Entrevista Aborda Imagens de Satélites e o PEB

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (19/09) no portal “MundoGEO” informando que entrevista da equipe do portal com diretor da empresa brasileira AMS Kepler, Antônio Machado e Silva, abordou imagens de satélites e o envolvimento dessa empresa com os projetos dos satélites CBERS e Amazônia 1 do Programa Espacial Brasileiro.

Duda Falcão

Notícias / Imagens de Satélites e Aéreas

Entrevista Aborda Imagens de Satélites
e Programa Espacial Brasileiro

Por Alexandre Scussel
19 de Setembro de 2012 - 14h28

O MundoGEO#Connect LatinAmerica 2012, maior evento de geotecnologias da América Latina, trouxe vários profissionais e representantes de empresas e instituições para debater temas de interesse da comunidade geoespacial. A equipe MundoGEO esteve cobrindo todo o evento, entrevistando palestrantes, expositores e visitantes.

Hoje, a série de vídeos sobre o MundoGEO#Connect traz uma entrevista exclusiva com Antonio Machado e Silva, diretor da AMS Kepler, empresa expositora do evento, atuante nas áreas de cartografia digital, desenvolvimento de software, engenharia espacial, geoprocessamento, processamento digital de imagens, produção de dados geográficos e serviços de distribuição de imagens de satélites.


O diretor, além de falar sobre as principais novidades da empresa, também aborda um dos projetos mais importantes da empresa, que está atrelado ao programa espacial brasileiro, com foco no satélite Cbers-3, o qual já se encontra em fase de encerramento, e também o Amazonia-1.

Veja a entrevista completa a seguir. Para ter acesso a mais vídeos, acesse o canal do MundoGEO no YouTube.



Fonte: Portal MundoGEO - 19/09/2012 - http://mundogeo.com/

Comentário: Confesso que desconhecia a existência dessa empresa e consequentemente de seu envolvimento com o Programa Espacial Brasileiro. O aumento do número de empresas genuinamente brasileiras diretamente envolvidas com PEB não é só algo desejado como necessário, e meta dos órgãos oficiais do governo envolvidos com o programa. Infelizmente, na contra-mão desse desejo encontra-se os órgãos decisórios, responsáveis por definir o que será ou não realizado, ou sejam, a Presidência de Republica e os Ministérios da Fazenda e do Planejamento, os grandes responsáveis (desde o início da década de 90) pela atual situação de total descaso e irresponsabilidade com o Programa Espacial do país. Apesar disso, e com grande dificuldade, os institutos de pesquisas do país que atendem ao programa, mas precisamente o INPE, o IAE, IEAv e o IFI, vem realizando seus projetos como podem em parceria com empresas desde os anos 90, transferindo ou desenvolvendo conjuntamente tecnologias essenciais para a operacionalização do programa. Infelizmente  por conta do grande período de desenvolvimento que essas tecnologias levam para atingirem as suas maturidades, em grande parte devido à irresponsabilidade do governo com o seu gerenciamento, normalmente as mesmas chegam ao final (quando chegam) desatualizadas e superadas. Os exemplos são diversos e chegam às raias da estupidez o que me leva acreditar que para esses energúmenos só mesmo o PAREDÃO DE FUZILAMENTO.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial