Novo Presidente da AEB Toma Posse Dia 23/05

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (16/05) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) informando que o novo presidente da AEB tomará posse do cargo na próxima quarta-feira (23/05).

Duda Falcão

Novo Presidente da AEB Toma
Posse na Próxima Quarta-Feira

AEB
16-05-2012

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antônio Raupp, dará posse ao novo Presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, na próxima quarta-feira (23), às 10h30, no auditório da AEB.

José Raimundo é bacharel em física pela Universidade de Brasília (UnB), possui mestrado em matemática pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada e pelo Instituto Courant da Universidade de Nova York, EUA. Foi professor dos departamentos de matemática da UnB, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e do Departamento de Computação da Universidade de Nova York.

Na UnB, ocupou também os cargos de Chefe de Departamento de Matemática e de Vice-Diretor do Instituto de Ciências Exatas. Foi membro da Congregação de Ensino e Pesquisas e do Conselho Universitário da UnB, da Comissão de Implantação e o primeiro Diretor de Ensino do Instituto Politécnico do Rio de Janeiro (IPRJ).

No Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) exerceu várias funções de administração de alto nível, entre elas, a gerência geral do Programa China Brazil Earth Resource Satellites (CBERS) e de Vice-Diretor da Coordenação Geral de Engenharia e Tecnologia.

Nos últimos anos, José Raimundo participou da Comissão de Criação, foi Diretor Técnico e de Operações e Diretor Geral do Parque Tecnológico de São José dos Campos/SP e exerceu o cargo de diretor tesoureiro na Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), relativo aos três últimos mandatos consecutivos dessa Sociedade.

Além de sua vasta experiência técnica e administrativa nas instituições acadêmicas, nas instituições de pesquisa científica e tecnológica e em organizações de apoio ao progresso da ciência e inovação tecnológica, José Raimundo também colaborou como assessor da presidência da AEB em anos anteriores.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB) 

Comentários

  1. Minhas escusas se vc já publicou...

    Chip espacial brasileiro

    (Inovação Tecnológica) O Brasil acaba de desenvolver seu primeiro chip com proteção anti-radiação espacial, voltado para aplicações em foguetes e satélites .

    O processador poderá ser utilizado em futuros satélites miniaturizados, conhecidos como nanossatélites, usados para monitoramento espacial e ambiental, e como plataforma paro o teste de novas tecnologias espaciais.

    O projeto, financiado pela Agência espacial Brasileira (AEB), foi realizado por uma equipe da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do escritório de projetos NSCAD Microeletrônica.

    Influência da radiação espacial nos satélites
    Chips que funcionam no espaço estão sujeitos à interferência da radiação proveniente da atividade solar e dos raios cósmicos, bem como de outros eventos cósmicos mais raros, como as erupções de raios gama.

    Em momentos em que a atividade do Sol está mais elevada, como aconteceu no início deste ano, há interferência nos componentes eletrônicos - a falha em um único chip pode comprometer o funcionamento de todo um sistema, como satélites de telecomunicações ou de GPS.

    O protótipo do processador espacial, desenvolvido em um projeto coordenado pela professora Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt, é composto por dois processadores e utiliza técnicas para detectar e corrigir falhas provocadas pela radiação espacial.

    Processador antirradiação
    O circuito integrado, um processador dual-core chamado NSC21101, é composto de dois processadores mini-MIPS de 32-bits, lógica de teste, interface SPI, controle de memórias externas e PLL.

    Um dos seus processadores tem redundância em hardware, uma técnica conhecida como TMR (Triple Modular Redundancy), a fim de corrigir falhas nos registradores internos induzidas por eventos externos.

    O processador antirradiação solar possui aproximadamente 500 mil transistores e foi construído com a tecnologia de 180 nanômetros.

    O núcleo do processador ocupa uma área de 2,31 x 2.31 milímetros (mm) e, com o encapsulamento suas dimensões chegam a 4,17 x 4,17 cm.

    O chip processa programas armazenados em memória FLASH e em memória SRAM. O programa deve ser gravado na memória FLASH externa e, conforme o modo de operação, é copiado para a memória SRAM externa e processado.

    Os resultados gerados pelo processamento são armazenados na mesma memória externa SRAM e poderão ser também copiados para a memória FLASH externa conforme a necessidade.

    ResponderExcluir
  2. Olá Iurikorolev!

    Essa matéria já foi publicada no blog dia 28/04, mas obrigado mesmo assim pela dica.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial