UnB Realiza Curso Sobre Tec. de Foguetes e Naves Espaciais

Olá leitor

A Universidade de Brasília (UnB) realizará a partir do dia (03/04), no Campus Gama, o "Curso introdutório de Tecnologia de Foguetes e Naves Espaciais" ministrado pelo professor Vladislav Solovey, engenheiro aeroespacial com mais de 40 anos de experiência, participante de diversos projetos do programa espacial soviético como o Lunokhod, e por longos anos diretor comercial da empresa Kosmotras, sendo agora membro da gerência comercial da empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS).

Sobre o curso:

O curso terá 7 aulas sendo elas:

1) A história da tecnologia de foguetes e naves espaciais
2-3) Princípios da construção de veículos lançadores
3-4) Princípios da construção de naves espaciais
6) Princípios da análise de trajetória
7) Missões de lançamento: tecnologia da preparação e lançamento de veículos lançadores e naves espaciais

Datas e horário: A data da primeira aula será 03/04/2012 (terça-feira), sendo a data das próximas aulas informadas no primeiro dia. As aulas ocorrerão das 18:00 até as 20:00
Local: Todas as aulas ocorrerão no auditório da Faculdade UnB Gama (FGA).

Abaixo segue o cartaz do evento:

Clique em cima da imagem para ampliar

Para mais informações por favor contate o organizador do curso: professor Paolo Gessini ( paolo.gessini@gmail.com / paologessini@unb.br )


Fonte: Universidade de Brasília (UnB)

Comentários

  1. Uai Duda Falcão, cade seus comentarios falando mau da ACS?
    Acho que poderiamos ter um pouco mais de bom senso e ver que a ACS não é o demonio do PEB...

    ResponderExcluir
  2. Olá anônimo!

    E quem é você mesmo? Bom senso amigo é o que falta, se houvesse, não estaríamos trazendo um foguete altamente tóxico para ser lançando sobre as nossas cabeças, não estaríamos subsidiando a indústria ucraniana quase falida com recursos do erário público brasileiro e incentivando um desastre econômico e ecológico anunciado não só por mim, mas principalmente pela própria comunidade científica brasileira. Queira Deus que esse desastroso acordo também não venha ceifar vidas, pois devido ao tamanho do projeto, se isso acontecer, estaremos condenando a morte muito mais gente do que os 21 de Alcântara. Quanto ao curso, pode até ter a parceria da ACS, mas não muda nada, pois poderia está sendo realizado da mesma forma através de outras caminhos muito mais vantajosos e seguros para o nosso programa espacial, uai.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Duda,
    Concordo que existem diversos caminhos mais vantajosos e por certa epoca criei certa antipatia da ACS. Mas vejo agora que no estágio que as coisas estão, devemos parar de olhar para o passado e ver o que o PEB poderia aproveitar com essa parceria :)

    Abs

    ResponderExcluir
  4. Olá Anônimo!

    É por isso que eu postei a nota, pois acredito que esse acordo entre a ACS e a UnB pode em parte ser benéfico. Entretanto, é como eu disse, ou seja, esse acordo entre UnB/ACS por sí só não justifica o desastroso acordo com a Ucrânia, não só porque poderia ser feito um acordo parecido através de outros caminhos muito mais vantajosos e seguros, mas principalmente pelo mesmo ter como objetivo criar as condições de infraestutura humana que dê sustentação a um acordo que é sabidamente desastroso para o nosso país.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Duda,
    Acredito que a parceria com a Ucrânia deve ser vantajosa no sentido de ajudar o Brazil a desenvolver mais rápido seus recursos humanos, além de dotar o maranhão de uma base mais bem estruturada. Também alguns estudantes já estão se beneficiando da parceria e estudando na Ucrânia. Agora veremos se os ucranianos estarão dispostos a trabalhar lado a lado com o DCTA para o projeto e execução do Cyclone 5, esse sim com tecnologia brasileira e com transferência de tecnologia. Porque se isso não acontecer, não serão os quilombolas que vão impedir essa parceria não, seremos nós...

    ResponderExcluir
  6. Olá Anônimo!

    Não a esse preço, existem caminhos melhores sem a necessidade de realizar um acordo com esse. Quanto a trabalhar jundo ao DCTA, a coisa não é bem assim como vc colocou, já que o projeto do Cyclone-5 é ainda hipotético e está atrelado ao sucesso da ACS como um todo, entende? Antes disso não haverá Cyclone-5 nenhum, sendo que a possibilidade de sucesso dessa empresa no mercado internacional está mais para ficção científica.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazlain Space)

    ResponderExcluir
  7. Olá Duda!

    Então, sou aluno da UFABC e em setembro teremos um evento da Engenharia Aeroespacial, gostaria de falar mais sobre isso com você. Pode me mandar um email e eu te respondo? wilson.lyra@gmail.com

    Abçs

    ResponderExcluir
  8. Olá Wilson!

    Creio que esse seja seu nome. Olha, já lhe enviei um e-mail e fico no aguardo de sua resposta, tá ok?

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial