President of Ukraine Visited the Yuzhmash PA Company

Hello reader!

It follows one communicates published on the day (09/11) in the website of the State Space Agency of Ukraine (SSAU) noting that the President of Ukraine, Viktor Yanukovych, became acquainted with Rocketry Manufacture at the Yuzhmash PA.

Duda Falcão

President of Ukraine Viktor Yanukovych
Became Acquainted with Rocketry
Manufacture at the Yuzhmash PA

09/11/2011

President Yanukovych paid a visit to Yuzhmash Production Association in the framework of his working trip to Dnipropetrovsk region, under the website of the President.

Viktor Yanukovych had a look at the process of assembling manufacture of rocket technology and examined samples of the plant’s output.

In addition, the President casted a look at the operated model of the "Cyclone-4" rocket complex at the Alcantara Space Center in Brazil and discussed the implementation issues of the project with the management board of the enterprise.

He also had a word with the workers of the plant.

Note: See below photos a video showing the launch pad of the Cyclone-4 rocket being tested at the premises of the Ukrainian company, where it was built.




Source: Website of the SSAU (State Space Agency of Ukraine)

Comentário: Fazer o que, dizer o que? Infelizmente as pessoas de bem, antenadas, responsáveis e de visão perderam essa batalha, e esse trambolho tóxico vai ser mesmo lançado do Brasil. Ao mesmo tempo e com a maior cara-de-pau, o governo DILMA ROUSSEFF sai pelo mundo com um discurso em defesa do tal “DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL”. É deprimente. Note leitor nas fotos quantos empregos estão sendo proporcionados aos ucranianos somente com esse projeto, enquanto no Brasil a comunidade espacial que beirava os 7000 mil servidores no início da década de 90, hoje nem chega a 3000, mesmo com os que atuam na iniciativa privada. Leia o que diz o presidente da AEB na matéria anterior, e veja que ele cita como prioritários os projetos desse desastroso acordo, o do SGB e o de satélites de pesquisas, mas em momento algum ele cita o projeto do VLS-1, ou do VLM-1 ou outros importantes e cruciais projetos espaciais do país. BRAZIL, ZIL, ZIL, ZIL.

Comentários

  1. Eu não entendi uma coisa ainda, ja que o Brasil entrou apenas com o dinheiro nisso, pelo menos o satélite vai ser nosso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      O projeto da ACS e do Satélite SGB (creio que foi sobre ele que você se referiu) são projetos distintos. O foguete Cyclone-4 da ACS é ucraniano e o satélite SGB será brasileiro, apesar de ser desenvolvido (praticamente comprado) em outro país ainda a ser definido e não tem nada haver com os ucranianos.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Mostra como o governo deles está em cima do projeto e está vindo aqui ver se está tudo certinho.Creio que neste momento o compromisso do Brazil é praticamente um compromisso de honra, que se está arrastando até 2014.

    Tenho que concordar com o Duda, o projeto brasileiro parece estar sendo parcialmente marginalizado por outras "prioriedades", enquanto deveria ser de importancia primária. "Tecnologia própria é independencia", como reza o lema do CTMSP, mas como chegar lá, na area espacial, sem investimentos de peso nos projetos de âmbito nacional, não sei.

    Falaram que as tecnologias empregadas na construção desse foguete ajudará na construção do VSL-1, e vice-versa. Não sei até que ponto isso é verdade, mas creio que esses investimentos poderão atrazar os prazos do programa Cruzeiro do Sul, que tinha como alvo construir seu maior foguete até 2022.

    ResponderExcluir
  3. No site da ACS tem uma versão em inglês desse video, dá pra saber do que estão falando pelo menos... http://www.alcantaracyclonespace.com/index.php?option=com_wrapper&Itemid=118&name=v%C3%ADdeos%20e%20anima%C3%A7%C3%B5es&lng=1&style=vert_indent

    ResponderExcluir
  4. Cada vez mais me convenço de que no atual sistema de gestão pública Brasileira, esse e outros projetos do PEB, simplesmente não vão chegar a bom termo.

    Se não vejamos: estive pesquisando e aparentemente tanto o atual Ministro de Ciência e Tecnologia, quanto o presidente da AEB são pessoas "do meio" e funcionários públicos "de carreira", gente com muito fundamento acadêmico na área. Coisa rara até nesse modelo de gestão maluco.

    Sabe-se lá o motivo, mas esse projeto da ACS parece ter caído nas graças dos políticos de plantão.

    E apesar dessas condições muito favoráveis, de nada adiantou.

    A essa altura, todas as obras de infra-estrutura para a ACS deveriam estar prontas e os problemas fundiários resolvidos (na verdade, já devería-mos ter feito os primeiros lançamentos a alguns anos), no entanto, nada disso ocorreu, nem sequer o terminal portuário, que é fundamental, foi feito. Estão falando até em trazer os primeiros foguetes de avião a um custo altíssimo.

    Então, a ACS, que devido aos problemas fundiários foi obrigada a alugar espaço dentro da área militar do CLA, agora se quiser ter os foguetes para lançar, vai ter que traze-los de avião.

    Todo esse custo extra, ajuda ainda mais a inviabilizar um projeto cuja origem foi ter um sistema de lançamento comercialmente competitivo para vender no mercado internacional. Como diria o Nelson Rodrigues, é o "óbvio ululante".

    Tudo isso, muito antes da salutar preocupação com o meio ambiente, mas sinceridade, duvido muito que a quantidade de foguetes lançados por esta malfadada empresa, chegue sequer a arranhar a nossa já combalida camada de ozônio.

    É como o Duda falou...

    Deprimente.

    ResponderExcluir
  5. Vergonha Brasil
    Para que serve essa AEB?....Para gerar empregos na Ucrania?
    Será que não tem ninguém de bom senso nesse meio para acabar com essa palhaçada?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite