VSB-30 Lançou Dois Experimentos da UFRN

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (24/12) pelo site “DN Oline” do “Jornal Diário de Natal” destacando que dois experimentos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) voaram no foguete VSB-30 da “Operação Maracati II”.

Duda Falcão

Foguete Brasileiro para Pesquisa
Tem Dois Projetos da UFRN

Da redação DIARIODENATAL.COM.BR
24/12/2010 - 10:45

O VSB-30, foguete brasileiro de médio porte, foi lançado aos céus às 12h35 (13h35 no horário de Brasília), no domingo, 11 de dezembro, do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão. Esse acontecimento faz parte do Programa de Lançamentos de Foguetes de Sondagem, coordenado pela Agência Espacial Brasileira (AEB). O foguete levou para o espaço dez projetos de universidades e instituições de ensino, e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte participa de dois. Um deles é o experimento biológico VGP, coordenado pela professora Katia Scortecci, do Departamento de Biologia Celular e Genética (DBG), com a finalidade de expor plantas de cana-de-açúcar em condições de microgravidade em um curto espaço de tempo.

O objetivo do projeto potiguar é identificar as mensagens que as plantas produzem em condições de ausência de gravidade. As amostras serão analisadas no Laboratório de Biologia Molecular e Genômica do DBG, utilizando diferentes ferramentas moleculares de modo a identificar seus mensageiros, o que permitirá compreender um pouco mais da fisiologia em geral das plantas frente às condições adversas a que são expostas diariamente.

O experimento faz parte de um dos projetos que compõem o Instituto Nacional do Espaço (INEspaço), da UFRN, coordenado pelo professor Renan Medeiros, do Departamento de Física. O financiamento é da AEB, CNPq, Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN).

O foguete VSB-30 foi projetado e desenvolvido por técnicos brasileiros, em colaboração com a agência espacial alemã DLR, para ter uma autonomia de vôo de 250 quilômetros e carregar até 400 quilos. Segundo a assessoria do CLA, o foguete brasileiro atingiu uma altura máxima de 241,9 quilômetros e o tempo de vôo foi de 16 minutos.

Os projetos escolhidos, que fazem parte de programas desenvolvidos pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), foram submetidos a testes no ambiente de microgravidade (valores de gravidade próximos de zero), que se encontra a partir dos 100 quilômetros de altura. São projetos nas áreas de bioquímica, ciências de materiais, ciências térmicas, genética e posicionamento global. Depois do sucesso do lançamento e retorno do VSB-30 à Terra, foi iniciado o processo de recuperação da carga útil do foguete, que caiu no mar, por helicópteros da Aeronáutica.

Fonte: Site “DN Online” do Jornal Diário de Natal - 24/12/2010

Comentário: Muito engraçada essa matéria do jornal “Diário de Natal”. A mesma inicia dizendo que dois experimentos da UFRN foram lançados do VSB-30 e, no entanto, só cita um deles. Assim sendo, para que o leitor não fique a ver navios, o outro foi um experimento tecnológico chamado GPS-AE (GPS para Aplicações Aeroespaciais) e tinha como principal objetivo avaliar o desempenho do receptor de GPS quando submetido a grandes velocidades e acelerações.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial