IAE Apresenta VLM-1 ao IFI

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (29/11) no site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) destacando que dia 22/11 foi feita uma apresentação do projeto do Veículo Lançador de Microssatélite (VLM-1) pelo Dr. Luís Loures (IAE) aos especialistas do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI).

Duda Falcão

Apresentação do VLM-1
Comunicação Social - IFI

29/11/2011

Nesta quarta-feira, dia 22 de novembro de 2011, o Dr. Luís Loures, do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), esteve no Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), a convite deste Instituto, para realizar uma apresentação sobre o novo projeto em fase de estudo, o VLM-1, Veículo Lançador de Microssatélite.

O convite teve como propósito, nessa primeira etapa, promover a familiarização com o projeto, da platéia multidisciplinar do IFI composta de especialistas da área de certificação de produto e sistema de gestão da qualidade, desenvolvimento industrial, inovação tecnológica, transferência de tecnologia, entre outras.

Numa segunda etapa, o IFI, após identificação de possíveis oportunidades de contribuição à execução e ao aprimoramento do projeto, proporá um novo encontro, de maior abrangência, para debater a efetividade da sua eventual participação.

A apresentação no IFI foi muito oportuna, o binômio IFIxIAE organizações militares do Comando da Aeronáutica subordinadas ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), juntos, mais uma vez, em projetos de interesse nacional, outro aspecto citado foi as ações estratégicas relativas à atividade espacial e a importância do fomento e da coordenação e o apoio ao desenvolvimento de capacidade industrial no setor espacial brasileiro.

A Aeronáutica passou a adotar como política, no âmbito de sua competência de direção e gestão, a obtenção de reciprocidade de fornecedores estrangeiros de bens e serviços destinados à atividade aeroespacial, com vistas ao desenvolvimento e à modernização tecnológica e industrial do Setor Aeroespacial Brasileiro.

O IFI tem como missão, contribuir para a garantia do desempenho, da segurança e da disponibilidade de produtos e sistemas aeroespaciais de interesse do Comando da Aeronáutica, prestando serviços nas áreas de Normalização, Metrologia, Certificação, Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia e Coordenação Industrial, fomentando assim o complexo científico-tecnológico aeroespacial brasileiro. Exerce atividades de sistemas de gestão da qualidade, de análise e catalogação empresarial, de assessoria em compensação comercial, de tecnologia e industrial, de mobilização industrial, de inovação e capacitação relacionadas ao setor aeroespacial, envolvendo produtos de alto valor agregado e de tecnologia avançada de grande efeito multiplicador, como é o caso do VLM-1.

A independência tecnológica é outro aspecto importante para o País, gerando benefícios na cadeia produtiva em longa escala, com o favorecimento e fortalecimento da Industria Nacional, tornando-a parceira em projetos não só para o Comando da Aeronáutica, como também, para projetos de interesse do Estado Brasileiro.

Segundo o Eng.º Loures do IAE, o mercado de Lançadores de Microssatélite, ainda é pouco explorado, tornando-se um atrativo a mais para a conquista e a concretização desse projeto o VLM-1, onde poucos países tem participação, destacou o engenheiro.

O Programa Espacial Brasileiro conta atualmente com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia e da Agência Espacial Brasileira (AEB), sendo este o órgão central coordenador das atividades espaciais no Brasil.



Fonte: Site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)

Comentário: Poxa leitor, que notícia boa para o nosso final de ano, pois demonstra que o projeto do VLM-1 se encontra realmente em andamento tentando cumprir o cronograma acertado com os alemães de lançar o SHEFEX III do Brasil em 2015. É claro que para esse objetivo ser alcançado isso dependerá muito das ações positivas do governo DILMA nos anos de 2012, 2013 e 2014, mas se levarmos em conta as últimas notícias publicadas na mídia sobre o motor S-50 (já postadas aqui no blog), isso nos leva a ter uma esperança, mesmo que pequena, de que ao final de 2015 paralelamente teremos dois lançadores de satélites à disposição. Será mesmo????????

Comentários

  1. Pelas fotos ali, será parecido com o lançador israelense Shavit. Isso é bom, pois eles ja lançaram cada satélite com esse lançador.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ramir!

    Pois é amigo, essa concepção do VLM-1 é bem mais simples do que a concepção do VLS-1 e vamos aguardar que saia tudo dentro dos conformes.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Caro Duda Falcão
    Vc tem algum dado sobre o motor do 1o estágio do VLM (dimensões empuxo)?
    Ou não há ainda decisões neste sentido ?
    Abrs
    Fica com Deus

    PS Caro Auler
    Realmente a foto no slide é do Shavit.

    ResponderExcluir
  4. Olá Iurikorolev!

    Olha, dados realmente precisos do S-50 eu não tenho, mas sei que ele terá um pouco mais de 10 toneladas, por volta de 1,5 de largura e mais de 10 metros de altura. Quanto ao empuxo, eu não tenho essa informação, mas será bem maior do que o do S-43 utilizado no VLS-1.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. O Sr que está em primeiro plano na ultima foto é o TCel R1 Niwa?

    ResponderExcluir
  6. Valeu Tainã!

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022