Comissão da MP Que Extingue Empresa Espacial em Parceria com Ucrânia Vota Relatório Hoje

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (18/12) no site da “Agência Senado” destacando que Comissão Mista da MP que extingue empresa espacial em parceria com Ucrânia vota relatório hoje no Senado.

Duda Falcão

COMISSÕES - INTERNACIONAL - TECNOLOGIA 

Comissão da MP Que Extingue Empresa
Espacial em Parceria com
Ucrânia Vota Relatório

Da Redação
Agencia Senado
18/12/2018, 12h50

Valter Campanato/Agência Brasil

A Comissão Mista da Medida Provisória N° 858/2018 realizará, na quarta-feira (19), a segunda reunião para votar o relatório sobre o texto, que extingue a empresa binacional de exploração comercial de lançamentos de satélites, Alcântara Cyclone Space (ACS). O deputado Hugo Leal (PSD-RJ) é o relator da MP e o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) preside a comissão.

Com sede em Brasília, a empresa nasceu do Tratado sobre a Cooperação de Longo Prazo na Utilização do Veículo de Lançamentos Cyclone-4, assinado em 2003 pelos governos do Brasil e da Ucrânia, com o objetivo de levar satélites dos dois países e de outros potenciais interessados ao espaço.

De acordo com o tratado, homologado pelo Congresso Nacional em 2004, os satélites seriam enviados do Centro de Lançamento de Alcântara, no litoral do Maranhão, gerando custos aos interessados.

A extinção da empresa é decorrente da decisão do governo brasileiro de sair da iniciativa, formalizada em 2015 pelo Decreto 8.494, alegando falta de viabilidade comercial.

Caso aprovado, o parecer será votado nos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

Inventário

De acordo com a MP 858, o patrimônio e as dívidas da empresa binacional situados no país serão inventariados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que recebeu prazo até 29 de março de 2019, prorrogável, para concluir o processo. A União assumirá as obrigações e os bens da ACS localizados no território nacional. Os situados no exterior poderão ser inventariados pelo governo ucraniano e o resultado será objeto de compensação entre os dois países.


Fonte: Site da Agência Senado

Comentário: Pois é leitor, este foi maior o erro dentre tantos cometidos no Programa Espacial Brasileiro (PEB) por esses vermes irresponsáveis deste pseudo partido esquerdopata de merda, e por conta disso agora estamos pagando e ainda haveremos de pagar muito mais (inclusive para os Ucranianos) por este desatino causado exclusivamente por decisão politica, mesmo tendo a opinião contraria da Comunidade Espacial que foi contrária ao acordo desde o inicio das conversações, mas que não foi ouvida por esses vermes como deveria, e que também pecou por se omitir e aceitar pacificamente o que estava sendo imposto pelo presidiário de novos dedos e seus vermes ‘companheiros’. Quem planta, colhe amigo leitor, e isto nos custou além dos recursos que foram empregados ao longo de mais de 12 anos e os que ainda serão para regularizar este imbróglio junto aos Ucranianos, o desenvolvimento espacial brasileiro e certamente também o do nosso Veículo Lançador de Satélites.

Comentários

  1. O dia que acabar o racha entre civis e militares e colocarem a AEB pra ser realmente uma agência espacial de verdade, dai sim vamos ter um programa espacial.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes