CLA se Prepara para Lançamento de Foguetes Esta Semana

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (13/05) no site da “Agência Brasil” destacando que como já havíamos anunciado (veja as notas “CLA Realizará Lançamento de Dois Foguetes FTB em Junho”, “Alcântara Inicia Série de Lançamentos de Foguetes”) o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizará nos próximos dias (16 e 17/06) o lançamento de dois Foguetes de Treinamento Básico (FTB).

Duda Falcão

Pesquisa e Inovação

Brasil se Prepara para o Lançamento de
Foguetes Transportadores de Satélites
com Dois Testes Nesta Semana

Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil
Edição: Lana Cristina
13/06/2011 - 16:09

Brasília – O Centro de Lançamentos de Alcântara (CLA), localizado no Maranhão, vai testar dois foguetes de treinamento esta semana. Os lançamentos estão programados para quinta (16) e sexta-feira (17). A campanha de preparação do lançamento, chamada Operação Falcão I, teve início hoje (13) pela manhã.

De acordo com as informações do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Agência Espacial Brasileira (AEB), os testes viabilizam a preparação do CLA para operações de maior porte, como o lançamento do Veículo Lançador de Satélites (VLS) e do Cyclone 4, foguete em desenvolvimento com a Ucrânia – também para transporte de satélites.

O Brasil pretende, nos próximos três anos, lançar, anualmente, novos satélites de observação da Terra: o CBERS 3 (em setembro de 2012, em parceria com a China); o Amazônia 1 (em 2013, totalmente nacional) e o CBERS 4 (provavelmente em setembro de 2014, também feito com a China).

Ainda não estão definidos os locais de lançamento, que poderão ser escolhidos por meio de licitação internacional. O custo de lançamento é de cerca de US$ 30 milhões.

Os foguetes lançados esta semana medem 3,05 metros e pesam 68,3 quilogramas-força (kgf), medida que traduz a força que uma massa de um quilograma exerce quando sujeita à gravidade, o que, no caso, equivale a aproximadamente 7 kg em terra. Além dos testes desta semana, estão programados mais dois lançamentos: um no início de agosto e outro, entre o final de outubro e início de novembro.


Fonte: Site da Agência Brasil

Comentário: Que fique bem claro que diferentemente do que diz a matéria, o trambolho toxico CYCLONE-4 não está sendo desenvolvido com a Ucrânia e sim pela Ucrânia. São coisas bem diferentes.

Comentários

  1. Interessante se tudo ocorrer como esta previsto o Brasil finalmente vai consegui lançar pelo menos um satélite por ano a partir de 2012 , tem algum projeto para 2015 e 2016 ?Parece que o satélite em conjunto com os EUA seria em 2015 não é ?

    ResponderExcluir
  2. Olá André!

    Tenha calma amigo. Isso aí acima são planos do INPE no caso dos satélites e do IAE no caso do VLS-1. Entretanto isso não significa necessariamente que sejam os planos reais do governo. Mas vamos lá, digamos que DILMA realmente cumpra com o que está prometendo através das promessas do Mercadante (acredito eu que ele as faz sob a sua orientação ou no mínimo com a sua autorização) e sendo assim depois do CBERS-4 em 2014 seria lançado o satélite científico Lattes-1, o satélite MAPSAR seria o próximo ou outro satélite radar qualquer se as negociações com os alemães não vingarem e finalmente o satélite meteorológico GPM-BR (2016), todos esses baseados na PMM (Plataforma Multimissão). Fala-se também que com as duplicatas dos equipamentos dos satélites CBERS-4 e Amazônia-1 seriam construídos um CBERS-4B e um Amazônia-1B, para suprir o período de tempo entre os CBERS-4 e Amazônia-1 e os CBERS-5 e Amazônia-2, juntamente como ocorreu entre o CBERS-2 e o CBERS-2B. Vale lembrar que existem também previsto nesse período o desenvolvimento dos satélites Sabia-MAR 1 e 2 (satélites que serão desenvolvidos em parceria com a Argentina) e os dois satélites IBSA, que serão desenvolvidos em parceria com a África do Sul e a Índia (definições sobre as concepções desses satélites deverão ser concretizadas no encontro do IBSA agora no segundo semestre). Além desses, há ainda os satélites sentinelas do Ministério da Defesa (que deverão ser desenvolvidos pela indústria Brasileira) e os dois satélites universitários já em construção (ITASAT-1 e Nanosatc-BR) que muito provavelmente serão lançados antes de 2014. Muita coisa? Pois é amigo, isso significa que a DILMA tem pela frente a realização de um plano espacial que na prática seria nos próximos oito a dez anos um dos maiores do mundo e para mim é difícil de acreditar que ela cumpra 30% disso, mas vamos aguardar.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial