sexta-feira, 15 de julho de 2016

CEMADEN Discute Parceria Científica Com Centro de Pesquisas Europeu Para Sistema de Alerta em Escala Continental e Global

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (14/07) no site do “Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN)”, destacando que o CEMADEN discute parceria científica com Centro de Pesquisas Europeu para Sistema de Alerta em Escala Continental e Global.

Duda Falcão

Notícias

CEMADEN Discute Parceria Científica Com
Centro de Pesquisas Europeu Para Sistema de
Alerta em Escala Continental e Global

CEMADEN
14 de julho de 2016

Participação do CEMADEN na conferência anual do Global Flood
Partnership (GFP), realizada no Joint Research Centre da Comissão
Europeia (JRC – EC), em Ispra, Itália.

O intercâmbio entre CEMADEN e Joint Research Centre (JRC) da Comissão Europeia está no âmbito da cooperação científica do Projeto de Apoio aos Diálogos Setoriais União Europeia-Brasil, com o objetivo de ampliar as pesquisas e sistemas de monitoramento e alerta de desastres naturais, envolvendo as áreas interdisciplinares de geologia, hidrologia, meteorologia  e desastres naturais.

Pesquisadores do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações,  estiveram no Joint Research Centre da Comissão Europeia (JRC – EC), em Ispra, na Itália, para discutir estratégias de colaboração e intercâmbio de dados, informações e pesquisas relacionadas ao monitoramento e sistemas de alertas de desastres naturais.

As visitas e reuniões realizadas neste ano (em abril, junho e julho), entre o CEMADEN e o JRC, visaram fomentar a colaboração continuada em projetos de pesquisas destinadas a desenvolver métodos inovadores, ferramentas e padrões para condições meteorológicas extremas e de impactos. Os sistemas de modelagem a serem desenvolvidos pelo JRC irão fornecer suporte técnico e científico para a previsão e redução de risco de desastres em escala global e continental.

Essas atividades de intercâmbio científico e de dados para monitoramento fazem parte do Projeto Diálogos Setoriais entre Brasil e União Europeia, onde o CEMADEN está incluso no processo “Cooperação entre Brasil-Europa em Desastres Naturais”, denominado pelo código RISC0002, desde o ano de 2015.

Reuniões e Intercâmbios Científicos

O CEMADEN e o  Joint Research Centre (JRC) discutiram estudos de modelagem global e no território brasileiro, estabelecendo parcerias em projetos de pesquisa, publicações científicas e  intercâmbio de experiências.   Na reunião realizada em abril, foram abordados os estudos de previsão de eventos de inundação e seca, além da avaliação dos impactos , considerando os aspectos de vulnerabilidade, os quais compõem o sistema de alerta de inundação.
Os pesquisadores visitaram a sala de Gerenciamento de Crises (ECML), do Institute for the Protection and Security of the Citizen (IPSC) e ao Copernicus Emergency Management Service (EMS) para conhecer os produtos operacionais de gerenciamento de risco de desastres naturais do JRC.

“Esses institutos que integram o centro de pesquisas (JRC) têm um papel fundamental na produção de informações hidrometeorológicas para o apoio na tomada de decisão pela Comissão Europeia, referentes à gestão de desastres naturais e aos impactos das mudanças climáticas.”, afirma o pesquisador e hidrólogo do CEMADEN, Conrado Rudorff. “Considerando a dimensão continental do território brasileiro, a metodologia desenvolvida pelo JRC para o continente europeu se adequa às características de escala e demanda de informações para tomada de decisões no Brasil.  A parceria é de benefício mútuo e estratégico para nosso avanço em sistemas de gestão de riscos de desastres. ”, conclui o pesquisador do CEMADEN.

Conrado explica, também, que o Brasil oferece boas características em termos de hidrogeografia, disponibilidade de dados e grupos de pesquisa para auxiliar na validação de modelos hidrológicos globais e desenvolvimento de métodos de análise de impacto de cheias.

Na visita mais recente, houve a participação do CEMADEN na conferência anual do Global Flood Partnership (GFP), realizada no próprio JRC em Ispra, Itália. O objetivo do GFP é o de unir esforços no desenvolvimento de infraestrutura e sistemas de monitoramento por satélite, modelagem hidrológica e análise de impacto, visando melhorar a previsão e gestão de impactos de desastres de inundação em nível global. Foi apresentada a pesquisa intitulada “GloFAS como uma ferramenta de previsão de inundação em municípios da Bacia Amazônica”,  trabalho científico do CEMADEN, realizado em parceria com pesquisadores europeus, entre diversas apresentações científicas feitas pelos pesquisadores do GFP. O CEMADEN fez, também, uma apresentação sobre o processo de monitoramento e alertas de riscos de desastres da Sala de Situação.

No ano passado, outros pesquisadores do CEMADEN puderam discutir sobre pesquisas e monitoramento nas áreas agrometeorológicos e hidrológicos. Neste ano, participaram das reuniões, visitas e intercâmbios científicos os pesquisadores do CEMADEN : o meteorologista Christopher Cunningham, o hidrólogo Conrado Rudorff além do tecnologista  da Sala de Situação, Tiago Bernardes,  hidrólogo e especialista em desastres naturais.

Diálogos Setoriais Brasil- União Europeia

O Projeto de Apoio aos Diálogos Setoriais Brasil-UE tem como objetivo contribuir para o aprofundamento da parceria estratégica e das relações bilaterais entre o Brasil e a União Europeia. É coordenado em conjunto pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) – por meio da Direção Nacional do Projeto – e pela Delegação da União Europeia no Brasil (DELBRA).

O objetivo final dos trabalhos entre o CEMADEN/MCTIC e o Joint Research Centre (JRC) é a inclusão do Brasil no Sistema de Coordenação Global  de Alertas de Desastres, o qual é desenvolvido pela cooperação entre as Nações Unidas, a Comissão Europeia e os gestores de desastres em todo o mundo. Esse sistema global possibilita melhorar os alertas, ampliar o intercâmbio de informação e a coordenação na primeira fase, após grandes catástrofes súbitas.


Fonte: Site do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário