom, correspondendo aos nossos cálculos teóricos, restando apenas alguns pequenos ajustes em problemas pontuais encontrados”. Na opinião do Dr. Loures, nada que preocupe: “- De fato, ensaios de qualificação servem para isso mesmo, ou seja, para garantir que o projeto possa convergir para uma solução confiável e segura”.

Na seqüência do desenvolvimento, o modelo de qualificação do SARA deverá sofrer ainda outro ensaio de vibração, agora com a eletrônica “viva”. “- O próximo passo só poderia ser realizado depois que tivéssemos a certeza de que não ocorreriam problemas estruturais que pudessem danificar a eletrônica embarcada e essa certeza foi alcançada com o ensaio realizado”.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (IAE)

Comentário: Essa é sem sombra de dúvidas nos últimos meses a semana das boas notícias dentro do Programa Espacial Brasileiro. O projeto SARA que é dividido em quatro etapas, sendo duas suborbitais e duas orbitais, em conjunto com os projetos dos motores-foguetes líquidos (L5, L15 e L75), o motor-foguete sólido S-50, os Veículos Lançadores de Satélite VLS-1 e VLM-1, os foguetes de sondagem VS-15 e VS-50, o Projeto SIA como um todo e o Projeto SAMF "Sistema de Alimentação de Motor Foguete", são atualmente os principais projetos em andamento no âmbito do IAE e de suma importância para que o Brasil possa definitivamente alcançar o domínio completo da tecnologia espacial na área de acesso ao espaço. Vale citar que durante a realização do “5º SePP&D”, ocorrido em abril desse ano, o representante do projeto SARA disse aos presentes que já existe um estudo em andamento (uma espécie de quinta etapa) para possibilitar o acoplamento entre a SARA e um outro objeto em orbita, deixando a todos agradavelmente surpresos com os objetivos deste projeto. Por enquanto estamos ainda na primeira fase do projeto que é suborbital e avançando na medida do possível. Avante IAE.

Comentários

  1. Aguardando ansiosamente o lançamento da primeira missão. Espero que seja um sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Olá Rafael!

    Todos nós estamos e o sucesso dessa missão poderá ajudar a melhorar a imagem do PEB junto a nossa sociedade. Imagem esta que precisa melhorar para que assim os energúmenos de Brasília comecem a dar a prioridade política e financeira que a programa necessita.

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. O SARA é muito parecido com veiculo de reentrada atmosférica Mk 6 que trasportava uma ogiva nuclear de 9 megaton ,lançado por míssil LGM-25C Titan II , sei que este tipo de veículos de reentrada tem muita pouca variação ,por questões técnicas , mas é algo que eu já ouvi falar que O SARA na verdade quando surgiu o projeto tinha fins militares .

    A foto do Mk 6
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0b/Mk_6.jpg

    http://en.wikipedia.org/wiki/File:Titan_missile_from_above_-_Titan_Missile_Museum.jpg

    Abraços .

    ResponderExcluir
  4. Olá André!

    Olha, não sou um especialista no assunto, mas certamente amigo uma cápsula que carrega ogiva nuclear pode até ter o mesmo formato aerodinâmico, mas a sua concepção interna é completamente diferente de uma cápsula espacial criada para carregar experimentos científicos e tecnológicos em ambiente de microgravidade. São coisas completamente diferente e com objetivos distintos. Agora, se a mesma foi criada com esse objetivo inicialmente, eu sinceramente não acredito, pois se assim fosse não teria a concepção que tem desde que foi apresentada pela primeira vez, creio que por volta da segunda metade da década de 90.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. O sara é a base para tudo...desde ogiva até para missão tripulada.

    sds

    ResponderExcluir
  6. Bom Benito!

    Olhando por esse lado, sim, já que toda tecnologia espacial ela é dual, onde quer que a mesma seja desenvolvida. Mas espero que esse não seja o objetivo real desse projeto. Basta sabermos como fazer, não precisamos ir as vias de fato.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial