Operação HIFIRE 3

DESCRIÇÃO DA CAMPANHA

Operação: HIFIRE 3
Foguete: VS-30/Orion VO7
Numero do vôo do foguete: 8
Data de lançamento: 13/09/2012
Horário: Não divulgado
Apogeu do vôo: 345 Km
Tempo em ambiente de microgravidade: Não foi divulgado
Local: Centro de Lançamento de Andoya (Noruega)
Objetivo: Lançamento do experimento HIFIRE 3, terceira carga útil do programa hipersônico internacional “Hypersonic International Flight Research Experimentation Program”, programa esse liderado pela NASA, pelo AFRL e pelo DSTO, com a colaboração do DLR alemão.
Resultado: O foguete foi lançado com sucesso, entretanto não foi divulgado informações sobre o desempenho da carga útil.

Carga Útil Embarcada (Científica)

- Experimento HIFIRE 3

Instituições Envolvidas

DLR - German Aerospace Center (Alemanha)
NASA - National Aeronautics and Space Administration (Estados Unidos)
AFRL - Air Force Research Laboratory (Estados Unidos)
DSTO - Defence Science and Technology Organisation (Austrália)
ARR - Andøya Rocket Range (Noruega)
DCTA - Departamento de Ciência de Tecnologia Aeroespacial (Brasil)
IAE - Instituto de Aeronáutica e Espaço (Brasil)

VS-30/Orion Lançado com Sucesso na Noruega

No dia 13 de setembro de 2012 foi lançado com sucesso pela Agência Espacial Alemã (DLR), do Centro de Lançamento de Andoya (ARR), na Noruega, a carga útil HIFIRE 3 através do foguete brasileiro VS-30/ORION V07, lançamento esse que atingiu o apogeu de 345 km e a dispersão do ponto de impacto de 0,6 sigma.

Tratou-se do quinto lançamento de dez programados do programa hipersônico internacional intitulado de  “Hypersonic International Flight Research Experimentation Program”, programa esse liderado pela NASA, pelo AFRL (Air Force Research Laboratory) dos EUA e pelo Defence Science and Technology Organisation (DSTO) da Austrália, ao mesmo tempo que representou o segundo lançamento de um foguete brasileiro visando atender esse programa internacional.

Vale dizer também que esse foi o oitavo lançamento desse foguete brasileiro (o sexto fora do Brasil) que é constituído em seu primeiro estágio pelo motor-foguete sólido brasileiro S-30 e em seu segundo estágio pelo motor-foguete sólido Improved Orion de origem norte-americana. Além disso, vale lembrar que o VS-30/Orion já foi utilizado pelos programas estrangeiros HotPay, Shefex, ICI e HIFIRE, todos lançados de Andoya, na Noruega.


Lançamento do VS-30/Orion da Operação HIFIRE 3


Fonte: Diversas

Comentários

  1. Indo ao que nos interessa no momento.

    Duas dúvidas:

    Estou errado ou o Brasil tem capacidade de fornecer também um segundo estágio igual ou melhor que o tal "improved Orion" ?

    Não seria mais proveitoso, digo em termos do experimento mesmo, efetuar esses lançamentos de bases mais perto do Equador como as nossas, atingindo maiores altitudes e consequentemente aumentando o período em ambiente de microgravidade?

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcos!

    Respondendo a sua pergunta, teria sim, mas esse foguete é fruto da parceria com o DLR alemão que utiliza o motor norte-americano (eles não fabricam motores-foguetes suborbitais).

    Já quanto a sua pergunta, talvez sim, mas por alguma razão o cliente preferiu lançar da Noruega. Entretanto, não se tratava especificamente de um vôo para pesquisas em ambiente de microgravidade.

    Vale lembrar que o SHEFEX III (experimento do programa alemão SHEFEX do DLR) esse sim deverá ser lançado de Alcântara através de um VLM-1 em 2015 ou 2016, isto é, se o governo DILMA ROUSSEFF não atrapalhar, o que infelizmente em nossa opinião é bastante provável que aconteça, mas vamos aguardar e vê o que acontece. Os Alemães já começaram a trabalhar no experimento SHEFEX III.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Duda, você tem alguma noticia sobre o desenvolvimento do foguete de sondagem vs-15? Este foguete usará combustivel líquido?

    ResponderExcluir
  4. Olá Carlos!

    Veja bem, o vôo do VS-15 depende ainda da finalização do Sistema de Alimentação de Motor Foguete (SAMF) e do motor-foguete líquido L15, projetos esses que estão sendo desenvolvidos em parceria com a Orbital Engenharia. Eu acredito que o vôo do VS-30/L5 aconteça primeiro, quem sabe no primeiro semestre de 2013, mas isso depende da presidente DILMA e seus Blue Cats. Quanto ao combustível sim, será usado mesmo o líquido em ambas missões, apesar de usarem motores-foguetes sólidos nos primeiros estágios desses foguetes.

    Abs

    Duda Falcão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial