segunda-feira, 14 de março de 2016

Servidores Decidem Indicar em Assembléia Nomes Para Comitê de Busca

Olá leitor!

Trago agora para você um artigo postado na edição de fevereiro do “Jornal do SindCT”, destacando que Servidores do SindCT decidiram em assembleia por indicar nomes para “Comitê de Busca” que indicará ao ministro Celso Pansera do MCTI uma lista tríplice com nomes do futuro diretor ou diretora do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Duda Falcão

Servidores Decidem Indicar
Nomes Para Comitê de Busca 

Shirley Marciano
Jornal do SindCT
Edição nº 45
Fevereiro de 2016

No dia 1° de março, com o objetivo de debater a sucessão da direção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o SindCT realizou uma assembleia no auditório do prédio Lambda para examinar alternativas ao modo como foi constituído o Comitê de Busca que indicará ao ministro Celso Pansera uma lista tríplice, da qual sairá o nome do futuro diretor ou diretora do instituto.

Os servidores exigem a realização de uma eleição interna no INPE, de um ou mais nomes de servidores que venham a ser adicionados ao Comitê de Busca. Circulou na assembleia um abaixo- -assinado que será protocolado no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), com esta finalidade.

Na sucessão de 2011, os servidores puderam eleger um membro para o comitê: o pesquisador sênior Humberto Andrade Sobral. Isso tornou o processo relativamente mais democrático — embora o SindCT defenda a eleição direta do diretor pelos servidores. Porém, desta vez o ministro nomeou somente pessoas externas ao INPE, e excluiu a força de trabalho do instituto.

“Será um jogo de cartas marcadas, no qual se escolherá quem estiver disposto a fazer uma gestão que atenda aos interesses dos membros do comitê”, ressalta Gino Genaro, diretor de comunicação do SindCT. “Na minha opinião, há interesses econômicos envolvidos”, disse um servidor que pediu para ter o nome preservado. “Por isso há esse empenho em eleger um diretor para o INPE que fale a mesma língua dos empresários”.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 45ª - Fevereiro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário