Audiência Define o Futuro do Programa Espacial Brasileiro

Olá leitor!

Segue abaixo outra matéria publicada hoje (14/05) pelo site do jornal “O VALE” destacando que uma audiência pública na tarde hoje na Câmara dos Deputados definirá o futuro do “Programa Espacial Brasileiro”.

Duda Falcão

REGIÃO

Audiência Define o Futuro do
Programa Espacial Brasileiro

Na pauta do encontro na Câmara dos Deputados, em Brasília,
a retomada do programa VLS e investimentos para o INPE

Arthur Costa
São José dos Campos
14 de junho de 2011 - 04:03

Foto: Thiago Leon

O Programa Espacial Brasileiro é tema de uma audiência pública na tarde de hoje na Câmara dos Deputados.

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática se reúne com entidades do ramo e sindicalistas para discutir a continuidade do programa e possíveis melhorias, entre elas, o investimento no VLS (Veículo Lançador de Satélites), capitaneado pelo CTA (Centro Tecnológico Aeronáutico), de São José dos Campos.

Outro tópico na pauta do encontro é o investimento no nos órgãos de pesquisa da região.

“Nesses oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tivemos um aumento de investimento no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Mas acredito que no caso do lançador de satélite, acabou ficando uma lacuna mesmo”, afirma o deputado federal Carlinhos Almeida (PT-SP), autor da proposta da reunião.

Apresentação - Ele espera debater questões pertinentes como uma forma de atualizar os deputados com as ações feitas no setor recentemente. “Nosso objetivo é colocar frente a frente deputados e representantes de entidades ligadas ao programa como o INPE, o CTA e a base de Alcântara para apresentar o que tem sido feito”, destacou Almeida.

Mudança - Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia do Vale do Paraíba, Fernando Morais Santos, a expectativa para o evento é que mudanças sejam efetivamente feitas.

“O Programa Espacial Brasileiro tem que virar uma política do Estado, não de governo. Só dinheiro não salva. Desta maneira, o investimento vem, é usado, mas em dois ou três anos a situação acaba se perdendo”, afirmou Santos.

Para ele, o programa passa por um momento delicado, que exige mudanças mais bruscas. “É como um paciente que está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Não adianta ficar dando chazinho. Você precisa de uma transfusão, uma cirurgia. Há dois anos dissemos que a situação estava crítica. Imagine agora”, destaca o sindicalista.

Debatedores - Foram convidados para a audiência o diretor do INPE, Gilberto Câmara; o presidente da AEB (Agência Espacial Brasileira), Marco Antonio Raupp; o diretor-geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, tenente-brigadeiro-do-ar Ailton Pohlmann; o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia do Vale do Paraíba, Fernando Morais Santos; e o representante do Conselho de Administração de Itaipu, Roberto Amaral.

Debate Aborda os Profissionais
São José dos Campos

Outro tema a ser abordado na audiência pública para debater o Programa Espacial Brasileiro é a renovação dos profissionais da área. Para o deputado federal Carlinhos Almeida, é necessário transferir informação o quanto antes para os futuros pesquisadores.

“Hoje temos profissionais tanto no INPE como no CTA muito pertos da aposentadoria. Por meio de novos concursos, precisamos fazer com que esse conhecimento passe para novos profissionais para que ele não seja perdido. Não podemos fazer uma simples substituição, mas sim uma transferência”, afirmou.

Ontem pela manhã, no evento do anúncio da ampliação da Ericsson, o prefeito de São José, Eduardo Cury (PSDB), foi outro a falar sobre a entrada no mercado de trabalho de novos profissionais no setor da pesquisa e tecnologia. “Essa demanda que temos em São José tem que ser suprida pelos nossos estudantes que se formam nas faculdades e escolas técnicas. Isso é bom para a região e para São José”.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Debate

Deputados e órgãos do setor aeroespacial discutem situação e melhorias do Programa Espacial Brasileiro em audiência pública a ser realizada hoje às 14h30 na Câmara

Pontos

Entre os tópicos do encontro em Brasília estão o investimento no VLS (Veículo Lançador de Satélites), o orçamento a ser destinado a novos programas de pesquisa no INPE e uma apresentação do atual cenário do setor no Brasil.

Transferência

Outra preocupação que deve ser discutida na audiência é a transferência de conhecimento dos profissionais próximos da aposentadoria para novos funcionários que serão contratados por concurso público.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 14/06/2011

Comentário: Leitor não quero ser pessimista, mas a verdade é que já se perdeu a conta das audiências públicas tanto na Câmara quanto no Senado que não deram em nada. É louvável a atitude do deputado Carlinhos Almeida, mas para discutir o que? As mesmas coisas que se vem dizendo há anos. Convenhamos amigo leitor, isso é muito chato. Aliado a diversas visitas de congressistas que ocorreram nos últimos anos ao INPE, DCTA/IAE, CLA e CLBI e um estudo feito sobre esse mesmo assunto por essa mesma comissão da Câmara e lançado ano passado, sem contar o estudo da AAB e da SAE, ora leitor, me faça uma garapa. A verdade é que Programa Espacial não dá voto, portanto essa gente não tem interesse, pois o interesse da nação é o que menos importa. Sinceramente não acredito que vá dar em nada. Porém, como minha querida filha costuma dizer “a esperança é a última que morre”, vamos aguardar. Pago pra vê. Quanto a pressença do senhor Roberto Amaral na audiência é uma piada de mal gosto, mas muito comum nos bastidores da política, fazer o que? Para os interessados, pode ser que a TV Câmara venha transmitir essa audiência ao vivo. Se isso não ocorrer, acredito que todos poderão assistir pelo site da TV Câmara.

Comentários

  1. O futuro está no presente! O que produzirmos hoje, no aqui e agora, certamente reflete num futuro a curto prazo! É necessário que abandonemos a caverna. Os mistérios que permeiam nossa existência somente serão elucidados se partirmos com ambos os braços para a vastidão do universo que nos circunda. As resppostas estão lá. Além de tudo isto existe o fato inconteste acerca dos recursos naturais terrenos: estão se esgotando! Portanto, a hora é esta. Existe ainda uma outra vertente que o programa espacial não pode ignorar: O PREPARO PSICOLÓGICO DESTA POPULAÇÃO ALVO. Sou psicólogo, pedagogo, prof.de ed. física e prof. de matemática e física.Sou pós graduado. Dedico-me a pesquisar a cognitividade infantil. Já obtive resultados. Creio e posso argumentar em um outro momemnto, que este é o espaço próprio para desenvolver um projeto. Pode ser?
    João Marcos Carvalho de Souza
    Email: jmarcosjf@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial