Experimentos de Alunos Serão Lançados ao Espaço

Olá leitor!

Segue uma notícia postada dia (10/12) no site da “Secretaria Municipal de Educação de São José dos Campos-SP (SME/SJC)” destacando alunos da rede municipal de educação do município lançarão três experimentos ao espaço durante a realização do vôo do foguete VSB-30 da “Operação Maracati II”.

Duda Falcão

Experimentos de Alunos Serão
Lançados ao Espaço

10-12-2010

Foto: Antonio Basilio/PMSJC
Alunos da rede municipal elaboraram
experimentos para serem lançados ao espaço

Três experimentos elaborados por alunos da rede municipal de educação estarão prontos para ser lançados ao espaço a partir de domingo (12), na Base de Alcântara, no Maranhão. Depois de ter a carga útil acoplada, o foguete VSB-30 deve passar, neste sábado (11), por um teste de simulação de vôo. Havendo condições propícias, o lançamento do veículo deve ser efetivado até quarta-feira (15).

A coordenadora de componente curricular de Ciências, Kêmeli Mamud, que está em Alcântara acompanhando os trabalhos, contou que também foram colocados dentro do módulo onde estão os experimentos, cartões com desenhos do VSB-30, confeccionados pelos estudantes. Após o vôo e o resgate da carga útil, os cartões serão encaminhados às escolas participantes para que fiquem em exposição. “Vamos aguardar ansiosamente a recuperação deste material”, confessou.

Os experimentos foram desenvolvidos com a colaboração de técnicos e pesquisadores do INPE, IAE e ITA e têm como objetivo comparar fenômenos físicos em ambientes de gravidade e microgravidade. Os resultados destes experimentos depois do vôo serão comparados aos que foram obtidos em sala de aula. “Isto servirá de subsídio para o domínio de conceitos e conseqüente produção de conhecimentos”, explicou a orientadora de Ciências da rede municipal de educação, Maria Aparecida dos Santos Pereira.

Foto: Antonio Basilio/PMSJC
Depois de ter a carga útil acoplada, o foguete
VSB-30 deve passar, neste sábado (11),
por um teste de simulação de vôo

Foto: Antonio Basilio/PMSJC
Alunos da rede municipal elaboraram
experimentos para serem lançados ao espaço


Fonte: Site da Secretária Municipal de Educação de São José dos Campos (SME/SJC)

Comentário: Ora veja só leitor, como são as coisas, mesmo quando a nossa desorientada agência espacial acerta, ela erra na dose. Não resta dúvida de que essa iniciativa de enviar experimentos estudantis do ensino médio para o espaço através de foguetes é acertada e estimulante para os estudantes participantes. O blog “BRAZILIAN SPACE” inclusive é um dos que mais defendem esta idéia, já que entendemos que este é o modelo que vêm sendo utilizado mundo afora com grande sucesso. Entretanto, não é sensato fazê-lo com um foguete como o VSB-30, durante a realização de um vôo do “Programa de Microgravidade” da AEB, simplesmente por ser economicamente e tecnologicamente inviável, já que estes experimentos básicos acabam ocupando espaço de um experimento que poderá trazer melhores benefícios a sociedade, principalmente neste quadro vergonhoso de um vôo a cada quatro anos. O mais sensato é que se utilizem foguetes menores e mais baratos do próprio IAE, ou mesmo de outras instituições brasileiras (o grupo paulista Edge Of Space está desenvolvendo um foguete de sondagem que visa alcançar até 100 km de altitude, que estará pronto em breve e poderia ser utilizado para este fim), e que se amplie esta possibilidade para estudantes do ensino médio de todo país através da implantação dos já comentados “SPACECAMPS”, modelo de sucesso adotado em todo mundo.

Comentários

  1. Caro Duda,

    O experimento desses alunos e para ser testado em ambiente de microgravidade e, no momento, o único foguete brasileiro disponível é o VSB-30.
    Abs,
    Cel Kasemodel

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Cel. kasemodel!

    Muito obrigado mais uma vez pela sua inteferência em nosso blog, sempre com a propriedade que lhe é distinta. Entretanto Coronel lhe pergunto o seguinte: Invês de se utilizar o VSB-30 não se poderia usar o VS-30 ou mesmo um Sonda III? Haveria muito mais espaço para outros estudantes se utilizarem deste benefício, além de ser mais barato. Não lhe parece mais sensato?

    Abs

    Duda Falcão

    ResponderExcluir
  3. Caro Duda
    A carga útil que dispomos atualmente, a MICROG, por possuir massa de 400 kg, é adequada para o VSB-30.
    Para utilizarmos ela no VS-30, teríamos que fazer modificações e mesmo assim, o tempo em ambiente de microgravidade seria também reduzido.
    Quanto ao SONDA III, o mesmo é um foguete ideal para experimentos de sondagem da alta atmosfera tendo em vista sua capacidade de transportar cargas úteis de até 150 kg em altitudes de aproximadamente 600kg.
    No meu entender, no momento, é ainda mais economico disponibilizarmos uma secção da carga util MICROG para experimentos dessa finalidade. Como é do seu conhecimento, a carga útil da Operação Maracati II transportou 10 experimentos.
    Abraços,
    Cel Kasemodel

    ResponderExcluir
  4. Uma vez mais Coronel, obrigado pelos seus esclarecimentos, mas acho esse assunto um tanto polêmico. Inclusive coronel, se não estou enganado, existe um projeto já finalizado pela "Orbital" de uma plataforma para experimentos em microgravidade que acredito que seja para ser acoplada a foguetes de sondagens. Essa plataforma não poderia ser utilizada para esse fim? Aproveitando a oportunidade, que fim levou o projeto da PSO?

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. O projeto da Orbital ainda não está finalizado. Na realidade, neste ano, o IAE contratou a fabricação dos modelos de engenharia. E esse projeto, denominado PSM, Plataforma Suborbital de Microgravidade, será idêntico ao da MICROG porém, completamente nacional. Na atual MICROG, alguns componentes são do DLR.
    Quanto à PSO, foi projeto conduzido pelo INPE. Creio que foi descontinuado.
    Abs,
    Cel Kasemodel

    ResponderExcluir
  6. Ok então Coronel!

    Mais uma vez obrigado pelos esclarecimentos. Pensei que esse projeto da PSM já estivesse finalizado e não sabia que era uma cópia da MICROG, mas enfim. Quanto a PSO, uma pena que o INPE não tenha concluído este projeto que acompanhei a época com grande entusiasmo por entender a sua importância.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes