INPE Mapeia Mangue do Litoral Paulista com Satélite

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (26/12) pelo site do jornal “O VALE” destacando que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) está mapeando o mangue do litoral de São Paulo com imagens de satélite.

Duda Falcão

Região

Com Imagens de Satélite, INPE
Mapeia Mangue do Litoral de SP

Estudo revela que os manguezais, um dos
principais berçários da vida marinha,
correm risco de desaparecer no Estado

Chico Pereira
São José dos Campos
26 de dezembro de 2010 - 05:27

Pesquisadores e bolsistas desenvolvem no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José dos Campos, com o auxílio de imagens de satélites, estudos sobre os manguezais do litoral paulista.

Os dados coletados demonstram que esse ecossistema, considerado um dos principais berçários da vida marinha, corre sérios riscos de desaparecer em vários trechos litorâneos, sobre tudo na região do sul do Estado, onde está a maior porção de manguezais no Estado.

O chefe da Divisão de Sensoriamento Remoto do INPE, Milton Kampel, destaca a importância da utilização da tecnologia espacial como ferramenta para os estudos dos manguezais.

Ele explicou que as imagens de satélites possibilitam aos pesquisadores mapearem as áreas de manguezais e fazer comparações temporais a respeito desse ecossistema costeiro.

“Por ficarem próximos da região costeira, onde há grande concentração humana, os manguezais estão sob forte pressão antrópica (do homem) e os impactos são imensos”, afirma Kampel.

Viagem - Kampel explicou que a tecnologia espacial permite “viajar no tempo”.

“A vantagem dos satélites é que essa ferramenta permite analisar coberturas geográficas amplas, o que facilita o trabalho de campo, na verificação in loco do que foi estudado nas imagens”, afirmou o especialista.

Kampel destacou que outro fator importante é que as imagens possibilitam fazer comparações de alterações ocorridas nos manguezais ao longo do tempo.

Estudo - A bióloga Marília Cunha Lignon desenvolve trabalho de pós-doutorado no INPE com foco nos manguezais do litoral sul do Estado de São Paulo.

Há mais de dez anos, ela acompanha a evolução desse ecossistema e sua bolsa é financiada pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Os estudos da bióloga mostram indícios de que a ação do homem está ameaçando bosques de mangues no litoral sul.

Foram constatadas anomalias nos bosques de Cananeia e Iguape, com a identificação de clareiras que podem representar destruição da vegetação provocada pela ação do homem ou da própria natureza.

“A ocorrência de bancos de macrófitas (plantas aquáticas) ao redor dos bosques de mangue do sistema costeiro, sobretudo próximo ao canal Valo Grande, alerta para as alterações ambientais que vem ocorrendo na região em função da redução da salinidade e, consequentemente, com perda de funções ecológicas do ecossistema”, ressalta Marília em seu trabalho, que será apresentado em um congresso de sensoriamento remoto em 2011.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 26/12/2010

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial