Sistema de Monitoramento Terá Início em Novembro

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (14/04) no site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destacando que o secretário de “Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento, do Ministério da Ciência e Tecnologia (SEPED/MCT)”, o pesquisador Carlos Nobre, afirmou que o “Sistema de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais” será implantado em mais de 20 municípios até novembro desse ano.

Duda Falcão

Sistema de Monitoramento Terá
Início em Novembro

14/04/2011 - 08:00

Crédito: Lecino Filho
Secretário Carlos Nobre apresenta Sistema
de Monitoramento em palestra

No último dia de realização do Seminário Internacional sobre Gestão Integrada de Riscos e Desastres – Uma nova perspectiva para a Defesa Civil Nacional, que encerra nesta quarta-feira (13), em Brasília (DF), o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento, do Ministério da Ciência e Tecnologia (SEPED/MCT), Carlos Nobre, afirmou que o Sistema de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais será implantado em mais de 20 municípios até novembro desse ano. A previsão é que o processo esteja funcionando completamente até 2014.

De acordo com Nobre, os primeiros testes serão realizados na região Nordeste, que já foi alvo de várias inundações. “Precisamos de um levantamento completo de áreas de risco de todo o território nacional. E isso, ainda não temos. Desse modo, iniciaremos as atividades com um número reduzido de cidades que já possuem seus mapeamentos. Além disso, os radares existentes não cobrem todo o país. Os investimentos no sistema prevêem a modernização dos aparelhos existentes, a aquisições de novos e a interligação deles em rede”, explicou.

O Centro Nacional de Prevenção, responsável por gerir todas as informações coletadas por radares, satélites, pluviômetros, entre outros equipamentos, será implantado em Cachoeira Paulista (SP). O centro principal será interligado em rede e receberá informações de demais unidades espalhadas em todas as regiões. O secretário disse que a instalação do Centro no estado de São Paulo tem uma explicação. “Toda a infraestrutura de pesquisa está lá. Na região, está instalado o supercomputador Tupã, recém-adquirido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCT) e que possuem uma grande capacidade de processamento”, acrescentou.

A respeito do Sistema de Monitoramento, Nobre disse também que os alertas passarão a funcionar, no primeiro momento, com inundações e deslizamentos. “Hoje conseguimos identificar a ocorrência de chuvas. Entretanto, não temos a condição de traduzir esse tipo de informação em uma possível ocorrência de deslizamento, por exemplo. Esse é o desafio dessa força-tarefa”, destacou. O processo de prevenção terá as seguintes etapas: detalhamento dos riscos de deslizamentos e enchentes (mapeamento), alerta de risco, difusão desse alertas para as áreas de risco e, finalmente, capacidade de resposta, que seria a mobilização para uma possível evacuação.

Mudanças Climáticas

O secretário da SEPED, Carlos Nobre, falou ainda dos fenômenos ligados às Mudanças Climáticas. Ele explicou que o aquecimento global acompanhado da urbanização aumenta os eventos extremos sejam eles voltados para secas quanto para cheias. A mudança do clima impacta diretamente no comportamento das chuvas. Em algumas regiões há seca prolongada e, em outras, chuvas em excesso. “Além disso, devemos lembrar que os desastres naturais atingem até mesmo o desempenho do PIB (Produto Interno Bruto)”, complementou.

Outro alerta feito por Nobre foi o de que as ocorrências de desastres aconteceram de uma forma substancial entre os anos de 2008 e 2011, se comparado entre 1970 e 2008.

Participaram também da palestra, o secretário Nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, Celso Santos Carvalho; o secretário Nacional de Defesa Civil, Humberto Viana; o pesquisador da Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial do Serviço Geológico Brasileiro, Paulo Branco; a secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Presidência da República, Carmem Silveira; e o assessor nacional de Emergências da Cáritas Brasileira, José Magalhães de Sousa.

WEB TV MCT - 13/04/2011


Fonte: Site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)

Comentário: Em minha opinião é inquestionável a competência do senhor Carlos Nobre, e eu acredito que ele acredita poder realizar isso tudo no prazo estabelecido. Entretanto existe ai um empecilho muito grande a ser vencido, ou seja, a incompetência e a ineficiência da máquina pública e política brasileira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes