Brasil Quer Contrapartida Ucraniana para Manter ACS

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (17/06) no site do jornal “Folha de São Paulo” destacando que o Brasil quer contrapartida ucraniana para manter programa espacial.

Duda Falcão

Ciência

Brasil Quer Contrapartida Ucraniana
para Manter Programa Espacial

CLAUDIO ANGELO
DE BRASÍLIA
17/06/2011 - 08h32

O Brasil decidiu deixar a ACS, binacional espacial Brasil-Ucrânia, respirando por aparelhos.

A estratégia da AEB (Agência Espacial Brasileira) é não deixar a empresa morrer, mas não injetar os R$ 50 milhões que o Brasil previa para a capitalização da empresa neste ano enquanto os ucranianos não derem sua contrapartida financeira.

"Não podemos fazer uma administração temerária, na qual só um parceiro põe dinheiro", diz o presidente da AEB, Marco Antonio Raupp.

O programa para explorar o mercado de lançamentos comerciais de satélite usando a base brasileira de Alcântara e o foguete ucraniano Cyclone-4 vem sendo desidratado pelo governo.

O Ministério da Ciência e Tecnologia não considera a ACS (Alcântara Cyclone Space) fundamental para o programa espacial, que precisa bancar ainda os satélites do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e os foguetes da Aeronáutica. Quer que a Ucrânia aumente sua contribuição para o capital da empresa.

A ACS tinha como objetivo lançar um Cyclone-4 de Alcântara em dezembro de 2012. Para isso, precisaria de mais R$ 300 milhões do Brasil e R$ 450 milhões da Ucrânia. O Brasil já pôs no capital da empresa R$ 218 milhões, e a Ucrânia, R$ 98 milhões.

"Não somos contra o projeto. Vamos fazer de tudo para viabilizá-lo. Mas houve a decisão de não fomentar desequilíbrios", disse Raupp.

Segundo ele, a Ucrânia havia prometido sua contrapartida na ACS em junho, mas adiou para setembro.

A decisão de deixar a ACS de molho pôs o governo numa saia justa com o PSB, partido aliado cujo vice-presidente, Roberto Amaral, capitaneou o acordo com a Ucrânia quando ocupava o Ministério da Ciência e Tecnologia e até este ano dirigia a parte brasileira da ACS.


Fonte: Site do Jornal Folha de São Paulo - 17/06/2011

Comentários

  1. Para mim isso e uma otima noticia.
    Paerece que o pessoal do Ministerio de Ciencias e Tecnologia esta pesando como o autor desse blog (Brazilian Space) (eu nao sei o nome haha )

    ResponderExcluir
  2. Olá Rafael!

    Na realidade amigo não totalmente, pois para mim esse acordo com a Ucrânia teria de ser desfeito enquanto o prejuizo está somente em R$ 218 milhões que já é um absurdo.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Estão colocando ordem na casa , pena que falta muita coisa para colocar no lugar ainda .

    ResponderExcluir
  4. Olá André!

    Em minha opinião só estão ampliando um desastre anunciado.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Pois é imagina R$500 mi investidos no programa Cruzeiro do Sul , o Brasil sairia no lucro não apenas na questão financeira que visa a ACS ,mas principalmente no desenvolvimento tecnológico nacional, uma coisa que me deixa injuriado até hoje ,foi que bem na hora que o VLS explodiu em Alcântara 2003 ,no outro lado da Baia de São Marcos em São Luis o Brasil assinava o acordo de cooperação com a Ucrânia ,parece que nesse dia ocorreu duas tragedias no PEB.

    ResponderExcluir
  6. Olá André!

    Exatamente isso, uma capitaneada pelo irresponsável Fernando Henrique e a outra pelo incompetente Roberto Amaral endossado pelo humorista LULA, grande trio de patetas irresponsáveis e no final deu no que deu e nosso programa esta nesta situação.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Nosso VLS já está pronto!
    A Ucrania está fazendo o jogo dos EUA e levando o Brasil gastar recursos que DEVERIAM ser gastos no VLS e terminar o foguete que já funciona! Porque o vsb-30 consegue acender seu motor sem falhas? qual a diferença no VLS? Os alemães acreditam mais no Brasil que as "otoridades que temos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Paulo!

    Quase pronto amigo, mas permita discordar de você. A Ucrânia está apenas defendendo os interesses dela, pois para que o programa espacial deles continue funcionando, eles dependem de acordos como esse que fizeram com o Brasil, já que não podem ter centros de lançamentos em seu território e não gostam de depender dos russos. Entretanto, os ucrânianos não tem culpa da incompetência e dos estranhos interesses políticos que regem os bastidores da política brasileira nos bastidores da obscura Brasilia.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite