Telescópio Detectará Luz de Raios Cósmicos

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (19/12) no site “Folha.com” do “Jornal Folha de São Paulo” destacando que um estudante da Universidade Federal do ABC (UFABC) está desenvolvendo um telescópio para detectar luz de Raios Cósmicos.

Duda Falcão

Telescópio Detectará Luz de Raios Cósmicos

SABINE RIGHETTI
DE SÃO PAULO
19/12/2010 - 09h59

Eles bombardeiam constantemente a Terra, mas ninguém os vê. Para conseguir identificar os rastros dos raios cósmicos, rapidíssimos e invisíveis a olho nu, um estudante de graduação está desenvolvendo uma espécie de telescópio "compacto".

Vitor Prestes Luzio, da UFABC (Universidade Federal do ABC), está usando seus conhecimentos em física e em engenharia para construir um telescópio de fluorescência para identificar o rastro de luz invisível que se desprende desses raios.

A idéia é que o artefato, pouco maior que um computador e batizado de MonRat (Monitor de Radiação Atmosférica), consiga identificar as "partículas secundárias" para analisar o traçado dos raios cósmicos.

"A partícula inicial desses raios, que vem do espaço, gera uma cascata de partículas secundárias", explica.

"Elas chegam com muita energia e, pela sua direção, é possível identificar o caminho do raio cósmico original", completa o estudante. Ele cursa física e engenharia aeroespacial ao mesmo tempo e é responsável pela parte mecânica do aparelho.

O trabalho está sendo feito por um grupo de estudos de raios cósmicos da UFABC, sob orientação do físico Marcelo Leigui de Oliveira. A empreitada conta com cientistas brasileiros do Observatório Pierre Auger, em Malargüe, na Argentina.

Hermanos

Lá foi inaugurado em 2008 o maior observatório de raios cósmicos do mundo.

No Brasil, não há ainda nada parecido com o telescópio da UFABC, mas já há gente que estuda raios cósmicos com outras metodologias.

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), por exemplo, tem um dos maiores grupos de estudos na área e conta com uma cópia do detector do Pierre Auger.

Pelo menos um motivo desperta tanto interesse no assunto: esses raios invisíveis possuem as maiores energias já detectadas.

O raio cósmico de maior energia já encontrado até hoje tem 10 mil vezes mais força do que o LHC, o maior acelerador de partículas do mundo- isso se ele estiver ligado em potência máxima.

E, quanto maior a sua energia, maior a chance de saber de onde eles vêm. Ou seja: os raios cósmicos podem trazer aos cientistas aqui na Terra informações sobre o espaço.

O MonRat está passando pelos primeiros testes. "Com a estrutura pronta, o que deve levar uns meses, faremos testes em várias condições atmosféricas", diz Luzio.


Fonte: Site Folha.com - 19/12/2010

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro