IPCC Amplia Colaboração Regional em Outras Áreas

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (14/04) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que como resultado da reunião para as Américas do Sul e Central, realizada no INPE entre os dias 11 e 13 de abril, o Grupo de Trabalho 2 do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) deverá incorporar contribuições de pesquisadores não filiados ao órgão.

Duda Falcão

IPCC Amplia Colaboração Regional nas
Áreas de Impactos e Vulnerabilidade

14/04/2011

Como resultado da reunião para as Américas do Sul e Central, realizada no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) entre os dias 11 e 13 de abril, o Grupo de Trabalho 2 do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) deverá incorporar contribuições de pesquisadores não filiados ao órgão. O objetivo é aprimorar qualitativamente os estudos nas áreas de impactos e vulnerabilidade.

Pela primeira vez o IPCC promove encontros de âmbito regional reunindo cientistas que participarão da elaboração do seu quinto relatório de avaliação (AR5). Evento semelhante foi realizado no Paquistão, com pesquisadores do continente asiático.

“A inclusão de contribuições de autores que não participam do IPCC possibilita o preenchimento de ‘vazios de conhecimento’ existentes em algumas regiões das Américas Central e do Sul”, afirma José Marengo, climatologista do INPE e membro do IPCC que coordenou a reunião. “Sabemos que existem estudos, por exemplo, de vulnerabilidade de megacidades, ou de ocupação de áreas de risco, mas como não estão disponibilizados amplamente, acabam não sendo considerados pelo Grupo do IPCC. Agora, poderemos reunir qualitativamente esse material.”

Além de melhorar a qualidade das avaliações do IPCC, fóruns e reuniões regionais são importantes para reforçar os estudos voltados à adaptação e mitigação às mudanças climáticas e fomentar políticas e ações mais específicas para cada país ou região.

Participaram da reunião representantes dos seguintes países: Costa Rica, Argentina, Peru, Colômbia, Chile, Guatemala, Paraguai, México, Equador, Cuba, Bolívia, Nicarágua e Venezuela, além de Espanha, Estados Unidos e Brasil.

O IPCC é o painel da Organização das Nações Unidas (ONU) encarregado de avaliar a informação científica sobre os efeitos das mudanças climáticas, destacar seus impactos efeitos ambientais e socioeconômicos e traçar estratégias de mitigação. Para elaborar seu quinto relatório, que será publicado entre 2013 e 2014, o IPCC destacou 831 especialistas do mundo todo, sendo 25 representantes do Brasil. Destes, seis são do INPE.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial