Segundo Jobim Brasil Pretende Lançar SGB Até 2014

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (30/06) no “Jornal do Senado” destacando que em audiência pública promovida pela "Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE)", o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse a senadores que o Brasil pretende lançar o SGB até 2014.

Duda Falcão

INFRAESTRUTURA

Brasil Pretende Lançar Satélite de Defesa
Até 2014, diz Jobim a Senadores

Ministro da Defesa explica que novidade permitirá o rápido
envio de imagens de áreas pouco acessíveis e levará internet
a mais de 1.800 municípios hoje sem conexão à rede

Jornal do Senado
30/06/2011

Ministro Nelson Jobim diz a senadores e participantes de
audiência da CRE que o país hoje aluga satélite privado mexicano

O Brasil pretende lançar até 2014 um satélite geoestacionário para interligar os sistemas de defesa em todo o seu território, anunciou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, a dez senadores que participaram ontem de audiência promovida pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) na sede do próprio ministério.

O debate foi realizado por requerimento do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), presidente da Subcomissão da Amazônia e da Faixa de Fronteira.

O novo satélite, cujo lançamento ainda depende de uma decisão final do governo brasileiro, permitirá a comunicação direta entre Brasília e pelotões de fronteira e submarinos que navegam no oceano Atlântico.

Também viabilizará o rápido envio de imagens de áreas pouco acessíveis. Atualmente, como explicou o ministro, o governo brasileiro aluga canais de um satélite de empresa privada de capital mexicano.

- Hoje, quando precisamos de uma imagem, os mexicanos só as enviam para nós em 36 horas. E ainda não temos como saber se a mesma imagem será cedida a terceiros - disse Jobim.

O custo anual do aluguel dos canais de um satélite privado, para serviços de telecomunicação e transmissão de imagens, é de R$ 44,8 milhões. Já o gasto total de colocar um novo satélite estatal em órbita será de aproximadamente R$ 700 milhões, segundo o ministro. A quantia envolve a construção do satélite, seu lançamento, o seguro e o sistema de acompanhamento em terra.

O ministro considerou o satélite vital para a segurança nacional, além de permitir o acesso à internet para mais de 1.800 municípios que ainda não são conectados à rede mundial de computadores.

Após ouvir os dados referentes ao satélite, Jorge Viana (PT-AC) concordou com o ministro em que o equipamento não poderia ser comercial, mas sim "algo estratégico do país".


Fonte: Jornal do Senado - 30/06/2011

Comentário: Confesso que sou um admirador do ministro Nelson Jobim pelo trabalho que o mesmo realizou no Ministério da Defesa no governo LULA (principalmente na elaboração da Estratégia Nacional de Defesa - END, que considero uma obra de arte) e que vem tentando realizar no Governo DILMA, e a prova disso é o grande prestígio que o mesmo tem junto as forças armadas. Entretanto convenhamos leitor, achar que o Brasil vai lançar até 2014 o satélite SGB com o atual desempenho do PEB, significa que ou o ministro Jobim sabe de algo que não sabemos, ou está usando a mídia para tentar pressionar o governo, ou é um completo ingênuo. Investir R$ 700 milhões em três anos significaria no mínimo gastar pouco mais de R$ 233 milhões por ano somente para o SGB, e isso levando-se em conta que o governo DILMA tomasse a decisão ainda esse ano. Ora leitor, nós que acompanhamos o Programa Espacial Brasileiro há décadas sabemos que isso tá mais para um exercício de fantasia do que qualquer outra coisa, já que o orçamento anual do “Programa Espacial Brasileiro” jamais ultrapassou o patamar de US$ 200 milhões de dólares. Além do mais, faltou o ministro dizer onde será desenvolvido esse satélite, já que o Brasil não dispõe de tecnologia para desenvolvê-lo sozinho. Talvez a idéia seja desenvolvê-lo com ajuda da Rússia ou com a França, porém mesmo adotando essa estratégica de desenvolvimento conjunto o prazo até 2014 não nos parece factível. Chamo a atenção do leitor para a quantidade de senadores que foram assistir a apresentação do Ministro Jobim. Lamentável!

Comentários

  1. Olá Antônio!

    Pois é amigo é o que eu acho também.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  2. Porque o Brasil nao encomenda o satelite da EADS Astrium que nem a Coreia do Sul fez com o satelite Chollian.

    ResponderExcluir
  3. Falando em Coreia do Sul aqui tem um documento da KARI aonde mostram os projetos Coreanos.

    http://www.aprsaf.org/data/aprsaf13_data/7_Space%20Program%20Korea_KARI_final_061205_1330day1.pdf

    http://www.aprsaf.org/data/aprsaf12_data/day1/13_kari_ap12.pdf

    ResponderExcluir
  4. Olá Rafael!

    Essa é uma das empresas que deverá participar da concorrência internacional, quando a mesma for aberta pelo governo brasileiro. Entretanto, caso esse projeto de satélte vá realmente a frente, deverá ser realizado com a participação de empresas brasileiras e com tranferência de tecnologia para o Brasil.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Valeu Rafael!

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial