África do Sul Lançará Esta Semana sua Agência Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (08/12) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski, com a notícia de que nesta semana deve ser lançada oficialmente a "Agência Espacial Nacional da África do Sul (SANSA)", país ao qual o Brasil em conjunto com a Índia já tem uma parceria para o desenvolvimento de dois satélites, sendo o primeiro científico para o estudo do clima espacial e o segundo para observação da Terra.

Duda Falcão

Cooperação Brasil - África do Sul

08/12/2010

Esta semana, deve ser oficialmente lançada a Agência Espacial Nacional da África do Sul (SANSA, sigla em inglês), segundo reportagem do website especializado DefenceWeb ("Pandor to launch the South African National Space Agency"). O novo órgão será o responsável pela condução das atividades espaciais do país africano, inclusive acordos de cooperação internacional. O Brasil é um dos países eventualmente citados para iniciativas conjuntas para o setor.

De acordo com o Defenceweb, a SANSA deve assinar acordos de cooperação com a agência espacial da Argélia em matéria de tecnologia e ciência espacial, e também um memorando de entendimentos com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e outro instituto chinês para a recepção e distribuição na África do Sul e sul do continente africano de imagens do satélite sino-brasileiro de observação CBERS 3, previsto para ser colocado em órbita no final de 2011.

Em abril, os governos do Brasil, Índia e África do Sul, grupo denominado pela sigla IBSA (India, Brazil and South Africa, em inglês) anunciaram a intenção de construir conjuntamente alguns satélites. O primeiro projeto, já em discussão, é para um microssatélite de aplicações científicas. Á África do Sul, caberá o desenvolvimento da plataforma e seus subsistemas, e ao Brasil, às cargas úteis, desenvolvidas pela área de Ciência Espacial do INPE. O objetivo é tê-lo em órbita em 2013.

No escopo da cooperação espacial entre os três países, um segundo satélite, de sensoriamento remoto, está também sendo considerado.


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Vejam como são as coisas leitor, estamos no limiar da criação de mais uma agência espacial, desta vez da Agência Espacial Nacional da África do Sul (SANSA), quase 16 anos após a criação da Agência Espacial Brasileira (AEB) em 10/02/1994. Fico a me perguntar, o que realmente foi realizado de significativo pela nossa agência espacial nesse período a não ser o repasse de recursos para o desenvolvimento e lançamentos dos satélites SCD-2, SCD-2A, Saci 1 e 2 (perdidos), CBERS-1, 2 (todos estes projetos anteriores a criação da agência), do CBERS 2B e dos VLS V01 e V02 (que não funcionaram), fora é claro o desastre do VLS V03, com a perda de 21 vidas e dos satélites SATEC e Unosat-1? Será que a SANSA terá o mesmo desempenho desastroso alcançado pela AEB e por sucessivos governos durante esses 16 anos? Qual será o nível de desenvolvimento do programa espacial sul-africano em 2026 com a criação da SANSA? Ora leitor, em 16 anos países que não sabiam nem fazer bombinha de São João chegaram à auto-suficiência espacial por identificarem o grande potencial para suas nações, caso viessem investir recursos com seriedade e determinação no desenvolvimento de seus programas espaciais. Se não houver uma mudança drástica e séria na atual política espacial do país, estaremos em 2026 tão atrasados em relação aos sul-africanos que ninguém naquele país se lembrará que um dia houve alguma parceria com o Brasil. Uma vergonha e uma irresponsabilidade a forma como o PEB é conduzido pelo governo, pelo MCT, pela AEB (esta uma mera peça figurativa e repassadora de recursos) que nesse ritmo que vai certamente conduzirá o país a pagar o alto preço do atraso tecnológico.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial