Relatório Traz Resultados do 5° Ano da Moratória da Soja

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (05/09) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que relatório do instituto traz resultados do 5° Ano da Moratória da Soja.

Duda Falcão

Relatório Traz Resultados do 5° Ano
da Moratória da Soja

Quarta-feira, 05 de Setembro de 2012

Resultados do monitoramento do plantio de soja na Amazônia, realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), foram divulgados nesta quarta-feira (5/9) pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (ABIOVE). Confira aqui o relatório completo

A análise é importante para verificar o cumprimento da Moratória da Soja, iniciativa já em seu quinto ano que representa o compromisso das indústrias e exportadores da ABIOVE e Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (ANEC) de não adquirir soja de áreas desflorestadas no bioma Amazônia após julho de 2006.

Para o INPE, a Moratória da Soja é um exemplo da importância dos dados espaciais para fomentar ações de responsabilidade ambiental e conter a derrubada da floresta. Baseado no resultado do monitoramento, a ABIOVE reiterou que a soja não tem sido um fator importante de desmatamento na Amazônia.

A partir do monitoramento com o uso de imagens de satélites dos desflorestamentos realizados desde o início da Moratória da Soja, em 2006, para detecção de possível cultivo de soja e posterior validação por meio de sobrevoo e trabalho de campo, a presença de soja foi identificada em 18.410 hectares (ha) desflorestados.

No período avaliado (2007-2011), foram desflorestados 4,51 milhões de ha em todo o bioma Amazônia, dos quais 3,47 milhões de ha (77%) se encontram nos três estados produtores de soja – Mato Grosso, Pará e Rondônia. Foram monitorados 58 municípios que respondem por 98% da área plantada com soja no bioma Amazônia.

De acordo com o relatório, a área de soja corresponde a 0,41% de todo o desflorestamento, ou 0,53% do total aberto nos três estados produtores de soja.

O monitoramento por satélites do cumprimento da Moratória é resultado da parceria entre o INPE e o Grupo de Trabalho da Soja (GTS), formado pelas empresas associadas da ABIOVE e da ANEC e por organizações da sociedade civil (Conservação Internacional, Greenpeace, IPAM, TNC e WWF-Brasil), além do Ministério do Meio Ambiente e do Banco do Brasil.

O GTS conta com a importante contribuição técnico-científica do INPE, capaz de detectar a presença de culturas agrícolas em áreas desflorestadas a partir da interpretação de imagens de satélites. No monitoramento da Moratória da Soja, também foram utilizadas as bases de dados da FUNAI, do IBAMA, IBGE e IMAZON. Já a empresa Geoambiente Sensoriamento Remoto foi contratada pelo GTS para sobrevoar e identificar as áreas selecionadas previamente pelo INPE. Para consolidar as informações do sobrevoo, também foram realizadas visitas a todas as propriedades rurais com presença de cultivo de soja.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite